A Polícia Civil afirmou que o grupo chegou ao hospital em duas motocicletas e em um carro de modelo Gol erendeu o policial militar e o guarda municipal que faziam a segurança da unidade.
Os homens foram atrás de João Vaz  Sousa Neto, que estava internado por ter sido baleado na pernaao sofrer outro atentado na noite de terça. Ele é acusado de vários homicídios no bairro Bom Jardim.
Durante a ação, funcionários do hospital acionaram a polícia, que conseguiu impedir o assassinato. O grupo, porém, conseguiu fugir, levando o guarda municipal como refém, mas ele foi logo liberado, segundo a Polícia Civil.
Após a ação, João Neto foi transferido para o Instituto Doutor José Frota (IJF) e está internado com a proteção de uma forte escolta policial.