quinta-feira, 29 de julho de 2010

Profissão Vigilante

fotos_10070905Vigilante é a denominação para a profissão dentro do ramo de Segurança Privada.
Vigilante é um profissional especializado em segurança, que a legislação conceitua como sendo “pessoa adequadamente preparada”, para o exercício da atividade de segurança de estabelecimentos financeiros, comerciais, residências, condomínios, etc. Os vigilantes também são considerados como uma extensão de segurança Pública (Força Auxiliar).
A profissão de Vigilante é fiscalizada e autorizada pela Policia Federal.
Para exercer a função de vigilante é necessário fazer um curso de formação de vigilantes em uma academia autorizada.

Modalidades do Vigilante

Existem 4 Modalidades Ligadas a Prófissão de Vigilante.
Patrimonial - Responsável pela segurança de um Estabelecimento , Condôminio , Residência , Fábrica , Banco e etc. Seu campo de atuação é somente pelo local o qual faz a segurança , tendo como limite somente os mesmos.
Escolta Armada - Responsável pela segurança durante um deslocamento de uma carga ou bem , como Cargas do tipo Alimentícias , Eletrodomésticos , Eletrônicos , Remédios ,Cigarros , Obras de Arte , Peças Industriais , Jóias e etc. Seu campo de atuação é público sendo determinado um perímetro determinado móvel da carga como limite.
Transporte de Valores - Responsável pela segurança de transporte e manejo de valores como dinheiro , moedas ,cartões , documentos confidenciais e financeiros. Seu campo de atuação é público tendo como limite o perímetro do carro forte e o local aonde será entregue os valores.
Segurança Pessoal - Responsável pela segurança de pessoas (Os chamados VIPs, Executivos , Políticos e Autoridades) . Seu campo de atuação é Publico tendo como limite o perímetro móvel a Pessoa Protegida.

terça-feira, 13 de julho de 2010

As mais lindas e eficientes armas!

Talves já seja hora de começar a escolher a sua arma!

Minha opinião

Os profissionais  vigilantes são bem treinados talves mais que os proprios policiais visto que os vigilantes ha cada 2 anos tem que fazer; reciclagem para renovar o seus cursos, sem contar os exames que são exigidos pelas empresas. O vigilante tem capacidade de portar uma arma de fogo dentro e fora do seu posto de serviço, Eu já tenho mais de vinte anos de experiencia na função se com esse tempo de serviço e conhecimento da função eu não puder usar uma arma particular então do que valeu todas as instruções que recebi ao longo da minha carreira de vigilante?

Luta do vigilante contra ladrão de banco


sexta-feira, 2 de julho de 2010

Polícia Federal alerta empresas de segurança

A Polícia Federal de Ponta Grossa deverá lançar uma campanha de alerta às companhias de segurança privada que estão operando sem os requisitos propostos por lei. A linha será educativa em um primeiro momento, mas, a partir das recomendações, se não forem cumpridas, o curso do trabalho será de repressão, alerta o delegado-chefe da delegacia, Jonathan Trevisan Filho. "Não queremos impedir o trabalho de ninguém. Entretanto, queremos que ele seja segundo as normas", diz.
As empresas de segurança privada devem ser registradas na Polícia Federal e seus funcionários operacionais vigilantes com curso disciplinado pelo Governo Federal. "Os vigilantes precisam, além do curso, manter-se preparados, com reciclagens semestrais, treinos de tiro, avaliação psicológica, entre outras providências", elenca o delegado.
O Trevisan Filho declara que não adianta a empresa tentar driblar as regras para ter menores custos se não vai apresentar resultados que dêem confiança aos clientes. A contratação de uma pessoa que não é vigilante pode ser prejudicial. "Sem uma avaliação psicológica, o empregador arrisca-se a ser ‘pavio curto’ em seu quadro", comenta o federal. Para ilustrar, o delegado cita o episódio em que o funcionário de uma empresa de vigilância particular discutiu com um jovem residente no condomínio em que se encontrava de serviço e atirou, matando-o. "Com um funcionário regularizado, um vigilante na acepção do termo, o risco de um acontecimento dessa natureza é quase zero", salienta.
Segundo o presidente do Sindicado dos Vigilantes de Ponta Grossa e Campos Gerais, Nilson Ribeiro, levantamentos realizados pela entidade apuraram que existem cerca de 20 empresas trabalhando irregularmente na cidade. "Temos esse número, mas desde o levantamento até agora, outras empresas entraram no mercado. Acredito que já esteja bem superior a 20", informa Ribeiro.
Como dificilmente as empresas clandestinas contratam vigilantes credenciados, cerca de 400 deles entre os 1200 dos Campos Gerais estão desempregados. "Nós temos 1200 vigilantes credenciados em Ponta Grossa e região, mas o número dos que exercem irregularmente a profissão é de quase o dobro", destaca o sindicalista.
Nilson Ribeiro esteve reunido com o delegado Jonathan Trevisan há poucas semanas, ocasião em que apresentou toda a situação àquela autoridade. "A Federal em Ponta Grossa certamente acabará com todo esse quadro envolvendo a segurança privada", finaliza.

Segurança privada cresce com Copa na África do Sul

A realização da Copa do Mundo na África do Sul fez com que muitos turistas e os organizadores do torneio buscassem esquemas próprios de proteção. Quem ganhou com isso foram as empresas de segurança privada no país.
Empregados dessas companhias estão espalhados pelos locais mais frequentados por turistas em toda a África do Sul. Em Joanesburgo, eles estão em shopping, nas proximidades de estádios e 24 horas por dia dia em portões de hotéis.
São tantos que, somados, compõem um número quase dez vezes maior do que o de policiais sul-africanos oficialmente encarregados da segurança do país.
Enquanto a polícia da África do Sul afirma ter 44 mil policiais a seu serviço, a Aliança da Indústria da Segurança (SIA, na sigla em inglês) diz empregar formalmente 395 mil pessoas.
Segundo o presidente da SIA, Steve Conradie, esse número ainda não considera as contratações feitas justamente para a Copa. “Não posso precisar quantas pessoas foram empregadas, mas com certeza o Mundial gerou muitas contratações”, disse ele.
Conradie confirma também que a Copa trouxe lucros. Segundo ele, as 4 mil companhias de segurança do país faturam cerca de R$ 11 milhões por ano normalmente. Em 2010, porém, essa quantia deve crescer. “Só saberemos o valor depois da Copa. São muitas empresas e diversos setores”, afirmou Conradie. “Podemos dizer que a Copa será muito benéfica.”

PEC 300: mobilização 6 e 7 de julho

Nos dias 6 e 7 de julho haverá convocação de todos os parlamentares para se votar propostas antes do recesso. Vaccarezza tentará impor o pré-sal antes da PEC 300 para esvaziar a sessão depois de votada a matéria de interesse do governo. Cabe a todos nós mobilizarmo-nos no sentido de alertarmos aos nossos parlamentares nos estados a se fazerem presentes, tanto quanto solicitarem a inversão de pauta. Vota-se primeiro a PEC 300 e depois o pré-sal. A nossa presença nesses dias é imprescindível pois fará a diferença, como sempre fez.

Apesar de líder do governo anunciar volta da PEC 300, parlamentares desconfiam

Como parte das promessas feitas aos operadores de segurança, o líder do governo na Câmara dos Deputados, Cândido Vaccarezza (PT-SP), afirmou que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) n° 300/08 deve ser votada ainda na próxima semana, logo após a votação da partilha do Fundo Social do Pré Sal. Os defensores da proposta, no entanto, acreditam que a votação vai ser protelada ainda por mais tempo. Saiba mais

DEPUTADO PPAES DE LIRA COMENTA DECISÃO DA SUPREMA CORTE AMERICANA

O Deputado Federal Paes de Lira comentou nesta terça(29), a sentença histórica da Suprema Corte dos Estados Unidos que confirmou a validade nacional da 2ª Emenda da Constituição daquele país, que estabelece o direito do cidadão portar e possuir armas. A decisão impede que estados e municípios americanos intervenham nessa questão por se tratar de um direito constitucional. O parlamentar contestou que aqui no Brasil esse direito não prevalece, contrariando o que foi decidido pela população no referendo de 2005. Para Paes de Lira o Estatuto do Desarmamento permanece uma lei draconiana e que atinge o cidadão de bem, que apenas quer defender o seu lar e a sua família. Paes de Lira também destacou que o resultado do referendo brasileiro serviu para o mundo inteiro, pois impediu que o mesmo instrumento democrático, que previa o desarmamento da população, fosse realizado na Argentina, Suiça, e nos Estados Unidos. O Deputado Paes de Lira chamou a atenção dos demais parlamentares para que o Estatuto do Desarmamento seja reformado no que ele tem de ruim e que assegure ao cidadão de bem o direito à legítima defesa.


 http://www.youtube.com/watch?v=bshieH7sApI