segunda-feira, 30 de julho de 2012

Tropas policiais ocupam seis bairros de Fortaleza em resposta ao crime


SEGURANÇA PÚBLICA
A ordem partiu da Secretaria da Segurança. Nestas áreas, gangues de traficantes disputam o comércio das drogas
Seis bairros de Fortaleza, das zonas Leste, Oeste e Sul, estão sob ocupação da Polícia Militar. A determinação partiu da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). O objetivo da presença da tropa armada nestas comunidades é reprimir com firmeza a ação de traficantes de drogas e gangues armadas que vêm produzindo uma escalada de medo e sangue. Assassinatos de ´encomenda´, por ordem do tráfico, e embates armados entre as quadrilhas têm deixado muitas vítimas.



Exemplo disso foi o que aconteceu há duas semanas, quando uma criança de um ano e nove meses de vida, a pequena Ana Alice Castro Marcelino, foi baleada na cabeça e morreu três dias depois. O episódio ocorreu na Favela do Plástico, no bairro Antônio Bezerra, na Zona Oeste.

Atenção
Assim como no Antônio Bezerra, os outros bairros que agora são ´alvo´ da investida da Polícia são, o Pirambu, Barra do ceará, Praia do Futuro, Edson Queiroz e Messejana. É para estas comunidades que estão voltadas as atenções da PM com maior mobilização. Tropas do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque), Batalhão de Operações de Ações Intensivas e Ostensivas e (BpRaio) e setores da Inteligência da própria SSPDS e das respectivas companhias de áreas, estão sendo empregadas nas ações supervisionadas pelo Comando do Policiamento da Capital (CPC) e pelo próprio Comando Geral da PM. A determinação é expressa e foi dada pelo secretário da Segurança, coronel Francisco José Bezerra.

A Editoria de Polícia do Diário do Nordeste montou, com base nos registros da Polícia, um mapa das áreas que, atualmente, são consideradas críticas em termos de criminalidade, tudo em decorrência da ação dos traficantes de drogas e dos confrontos quase diários entre as gangues.

No Antônio Bezerra, por exemplo, são dois grupos rivais que, nas últimas semanas, trocaram tiros e causaram, pelo menos, três mortes, além de deixar vários feridos. A intriga envolve os traficantes e gangueiros das favelas do Plástico e do Sossego, localizadas a menos de 150 metros uma da outra.

Em resposta pelo sequestro e morte do traficante Paulo Sérgio Marcelino da Silva, morador da Favela do Plástico (levado de casa por falsos policiais e executado em Caucaia), no fim de junho último, seus comparsas invadiram a Favela do Sossego no dia 19 último, e mataram o adolescente Dênis Cavalcante, 15. A vingança, porém, veio rapidamente. No dia seguinte (20), a gangue do Sossego se armou e atacou a do Plástico, disparando tiros indistintamente contra os moradores.

Além de assassinar o adolescente Igor Rocha da Silva, 16 (que seria um dos matadores de Dênis), os bandidos balearam quatro pessoas, entre elas, a pequena Ana Alice, que morreu no IJF-Centro no dia 22).

Segundo o comandante do 5º BPM, tenente-coronel Francisco Souto, as operações no Antônio Bezerra e nas demais comunidades consideradas críticas ocorrem diariamente. Em apoio às companhias das respectivas áreas, patrulhas do Comando Tático Motorizado (Cotam), do Canil, BpRaio e da Força Tática de Apoio (FTA) auxiliam as equipes do Ronda do Quarteirão e do Policiamento Ostensivo Geral (POG), que fazem o patrulhamento diário.

Outras áreas

No bairro Edson Queiroz, são as gangues do Gelo e do Coqueiro que eternizam uma rivalidade que já produziu muita violência, com ´baixas´ de ambos os lados. O mesmo acontece na área próxima do Conjunto São Miguel, em Messejana, onde traficantes das comunidades do Coqueirinho e da Mangueira vivem em constante embates. Na zona Oeste de Fortaleza, mais dois bairros causam preocupação e mobilizam a PM, Barra do Ceará e Pirambu.

´Território da Paz´ ainda é motivo de preocupação
O ´Território da Paz´, área constituída por cinco bairros na área do Grande Bom Jardim (Bom Jardim, Granja Lisboa, granja Portugal, Siqueira e Canindezinho) ainda é um dos principais bolsões da violência na Grande Fortaleza. Desde que foi implantado o programa federal para o combate aos índices da criminalidade, a Polícia Militar tem feito um trabalho de constante policiamento naquele setor.

No entanto, a ação de traficantes de drogas insiste em desafiar o Poder Público e os números da violência ainda são preocupantes. Conforme levantamento feito pelo Diário do Nordeste, do começo do ano até ontem, pelo menos 88 pessoas foram mortas naquela região da Capital cearense. No ano passado, foram 126 homicídios, contra 178 em 2010. Portanto, em dois anos e sete meses, nada menos que, 392 pessoas foram mortas no ´Território da Paz´. Entre 2010 e 2011, segundo dados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), houve uma forte redução da violência nas estatísticas gerais dos crimes ali registrados.

Programa

Mas, além do incremento do trabalho de prevenção e repressão das forças policiais, o programa federal ´Territórios da Paz´ visa também o oferecimento de alternativas para que a população tenha ferramentas sociais e educativas para tirar sua juventude das garras do tráfico.

O programa é uma parceria do Governo Federal, através do Ministério da Justiça, com os governos estadual e municipal. As escolas públicas são parceiras deste trabalho social.

Zona Oeste é a área de maior violência
Nas últimas semanas, a Polícia Militar tem voltado sua atenção especialmente para a zona Oeste de Fortaleza. O tráfico de drogas e a presença de bandidos armados tem abalado a vida de centenas de fortalezenses residentes nos bairros Pirambu, Vela Velha, Goiabeiras, Pirambu, Cristo Redentor, Colônia, Jardim Iracema e Barra do Ceará.


A Polícia Militar está agido sem trégua nos bairros Antônio Bezerra, Barra do Ceará, Goiabeiras e Pirambu devido aos recentes episódios de violência que deixaram várias pessoas mortas ou feridas durante tiroteios FOTO: KIKO SILVA

Diante disso, operação foram desencadeadas pela PM com o auxílio até de helicópteros da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer). No fim do mês de junho, foi decidido pelas autoridades que a Corporação iria ocupar, especificamente, a Favela do Gueto, na Barra do Ceará; e o Morro de São Thiago, nas Goiabeiras.

Gangues
Uma das situações mais complicadas que a Polícia vinha enfrentando era na Favela do Gueto, um conjunto de prédios abandonados localizado na Avenida Francisco Sá, na Barra do Ceará, onde, nos anos 80, funcionou uma indústria de confecções.

Hoje, a área está invadida por dezenas de famílias sem-teto. Além de centenas de casebres que foram erguidos em volta dos prédios abandonados, a própria estrutura da antiga fábrica vinha servido como esconderijo para os traficantes e assaltantes.

O comandante-geral da PM, coronel Werisleik Ponte Matias, afirma que, como o prédio tem estrutura vertical, com vários pavimentos, os ´olheiros´ dos traficantes ficavam à espreita e via quando a Polícia se aproximava.

"Daqui de cima eles tinham uma visão privilegiada e sabiam quando as viaturas estavam se aproximando. Então, o aviso era dado e os traficantes conseguiam fugir ou se esconder", disse o oficial no dia em que comandou, pessoalmente, a ´invasão´ tática da PM no Gueto.

Em incursões realizadas diariamente, policiais da 3ª Companhia do 5º BPM (Pirambu) chegaram até a ter que desmontar barricadas feitas com sofás velhos, pedras, paus e latas para impedir a entrada das viaturas e motocicletas.

Goiabeiras

Não muito distante dali, nas Goiabeiras, o tráfico de drogas também vem produzindo muito muita violência.

São bandidos divididos em duas gangues denominadas de ´Ratos da Barra´ e ´Diabos do Polo´, que disputam o território da venda de entorpecentes.

Os constantes tiroteios já deixaram um saldo de, pelo menos, 15 mortos desde o começo do ano. Um dos fatos mais graves ali aconteceu na tarde do dia 14 de abril último, quando ocorreu uma chacina na Rua Santo Antônio, bem próximo do Morro de São Thiago.

Numa intensa troca de tiros, morreram os jovens Ronaldo Vieira da Silva, Valdir Felipe Freitas de Oliveira e Felipe Almeida dos Santos. Os dois últimos eram adolescentes e ambos tinham 17 anos de idade. Desde a ocupação da PM, os tiroteios diminuíram e vários bandidos armados acabaram capturados.

Duas gangues espalham o terror na Barra do CE
A disputa entre duas gangues tem deixado a população das Goiabeiras refém do medo. São dois grupos que se intitularam de ´Ratos da Barra´ e ´Diabos do Polo´, que brigam pelo território da venda de drogas. Neste ano, já ocorreram 51 homicídios na área da Grande Barra do Ceará e, pelo menos, 15 desses crimes estão ligados diretamente a esta disputa de criminosos.

O último corpo resultante dessa ´guerra´ apareceu na manhã da última sexta-feira, quando a Polícia foi acionada por moradores para ir até o Morro de São Tiago e ali se deparou com um cadáver. Era de um jovem identificado como Lucivaldo Ferreira da Silva, conhecido pelo apelido de ´De Menor´.

Segundo a própria família dele, Lucivaldo era usuário de drogas (pedras de crack) e estava devendo a traficantes do bairro. Como não pagou a dívida, acabou sendo levado para o alto do morro e morto a tiros e facadas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário