sábado, 30 de abril de 2011

Olha ai o Novo Piso Salarial do Vigilante 2011


Pisos Salarials nacionais dos Vigilantes Privados do Brasil 2011


ESTADO--------------------------------Valor em R$

BRASÍLIA_____________________1.259,71

PARANÁ______________________996,00

MINAS GERAIS________________ 964,45

SÃO PAULO___________________909,12

AMAPÁ_______________________867,30

RIO GRANDE DO SUL____________837,00

RIO DE JANEIRO________________800,00

RIO GRANDE DO NORTE__________794,17

ESPIRÍTO SANTO_______________777,00

SANTA CATARINA_______________769,06

TOCANTINS___________________764,00

GOIÁS_______________________763,62

PARÁ________________________761,26

MATO GROSSO DO SUL__________726,40

PIAUÍ________________________724,38

CEARÁ_______________________712,32

ACRE________________________682,63

RONDÔNIA____________________681.52

MARANHÃO____________________670,23

AMAZONAS____________________654,00

MATO GROSSO_________________653,40

BAHIA________________________638,00

PERNAMBUCO__________________607,29

PARAÍBA______________________596,38

ALAGOAS______________________572,16

SERGIPE______________________585,91

RORAIMA______________________517,88

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Falsos vigilantes arrombam caixa eletrônico da Casa da Cidadania

Três homens disfarçados de vigilantes entraram na madrugada na Casa da Cidadania no bairro de Jaguaribe, em João Pessoa e arrombaram o caixa eletrônico. O fato aconteceu por volta das 02h30 da madrugada.
De acordo com o delegado Marcos Vasconcelos, que estava de plantão na Delegacia de Cruz das Armas, os bandidos entraram no local pelo telhado e desceram por uma corda levando o maçarico, o cilindro de oxigênio e outras ferramentas.
Eles arrombaram o caixa eletrônico do banco Santander e no momento da ação, o alarme disparou na empresa de segurança. O vigilante veio de moto até o local e quando mexeu na porta para ver o que estava acontecendo foi visto pelos bandidos que começaram a atirar contra ele. O vigilante subiu na moto e foi embora e imediatamente acionou a Polícia Militar.
Uma viatura foi acionada, mas quando os policiais chegaram ao local os bandidos já tinham ido embora levando todo o dinheiro do caixa eletrônico. Os PMs entraram na Casa da Cidadania e perceberam que o equipamento tinha sido arrombado com o uso de um maçarico.
As ferramentas usadas pelos bandidos para abrir o caixa eletrônico foram deixados no local e agora serão periciados. O delegado Marcos Vasconcelos disse que ainda não dizer quanto foi roubado do caixa eletrônico porque ainda não foi procurado pelo banco.

Copa do Mundo vai gerar 50 mil vagas para vigilantes


 A escolha do Rio como uma das cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 não é só um prato cheio para os amantes do futebol. É também sinônimo de oportunidades. Nesse contexto, um setor se destaca: o de segurança privada. Mais de 50 mil profissionais devem ser empregados em todo o país. No Rio, esse número pode chegar a 18 mil.
O aumento da demanda é uma exigência do Comitê Olímpico Internacional (COI), que prevê que, em cada estádio, aproximadamente três mil vigilantes sejam responsáveis pela segurança. Eles serão treinados para atuar em conjunto com as polícias Federal e Militar.
De acordo com o Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado do Rio (Sindesp-RJ), nos últimos três anos, a demanda por vigilância particular no estado tem crescido em torno de 15% a 20% ao ano:
Ainda segundo o presidente do Sindesp-RJ, Frederico Crim Câmara, a expectativa é que o mercado continue se expandindo, mesmo depois da Copa.
— Com a Copa e as Olimpíadas, o Rio deve fortalecer seu turismo. O serviço de vigilância está num momento de excelentes perspectivas e não deve estagnar tão cedo — defende Frederico Crim Câmara.
Atualmente, o salário de um vigilante varia de R$ 800 a R$ 2.500, dependendo de seu grau de especialização. Os profissionais precisam ser certificados e reciclados a cada dois anos. No estado, há 12 cursos credenciados pela Polícia Federal e pelo Ministério da Justiça.
 Extensão é diferencial
 Segundo o coordenador do Alcancy Curso de Formação de Vigilantes, Daniel Antônio Toledo, mais do que a preparação técnica e operacional, o mercado de segurança exige formação cada vez mais abrangente, com ênfase nos treinamentos psicológicos e de atendimento ao público. No caso de eventos internacionais, como Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas de 2016, até o aprendizado de um novo idioma pode ser um diferencial.
— Damos treinamento para profissionais lidarem com pessoas e com os equipamentos mais modernos do mercado. Não basta formar vigilantes, mas profissionais completos de segurança — diz.
Foi em busca de satisfação pessoal e com a expectativa de bons salários que Aurélio Pereira Martins, de 33 anos, abandonou o emprego como analista de sistemas para ingressar no mercado da segurança particular. Além da formação básica de vigilante, ele está fazendo diferentes cursos de extensão na área:
— Para entrar no mercado, é preciso se qualificar. Já penso na demanda da Copa e das Olimpíadas e, por isso, estou me preparando ao máximo.
http://extra.globo.com

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Atitude violenta preocupa sindicato e leva agredido a passar por cirurgia

Fonte: Correio do Estado - LAíS CAMARGO
Ainda dentro da loja, Márcio Antônio de Sousa, 33 anos, foi abordado por um vigilante por aparentemente estar furtando um ovo de Páscoa. Ele foi levado à sala da gerência e lá foi espancado pelo funcionário da empresa privada que faz a segurança da loja, vindo até a passar por cirurgia no nariz hoje, na Santa Casa. O fato aconteceu no sábado (23) e reascendeu discussões dentro da categoria dos vigilantes, que seriam treinado apenas para abordagem, mas também têm de se adequar às normas da empresa contratante.
Márcio havia comprado os ovos em outro estabelecimento e estava apenas cortando caminho por uma loja de departamentos na Capital.
Celso Adriano Gomes é presidente do Seesvig (Sindicato dos Vigilantes de Campo Grande e Região) e procurou a loja onde ocorreu a agressão, que não quis informar o nome do vigilante e nem se pronunciar sobre o acontecido. “Nós somos treinados apenas para abordagem, não para agressão. Hoje temos 16 dias de curso, são 160 horas aula. Temos formação de defesa pessoal, direitos humanos, direito penal e um curso de 76 tiros de armamento 38. Além disso temos a cada dois anos uma reciclagem de mais 30 horas aulas e 40 aulas de tiro”, pontua Celso Adriano.

No Rio TRT julga dissídio dos vigilantes até 6ª


Fonte: Redação da Rede Brasil Atual
Na quinta semana de paralisação, sindicato da categoria acusa agências bancárias de abrir com somente um vigilante de plantão
O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Rio de Janeiro deve julgar o dissídio coletivo dos vigilantes até a próxima sexta-feira (29). A Justiça recebeu as defesas dos sindicatos dos municípios do Rio de Janeiro que continuam em greve de vigilantes nesta semana. Cabe ao TRT estabelecer o índice de reajuste dos cerca de 50 mil vigilantes do estado, que reivindicam 10% de reajuste.
Apesar da paralisação, iniciada em 23 de março em Campos dos Goytacazes, algumas agências bancárias decidiram abrir as portas mesmo com a permanência de apenas um ou nenhum vigilante por meio de liminar da Defensoria Pública acatada pela 1ª Varal Cível. A atividade contraria decisão do desembargador do TRT, Carlos Alberto de Araújo Drummont, que determinou que fossem mantidos 30% dos vigilantes operando internamente.
A medida foi comunicada pela Federação Estadual dos Vigilantes (FEV) à Polícia Federal com o objetivo de reforçar a fiscalização dos bancos. Segundo o Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado do Rio de Janeiro (Sindesp-RJ), as agências bancárias que desacatarem a decisão judicial de funcionarem plenamente terão que pagar R$ 10 mil por dia.
Em nota, o Sindicato dos Vigilantes no Município do Rio de Janeiro (Sindvig) ressaltou que as agências bancárias em operação sem segurança colocam em risco os clientes e funcionários. "De acordo com a Lei Federal 7.102/83, que regula a segurança bancária, os bancos só podem abrir se tiverem no mínimo dois vigilantes", lembra a nota.
O Sindivg critica as empresas por oferecerem 1,5% de aumento real. O Sindesp-RJ sustenta que um acordo publicado no Diário Oficial em 25 de fevereiro garantiu 14,62% de aumento, "o maior reajuste da categoria no país".