sexta-feira, 24 de abril de 2015

Três homens são presos com cocaína da Bolívia

TRÁFICO INTERNACIONAL

Em menos de uma semana, agentes da Polícia Federal apreenderam quase 70Kg de drogas

Image-0-Artigo-1840756-1
Entre os presos na operação estavam dois cearenses e um homem natural da Cidade de Ji Paraná, em Rondônia. Ele seria o responsável por transportar a droga
Image-1-Artigo-1840756-1
Aproximadamente, 15 quilos de cocaína foram encontrados nos veículos, mas a quantidade total não foi divulgada, pois os carros ainda seriam desmontados
Uma operação da Polícia Federal (PF) com o apoio das polícias Civil e Militar resultou na prisão de três homens suspeitos de tráfico internacional de drogas. O trio foi detido, ontem, com cerca de 15Kg de cocaína, no município de Quixeramobim (distante 206 quilômetros do Fortaleza). Conforme as investigações da Polícia a droga teria sido transportada da Bolívia. Com essa apreensão, já são 67Kg de entorpecentes apreendidos pela PF, no Ceará, nesta semana. Na última terça-feira (21), os federais localizaram 52Kg de cocaína e maconha, em Messejana.
De acordo com o delegado titular da delegacia municipal de Quixeramobim, Silviano de Pádua, a PF investigava os envolvidos e contactou a Polícia de Quixeramobim um dia antes de realizarem a prisão. A Federal solicitou à Civil que monitorasse os veículos suspeitos, pois um grupo planejava se reunir para distribuir um carregamento de drogas. O flagrante foi realizado na CE-060, próximo a um posto de combustível, na localidade de Alvorada, em Quixeramobim.
Droga da Bolívia
O principal suspeito e possível mentor da ação foi identificado como José Santiago de Andrade. Ele mora no município de Ji-Paraná, em Rondônia, Estado que faz fronteira com a Bolívia. Conforme a Polícia, na última quarta-feira (22), José Santiago passou a noite em uma pousada, em Quixeramobim, e na manhã seguinte, encontrou com os outros dois suspeitos. José Santiago é apontado pela Polícia como o responsável por fazer a travessia da droga da Bolívia para o Brasil e repassar para os outros suspeitos na capital cearense. A droga , segundo a Polícia, teria como destino o município de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).
Os outros dois homens presos foram identificados como João Paulo da Silva Santos, 32, que já responde por roubo e lesão corporal culposa no trânsito, e João Paulo Deusdara Crisóstomo, 36, com passagens na Polícia por estelionato, roubo de veículos e apropriação indevida. Ambos são naturais de Fortaleza.
Conforme o delegado Silviano de Pádua, a prisão dos suspeitos ocorreu no momento em que eles faziam a remoção da droga que estava no veículo Volkswagen Jetta, de cor preta, com placa de Rondônia. O carro era guiado por José Santiago. No outro automóvel, uma Hilux de cor prata, João Paulo da Silva e João Paulo Crisóstomo acondicionavam a cocaína nas portas do veículo e no porta-malas.
Os veículos e a droga foram apreendidos e levados para a sede Superintendência da PF, em Fortaleza. A PF não forneceu os detalhes da investigação, mas disse que a quantidade de droga apreendida seja ainda maior, pois os automóveis foram recolhidos e encaminhados para serem desmontados e checados sobre a existência de mais drogas.
Messejana
Na madrugada da última terça-feira (21), dois paraenses, que não tiveram os nomes divulgados transportavam mais de 22 quilos de cocaína e 30 quilos de maconha. As prisões ocorreram no Terminal de Ônibus de Messejana, em Fortaleza, após investigações de policiais da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), da PF. Os federais identificaram e seguiram um veículo até o local.
Os dois homens foram abordados e, após vistoria, os federais localizaram parte da droga escondida dentro do airbag do veiculo e o restante na parte de trás do banco traseiro, em um fundo secreto, com acesso somente por meio de um dispositivo eletrônico.
De acordo com a assessoria de comunicação da PF, a droga estava armazenada em 62 pacotes, alguns em forma de tijolo e outros de formato irregular, embalados em fita adesiva e plásticos de varias cores.

Corpo carbonizado é achado no porta-malas de veículo

ACARAPE
Image-0-Artigo-1840737-1
O corpo foi achado carbonizado dentro do porta-malas de um veículo, na noite da última quarta-feira (22), no Loteamento 24 de Abril, em Acarape
Um corpo que, conforme Perícia Forense do Ceará (Pefoce) é do sexo masculino, foi encontrado carbonizado dentro do porta-malas de um veículo, na noite da última quarta-feira (22), no Loteamento 24 de Abril, em Acarape (a 54Km de Fortaleza). De acordo com informações da Polícia Militar, o local onde acharam o automóvel fica a seis quilômetros da sede do município.
Segundo informações da 2ª Cia do 4º BPM (Baturité), populares acionaram a Polícia informando que um carro estava em chamas. Quando os militares chegaram ao local, o fogo já havia sido debelado.
Ao fazer uma vistoria no automóvel Fiat, modelo Pálio, de placas HXU-8468, inscrição de Maracanaú, os PMs encontraram um corpo carbonizado. A vítima ainda não foi identificada. "Não temos registros de pessoas desaparecidas aqui em Acarape e ainda não conseguimos chegar ao dono do carro", afirmou o soldado PM Paixão.
Outro caso
Em Barbalha, na região do Cariri, um comerciante saía da Igreja do Rosário, no Centro da Cidade, em direção à residência dele, quando foi abordado e sequestrado por dois homens, na Rua Zuca Sampaio. A vítima foi levada para o bairro Distrito Industrial, em Juazeiro do Norte, onde os criminosos atearam fogo no automóvel Ford Fiesta que o homem dirigia com ele dentro.
Familiares do comerciante estiveram na Delegacia Municipal de Barbalha e registraram um Boletim de Ocorrência (B.O.) sobre o caso. Segundo os parentes, a vítima conseguiu sair do carro em chamas e correu até uma rua movimentada. Um popular viu o homem e o encaminhou ao Hospital Maternidade São Vicente de Paulo.
Por conta das queimaduras graves que sofreu no tórax, rosto e braços, ele foi transferido para o Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), do Instituto Doutor José Frota (IJF), em Fortaleza. Segundo o capitão Lucivando Rodrigues, comandante da 2ª Cia do 2º BPM (Barbalha), ainda não foi possível conversar com a vítima e as versões sobre o fato estão desencontradas.

Arrombador de casas é preso durante gravação de reportagem

Suspeito agiria novamente, mas foi impedido por repórter de TV

Suspeito sorri ao ser fotografado pelo repórter da TV Cidade.  (Foto: Roberto César/TV Cidade)
Um homem suspeito de arrombar casas em vários bairros de Fortaleza foi preso na tarde desta quinta-feira (23), no momento em que uma matéria para o Cidade Alerta Ceará era gravada no bairro Canindezinho. 
De acordo com Roberto César, repórter da TV Cidade, a equipe de reportagem foi acionada para mostrar imagens de circuito interno que gravou um casal arrombando casas do bairro. Ao sair da residência de uma das vítimas, o homem que aparecia no vídeo estava coincidentemente na rua, com o mesmo traje gravado pelas câmeras de circuito interno, porém sem sua companheira. 
Ao ser abordado pelo repórter, o homem correu. Populares acompanhavam a gravação e seguiram o suspeito, que atravessou a avenida Osório de Paiva, no Siqueira e se escondeu no bairro Bom Jardim. Uma equipe do Raio foi acionada e iniciou uma busca de aproximadamente 20 minutos. 
O suspeito, identificado como Francisco Anderson, foi encontrado dentro de um mercadinho. No momento da prisão, o indivíduo estava sem a blusa. Populares tentaram o linchar, mas foram impedidos pela Polícia Militar. 
O homem foi preso e encaminhado ao 32º DP, no Bom Jardim. 
Vídeo
A equipe da TV Cidade foi acionada por uma vítima de Francisco Anderson, para mostrar um vídeo com a ação do suspeito.
Nas imagens, é possível notar Francisco e sua companheira na rua Santo Agustinho, no Canindezinho. A rua está deserta e o casal anda calmamente, observando ao redor. O homem está na frente e a mulher o segue. 
Com uma mochila nas costas e uma sacola preta na mão, ele aparentemente nota uma câmera de segurança, mas parece não se importar. Ao parar, a mulher segue um pouco e retorna com um objeto não identificado na mão. O objeto é colocado dentro da mochila que Francisco utiliza. A ação se repete em várias ocasiões. Após os assaltos, os dois saem calmamente como se nada tivesse acontecido. 
Confira o vídeo:  

Com redução da maioridade, sistema pode ter 32 mil presos a mais em 1 ano

G1 fez levantamento com órgãos que administram internação de menores.
Congresso debate redução da maioridade penal de 18 para 16 anos.

Tahiane StocheroDo G1, em São Paulo
Menores infratores relatam más condições em unidade de internação (Foto: Roberta Cólen/G1)Menores infratores em unidade socioeducativa de Alagoas (Foto: Roberta Cólen/G1)
Levantamento realizado pelo G1 aponta que cerca de 32 mil adolescentes de 16 e 17 anos deram entrada nas unidades de cumprimento de medidas socioeducativas no país em 2014, após serem apreendidos por infrações de maior gravidade ou com violência. Essa é a quantidade de menores que poderia entrar no sistema prisional brasileiro ao longo de 1 ano caso a redução da maioridade penal seja aprovada no Congresso.
G1 fez no ano passado um levantamento mostrando que há 200 mil detentos a mais do que o sistema carcerário brasileiro comporta. São 563.723 presos nas penitenciárias do país, mas há, no entanto, 363.520 vagas disponíveis nas unidades (ver mais detalhes adiante na reportagem).
Os dados sobre os menores foram obtidos com secretarias e órgãos que administram unidades de internação de infratores em todos os estados e no Distrito Federal. Apenas o governo de Goiás informou que só tinha dados até 2013 e que não poderia disponibilizar as informações mais recentes.
A reportagem questionou, a cada entidade, quantos adolescentes, com idades de 16 e 17 anos, deram entrada nas unidades de cumprimento de medidas socioeducativas do estado durante todo o ano de 2014. Não há informações sobre o tempo médio que ficou internado cada adolescente.
Nas últimas semanas, o Congresso começou a debater a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos. No dia 8 de abril, a Câmara dos Deputados instalou uma comissão para analisar a mesma proposta que, caso seja aprovada, será votada no plenário da Casa antes de retornar ao Senado.
O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), de 1990, prevê a medida de internação quando 1) o ato infracional for cometido por eles mediante grave ameaça ou violência à pessoa; 2) por reiteração no cometimento de infrações graves; 3) por descumprimento de medida anteriormente imposta. O período de detenção não pode ultrapassar três anos.
POR ESTADO: NÚMERO DE JOVENS DE 16 E 17 ANOS APREENDIDOS POR CRIMES EM 2014
Estado16 anos17 anos
RS584824
SC251440
PR566821
SP4.0535.370
RJ464658
MG529794
ES456602
GO371 (a)508 (a)
DF1.8182.216
TO3759
MT199284
MS137 (b)(b)
AC134207
RO5583
AM46793
RR4861
AP91 (b)(b)
PA172278
MA240301
BA635721
PI6679
CE614750
RN284380
PB9496
PE1.7042.107
AL7592
SE243348
Total14.27318.286
(a) Número de 2013
(b) Número unificado das duas idades
Fonte: órgãos responsáveis pela administração de unidades de internação de menores infratores nos Estados
“A maioria dos adolescentes do país está internado por roubo, por ser considerado crime com violência ou grave ameaça. Já no caso do tráfico, apesar de não haver violência direta, em geral juízes das regiões metropolitanas aplicam internação aos reincidentes e os do interior quase sempre aplicam internação, inclusive aos primários”, afirma o jurista Ariel de Castro Alves, integrante do Movimento Nacional de Direitos Humanos.
O ECA prevê que, em nenhuma hipótese, os juízes aplicarão a internação caso haja outra medida adequada diante do ato infracional, como advertências, reparação do dano, prestação de serviços comunitários, liberdade assistida ou semiliberdade.
O maior número de adolescentes com 16 e 17 anos cumprindo medidas de internação em 2014 foi registrado no estado de São Paulo: ingressaram pelas unidades da Fundação Casa 9.423 menores infratores nesta faixa etária. Segundo o levantamento do G1 do ano passado, há cerca de 207 mil presos no sistema carcerário paulista.
“Nosso sistema socioeducativo e é infinitamente melhor que o sistema prisional de qualquer lugar do Brasil, porque leva em conta as condições e necessidades da criança e do adolescente, que estão em fase de amadurecimento e suscetíveis à mudança de comportamento pela conversa”, entende a presidente da Fundação Casa, Berenice Giannella.
Conforme o ECA, os menores não podem permanecer, “em nenhuma hipótese”, mais de três anos internados, sendo que a manutenção do menor deve ser revisada e fundamentada a cada seis meses.
“Já no caso de tráfico, os adolescentes infratores, se considerados maiores de idade, começariam a cumprir a pena em regime fechado, com possibilidade de progressão, após cumprimento de 2/5 da pena, para os primários, e de 3/5 da pena, se reincidentes”, diz o jurista Ariel de Castro Alves.
Para o caso de roubos, o Código Penal prevê pena de reclusão de quatro a dez anos, mais multa.
O ministro da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Pepe Vargas, disse que uma parcela muito pequena de menores acabam internados em instituições. “Temos 26 milhões de adolescentes no Brasil. Os 23 mil que estão cumprindo medidas com privação de liberdade representam 0,08%. Esses casos têm grande exposição e geram muita comoção, mas é uma parcela ínfima de adolescentes”, afirmou o ministro em um debate no Congresso, segundo a Agência Brasil.

População prisional
O Ministério da Justiça não disponibiliza os números atualizados da população carcerária do país. Os últimos dados do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), de julho de 2013, apontam que, na época, havia 574.027 presos maiores de idade no país, enquanto havia 317.733 vagas.
Em julho de 2014, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) divulgou um levantamento apontando que a população carcerária brasileira chegava a 715 mil em maio daquele ano, sendo que mais de 147,9 mil pessoas cumpriam prisão domiciliar devido ao déficit de vagas no sistema.

Um gráfico obtido pelo G1 mostra a evolução do número de presos brasileiros desde 2005 em comparação com a quantidade de vagas: enquanto a população carcerária cresce exponencialmente ano a ano, a quantidade de vagas permaneceu praticamente estacionada no país no período.
Evolução da População Prisional do país - até 2012 (Foto: Tahiane Stochero/G1)Evolução da População Prisional do país - 2005 a 2012 (Foto: Tahiane Stochero/G1)
Posicionamentos sobre a redução da maioridade
O Ministério Público, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a presidente Dilma Rousseff se manifestaram contra a mudança na legislação.

Pesquisa do Datafolha afirma que 87% de 2.834 entrevistados declaram ser favoráveis à redução da maioridade penal.
Berenice Gianella, da Fundação Casa, propõe uma mudança em outros termos: “Precisamos pensar em outras saídas para a questão, ao invés de mandar o adolescente para o presídio. Uma alternativa é um projeto de lei que aumenta o tempo de internação de adolescentes que praticam crimes hediondos e que chocam a sociedade”.
No ano passado, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado rejeitou uma proposta de emenda constitucional para reduzir a idade penal em casos de crimes hediondos, tráfico de drogas, tortura e terrorismo, além de múltipla reincidência para a prática de lesão corporal grave e roubo qualificado, gerando bate-boca entre parlamentares a favor e contra a medida.

Nova academia de formação de vigilantes em Sobral

Documentação

Curso de Formação de Vigilantes

Pré-requisitos:

 Ser maior de 21 anos;
 Ter cursado no mínimo a 4ª série do Ensino Fundamental;
 Não ter antecedentes Criminais

Documentação:

 01 - Cópia da Carteira de Identidade;
 01 - Cópia do CPF;
 01 - Cópia do Título de Eleitor;
 01 - Cópia da Reservista;
 01 - Cópia do Comprovante da Última votação;
 01 -  Cópia do Comprovante de Residência;
 02 - Fotos 3x4;
 Carteira de Trabalho Original;
 Comprovante de Escolaridade Autenticada;
 Atestado de Saúde Ocupacional –ASO;
 Psicotécnico - Psicólogo credenciado pela Policia Federal;
 Certidão Criminal Estadual (Emitida pelo Fórum);
 Certidão Negativa Eleitoral (Criminal);
 Certidão Negativa Eleitoral (Quitação);
 Certidão Negativa Militar Estadual;
 Certidão Negativa Militar Federal;
 Certidão Negativa Justiça Federal; 

Reciclagem da Formação de Vigilantes

Documentação:

 01 - Cópia da Carteira de Identidade;
 01 - Cópia do CPF;
 01 - Cópia do Título de Eleitor;
 01 - Cópia do Certificado de Vigilante frente e verso;
 01 - Cópia da Reservista;
 01 - Cópia do Comprovante da Última Votação;
 01 - Cópia do Comprovante de Residência;
 02 - Fotos 3x4;
 Carteira de Trabalho Original;
 Comprovante de Escolaridade Autenticada;
 Atestado de Saúde Ocupacional –ASO;
 Psicotécnico - Psicólogo credenciado pela Policia Federal;
 Certidão Criminal Estadual (Emitida pelo Fórum);
 Certidão Negativa Eleitoral (Criminal);
 Certidão Negativa Eleitoral (Quitação);
 Certidão Negativa Militar Estadual;
 Certidão Negativa Militar Federal;
 Certidão Negativa Justiça Federal;
  • Lado esquerdo do blog  atalho para o site.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Recruta morre após passar mal em treino do Exército

FORTALEZA

Jovem de 18 anos cumpria serviço obrigatório e estava no primeiro acampamento da Companhia

Image-0-Artigo-1839792-1
Francisco Igor, de 18 anos, foi atendido pela equipe médica ainda no acampamento e liberado às atividades
Um recruta do Exército Brasileiro (EB), de 18 anos, morreu após passar mal em treino realizado em Maranguape, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O jovem chegou a ficar dois dias internado no Hospital Militar.
Conforme relatos de amigos, Francisco Igor Vieira Alves teria se queixado de mal-estar e dores no corpo logo após a realização das atividades em um acampamento militar. O jovem, que morava na Caucaia, na RMF, cumpria serviço obrigatório.
De acordo com o Exército, o treinamento teve início no último dia 6 e encerrou no dia 10. Os recrutas foram levados ao Distrito de Penedo, em Maranguape, região de mata densa que é costumeiramente utilizada pelos militares para a realização de atividades e treinamentos.
Conforme relatos de amigos de Igor, o jovem teria sido submetido junto aos outros membros do pelotão a uma marcha com distância de 8 a 12 km, carregando uma mochila e equipamentos nas costas. Durante a caminhada, o recruta teria reclamado de mal-estar, tendo sido encaminhado ao Departamento Médico do Exército no local, que o liberou para retornar às atividades.
Ainda de acordo com o relato de pessoas próximas ao recruta, ele teria dito que também reclamou em outras ocasiões de desconforto físico.
O grupo militar retornou a Fortaleza em 10 de abril. Quando guardava os equipamentos no 23º Batalhão de Caçadores (23 BC), Igor teve outro mal-estar e foi socorrido ao Hospital.
Na unidade, ficou internado sob observação, tendo sido levado à Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Na tarde de 13 de abril, uma semana após o início das atividades em Penedo, Igor teve seu quadro clínico agravado. Ele não resistiu e morreu.
Segundo a família do jovem recruta morto, uma das suspeitas é que Igor tenha contraído a síndrome conhecida como Rabdomiólise, em que há degeneração muscular e insuficiência renal no paciente (ver quadro). Os parentes dizem aguardar o resultado do laudo, cuja promessa foi de 70 dias após a morte, para entenderem o que de fato aconteceu com Igor.
Liberado
O Exército garante que forneceu todo o suporte necessário ao jovem tanto durante a estadia em Maranguape quanto após a emergência médica por ocasião do mal-estar no 23 BC. "Ele apresentou melhora e a equipe médica percebeu que o recruta tinha condições de continuar nas atividades", disse o Exército, por meio da Assessoria de Imprensa da 10ª Região Militar.
Conforme os militares, o laudo médico com a causa da morte do recruta ainda não foi finalizado. "Uma sindicância foi aberta para apurar o que aconteceu no acampamento e, juntamente com o resultado do laudo, chegar a uma resposta definitiva".
Ainda através da Assessoria de Imprensa, o Exército Brasileiro explicou que as atividades físicas são as mesmas nos Batalhões espalhados em todo o País.
"O treinamento é gradual e estava compatível com o que o recruta já vinha vivenciando dentro do quartel. A marcha é uma atividade de rotina, prevista no Manual de Instrução e acontece em todo o Exército", frisou.
O EB ressaltou que também tem acompanhado o momento junto à família do jovem. "A família está sendo assistida. Todos os integrantes do Exército Brasileiro estão consternados com a perda trágica de um jovem no exercício do dever. É algo irreparável", afirmou.
Controvérsia
Amigos de Igor afirmam que o jovem teria morrido de Rabdomiólise. O Exército, porém, diz que não é possível afirmar que Igor tenha contraído a síndrome. "Aguardamos os laudos para podermos indicar com segurança qual a real causa da morte do recruta", informou.
No último dia 12, em matéria publicada no caderno Vida, do Diário do Nordeste, o especialista em medicina esportiva, Dr. Marcus Vinicius Strozberg, alertou para o fato que a sobrecarga de exercícios físicos pode desenvolver uma série de problemas.
"A grande questão é que, quando não há o repouso suficiente, a resposta do organismo fica ruim, pois o organismo não compensou. Então, o que acontece é que ele treina novamente e exige mais do físico. Numa situação de overtraining, tudo começa a piorar. A massa muscular e a velocidade de resposta, em vez de aumentar, diminuem e a pessoa treina ainda mais para melhorar a performance e ocorre o contrário, piora", justifica.
Fique por dentro
Rabdomiólise é degeneração do músculo
Conforme artigo da pesquisadora Priscilla M. Clarkson, da Universidade de Massachusetts, EUA, a rabdomiólise é uma síndrome causada pelo exercício físico excessivo não rotineiro. Os sintomas incluem dor muscular e fraqueza. Com a degeneração do músculo, mioglobinas são lançadas na corrente sanguínea, junto com enzimas e outros componentes musculares.
Em casos raros, a alta concentração de mioglobina pode sobrecarregar os rins e causar insuficiência renal. Conforme a pesquisa de Clarkson, a síndrome causou o óbito de alguns jovens, aparentemente saudáveis, inclusive, após treinamentos militares nos Estados Unidos
Levi de Freitas/João Neto
Repórter/Colaborador