quarta-feira, 31 de julho de 2013

INVESTIGAÇÃO

Elucidada morte de professor

Após sete meses de investigações, a Polícia Civil esclareceu a morte do professor José Raimundo de Gustavo Braga Filho, 54, ocorrida na noite do dia 5 de dezembro de 2012, no distrito de Capuã, em Caucaia. Os seis suspeitos do crime foram presos por ordem da Justiça. Os inspetores da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) constataram que o professor foi vítima de um latrocínio (roubo seguido de morte).
Francisco Igor de Sá Ribeiro, segundo a Polícia Civil, planejou toda a trama criminosa 
Iranilson Gonzaga da Silva, assim como os demais suspeitos, teve prisão preventiva decretada pela Justiça
Antônio Giscardson Silva Sá foi um dos primeiros a ser identificado como envolvido no crime de latrocínio
Fredson Medeiros de Araújo Júnior participou diretamente da execução do professor em Capuã, Caucaia
Francisco Sérgio de Araújo Firmino Júnior também foi indiciado nas investigações que duraram 7 meses
Daniel Nascimento Lira Júnior e seus comparsas foram transferidos, ontem, da DHPP para a Delegacia de Capturas fotos: divulgação/DHPP


Diante das provas obtidas pela Polícia, os seis acusados, Francisco Igor Sá Ribeiro, 22; Daniel do Nascimento Lira Júnior, 21; Fredson Medeiros de Araújo Júnior, 19; Antônio Giscardson Silva Sá, 23; Francisco Sérgio de Araújo Firmino Júnior, 19; e Iranilson Gonzaga da Silva, 26; tiveram as prisões preventivas decretadas.

Eles foram indiciados pelos crimes de latrocínio, extorsão, formação de quadrilha, receptação e ocultação de cadáver. Todos moram no bairro Parque Guadalajara, em Caucaia.

Tráfico
Durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão e de prisão, os policiais da DHPP, comandados pelo delegado Fábio Torres, presidente do inquérito, encontraram na residência de Sérgio Firmino Júnior 25 pedras de crack prontas paro comércio. Ele é apontado como autor do tiro que atingiu a cabeça da vítima. Por causas da droga, ele foi autuado por tráfico.

O professor Gustavo Braga desapareceu no fim da tarde do dia 5 de dezembro. Pouco depois de 19 horas, o carro da vítima foi deixado em uma praça nas proximidades de um shopping center localizado no bairro São Gerardo. O diretor da DHPP, delegado Rodrigues Júnior, informou que os indícios apontaram que a vítima foi assassinada entre 18 e 19 horas daquele dia. O laudo pericial apontou que Gustavo Braga Filho foi assassinado com requintes de crueldade. No dia do crime, a vítima e quatro acusados foram vistos em uma churrascaria. Depois eles seguiram em direção a Caucaia. Já naquela cidade, foi anunciado o assalto.

Eles pediram dinheiro e os cartões de crédito e bancários. O professor foi muito espancado, para poder fornecer as senhas dos cartões. Gustavo Braga foi amarrados com cordões de punho de rede. O motivo de os acusados terem tirado a vida da vítima deveu-se ao fato de todos serem conhecidos. O crime teria sido arquitetado por Igor Ribeiro juntamente com seu comparsa Iranilson Gonzaga. 

Paciente é morto a tiros no pátio do IJF

Redação Web 

Homem era colocado na maca quando foi alvejado

Um homem foi morto com três tiros na cabeça no pátio do Instituto Dr. José Frota (IJF), em Fortaleza, no início da tarde desta quarta-feira (31). Antônio Edson Justino de Lima, 19, foi alvejado quando recebeu alta médica no hospital.
Adolescente alegou vingança. FOTO: JL ROSA
Antônio havia sido internado no último dia 28 com uma bala alojada no quadril. Ele foi submetido a cirurgia, e recebeu alta no final da manhã. O homem era transportado de maca pelo pátio, acompanhado pela mãe e por um maqueiro, em direção à ambulância que o levaria de volta para casa. Foi quando um adolescente que estava na calçada pulou a grade e efetuou os disparos, acertando a vítima na cabeça. O jovem, de apenas 16 anos, foi apreendido pelos seguranças e por Policiais Militares que trabalham no hospital. Em suas mãos estava um revólver calibre 38, com numeração raspada.
De acordo com os seguranças, o adolescente alegou vingança, justificando que Antônio já havia matado dois familiares seus - um irmão e um primo.
O adolescente foi encaminhado à Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) e o corpo de de Antônio, levado ao Instituto Médico Legal (IML).

Operação prende bandidos e armas

BANCOS
As polícias Civil e Militar continuam em diligências no Maciço de Baturité na tentativa de localizar a quadrilha responsável pelos dois ataques a bancos ocorridos naquela região do Interior cearense nos últimos cinco dias. Até a noite passada, as operações de cerco e de investigação continuavam e oito pessoas estavam detidas, além da apreensão de diversas armas de fogo.

Fuzis, escopetas, pistolas e revólveres, além de munição e artefatos explosivos foram encontrados pela PM no cerco no Maciço de Baturité FOTO: NAVAL SARMENTO
As diligências entraram pela madrugada de hoje, mobilizado equipes da Polícia Militar, através do Policiamento ostensivo geral da 2ª Companhia do 4º BPM (Baturité), Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), Comando Tático Rural (Cotar) e da Coordenadoria de Inteligência (Coin) da Secretaria da segurança Pública e Defesa Social. Ainda na noite passada, o delegado Romério Moreira de Almeida, titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) informou à Reportagem, por telefone, que o trabalho de investigação continuava na região e já havia alguns suspeitos identificados. Os nomes, porém, foram mantidos em sigilo pela Polícia.

Por volta das 22 horas, os detidos durante a operação foram encaminhados à DRF, assim como as armas apreendidas, entre elas, fuzis, pistolas e revólveres, além de munição.

Ataques

O primeiro roubo ocorreu na sexta-feira passada contra a agência do Bradesco de Redenção. Na segunda-feira, foi a vez do ´alvo´ ser o Banco do Brasil de Baturité, onde houve explosão dos caixas eletrônicos e do cofre-forte. 

domingo, 28 de julho de 2013

Criminoso sumiu depois de tiroteio

VILA VELHA
Uma mulher, identificada como Juliana de Oliveira Gomes, 18, presa, na noite da última terça-feira, acusada de posse de arma e tráfico de drogas no bairro Vila Velha II, já foi transferida para o presídio. Agora, o trabalho da Polícia tem como objetivo prender o companheiro dela. Trata-se do traficante José Erivan Martins de Paulo, que fugiu, depois de trocar tiros com os PMs do Batalhão Raio (BPRaio).

Policiais do BPRaio mostram a escopeta do traficante que foi apreendida durante a operação chefiada pelo major Teófilo Gomes na zona Oeste FOTO: FERNANDO RIBEIRO
Juliana chegavam em casa, situada na Rua Paulo Rubens, 508, bairro Vila Velha, logo após o marido escapar do cerco.

No imóvel, foram encontradas uma espingarda calibre 12 (escopeta) de repetição, munições, balança de precisão, sacos plásticos para embalar as drogas e a importância de 985 reais, além de fogos de artifício.

Segundo o delegado Barbosa Filho, titular do 7º Distrito Policial (Pirambu), os rojões são usados para avisar a chegada de drogas ou a aproximação da Polícia.

Erivan é considerado bandido de alta periculosidade. Além de tráfico, ele é suspeito de envolvimento em vários crimes de morte registrados no bairro. 

Corpo de policial militar baleado é enterrado neste sábado em Fortaleza

Heyder Fontenele morreu após ser baleado por assaltantes na quinta (25).

Policial estava de folga e tentou evitar um assalto de uma moto.

Do G1 CE
O corpo do policial Heyder Fontenele de Sousa, morto após ser baleado por assaltantes, foi enterrado na tarde deste sábado (27) no Cemitério Jardim Metropolitano, em Fortaleza. Nesta manhã, durante o velório, amigos e familiares prestaram homenagens à vitima. Heyder foi o 12° policial morto em 2013, em Fortaleza. O policial, de 26 anos, estava de folga e fazia parte da equipe do Programa Ronda do Quarteirão, do município de Pacajus.
Ele passava pelo Bairro Ancuri na madrugada desta quinta-feira (25) e foi baleado na cabeça quando tentava evitar um roubo a uma moto. Segundo testemunhas, o policial tentou prender os assaltantes e eles atiraram. A vítima estava em uma caminhonete. A dupla fugiu em seguida.
Heyder ficou internado no Hospital Instituto Dr. José Frota (IJF), teve morte cerebral confirmada pela equipe médica ainda na quinta-feira (25). Na tarde da sexta-feira (26), Heyder teve uma parada cardiorrespiratória. Além de ser policial, a vítima também fazia parte de um grupo que corria em motos esportivas.
De acordo com a Polícia Militar, 12 policiais da ativa foram assassinados no Ceará. Em somente um dos casos, a vítima estava trabalhando. Os demais estavam de folga ou de férias. Para o Comando da Polícia Militar, a morte de Heyder e de outros policiais poderia ter sido evitada se os policiais tivessem tido a mesma postura de quando estavam em serviço. Na maioria das mortes, na abordagens, os policiais estavam sem a cobertura de outros.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Duas agências bancárias são assaltadas no Interior em menos de 12 horas

Redação Web

Ataque mais recente foi ao Banco do Brasil de Redenção

Duas agências bancárias foram assaltadas por quadrilhas até o início da tarde desta quinta-feira (25) no interior do Estado. O ataque mais recente foi ao Banco do Brasil no município de Redenção, a 55 km de distância de Fortaleza.4 homens chegaram em um automóvel Peugeot vermelho, por volta das 12h40 e assaltaram a agência.
Banco do Brasil em Redenção é alvo de assaltantes Foto: Divulgação
Ainda não se sabe precisar a quantia levada pelos assaltantes. Segundo o Comando de Policiamento do Interior (CPI),  o veículo usado para o roubo foi abandonado próximo à CE-060, na localidade Antonio Diogo.
A segunda ação foi no município de Senador Sá. Cerca de 5 homens armados explodiram caixas eletrônicos localizados na agência bancária do Bradesco nesta madrugada. Os bandidos usaram 2 carros para a fuga pela CE-362. Em determinado trecho da rodovia, eles abandonaram um dos veículos e atearam fogo para atrasar a Polícia.

Cliente de barraca de praia é atacado

ORLA
Um turista ficou lesionado ao ser atacado, na tarde de ontem, em uma barraca na Praia do Futuro (zona Leste de Fortaleza). Segundo a Polícia, ele travou luta corporal com um dos criminosos e sofreu arranhões e hematomas pelo corpo, sendo levado para um hospital particular. Na fuga, um dos assaltantes chegou a disparar um tiro para o alto, mas a bala não teria atingido ninguém.

Delegada Adriana Arruda, titular da Deprotur, deu início à investigação e já tem suspeitos FOTO: KLÉBER GONÇALVES

Segundo a titular da Delegacia de Proteção ao Turista (Deprotur), delegada Adriana Arruda, policiais do Ronda do Quarteirão da Praia do Futuro e do batalhão de Policiamento Turístico (BPTur) foram ao local da ocorrência e ouviram o relato dos funcionários da barraca e taxistas que estavam na área.

Buscas
"Tivemos a confirmação de que realmente os assaltantes tentaram roubar os objetos do turista, mas já descobrimos suspeitos e estamos fazendo levantamento a partir das placas do veículo utilizado na fuga", explicou a delegada Adriana Arruda à Reportagem por volta das 19 horas.

Algumas testemunhas informaram também que um dos criminosos fugiu do local em uma motocicleta, sendo acompanhado pelos comparsas que estavam no automóvel. O comandante interino do BPTur, major PM Alberto Rios, confirmou a ocorrência e informou também que não houve ninguém baleado.

"Nosso fiscal de policiamento esteve no local, e conversou com os seguranças da barraca, quando tudo nos foi relatado. Houve um ou dois disparos, mas ninguém foi baleado", informou o oficial à Reportagem.

Segundo o Comando Geral da PM, neste período de alta estação, a zona litorânea da Capital conta com reforço no policiamento desde a Barra do Ceará à Praia do Futuro. 

PM baleado ao tentar impedir roubo

MESSEJANA
O policial militar baleado na noite de quarta-feira, ao tentar impedir um assalto, teve morte cerebral, ontem. O crime ocorreu por volta de 22 horas na Rua Jorge da Veiga, no Parque Santa Maria, em Messejana.
O PM dirigia sua caminhonete L-200 quando foi atingido com um tiro na cabeça disparado pelos assaltantes. O veículo colidiu contra um poste e derrubou parte de um muro. No local, foi apreendida uma moto usada pelos ladrões fotos: naval sarmento 
O soldado PM Heyder Fontenele de Sousa, 26, destacado no Ronda do Quarteirão da cidade de Pacajus (49Km de Fortaleza), permanece no Setor Risco Um do Instituto Doutor José Frota, Unidade Central (IJF).

De folga 
O militar seguia para a residência de familiares dirigindo seu veículo particular, uma caminhoneta modelo L-200, preta, quando se deparou com a cena de uma assalto. Dois bandidos que estavam em uma motocicleta tentavam atacar uma mulher que também estava em veículo similar. Mesmo estando de folga e à paisana, o soldado decidiu impedir o crime, mas ao se aproximar dos criminosos, um deles disparou dois tiros.

Próximo do local do crime uma patrulha do BPRaio localizou a arma que os bandidos jogaram na fuga 

Uma das balas atingiu a cabeça do policial. A caminhoneta se desgovernou, derrubou um poste de iluminação pública e, em seguida, atingiu um muro. O soldado Souza foi socorrido por colegas de farda para o Frotinha de Messejana e, cerca de uma hora depois, transferido numa ambulância do Samu para a unidade Central do Instituto Doutor José Frota (IJF-Centro), onde permanece hospitalizado.

Segundo as informações do hospital, o paciente já sofreu morte cerebral. 

Adolescente
Logo após o crime, o supervisor do Comando do Policiamento da Capital (CPC), major PM Ricardo Moura, determinou e comandou um cerco em toda a área da Grande Messejana. Cerca de uma hora depois, um dos suspeitos acabou sendo detido. Trata-se de um adolescente de 16 anos, que, inicialmente, foi levado para o 30º DP (Conjunto Palmeiras) e, depois, encaminhado à Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA). Ele confessou participação no crime, mas alegou que seu comparsa, um maior, foi o responsável pelo tiro que atingiu o policial militar. A bala penetrou no rosto do policial e teria ficado alojada na nuca. 

Arma
Um revólver de calibre 38, com quatro balas intactas e duas deflagradas foi apreendida por uma patrulha do Batalhão Raio (BPRaio) e encaminhada ao plantão do 30º DP. 

terça-feira, 23 de julho de 2013

Morre, aos 72 anos, Dominguinhos em São Paulo

Folhapress 
O cantor, compositor e sanfoneiro Dominguinhos morreu nesta terça-feira (23), aos 72 anos, em São Paulo. O músico estava internado desde 13 de janeiro no Hospital Sírio Libanês. Ele havia entrado em coma irreversível após apresentar um quadro de infecção respiratória e arritmia cardíaca.
Foto: Divulgação

Dominguinhos, que lutava contra um câncer no pulmão, havia começado a fazer hemodiáse após "comprometimento da função renal", de acordo com o hospital. Durante a internação, ele respirava com auxílio de aparelhos e usou um marca-passo para controlar os batimentos cardíacos. 

Em uma de suas últimas apresentações, no dia 13 de dezembro, o artista havia feito show em homenagem ao centenário de Luiz Gonzaga, em Exu, no interior de Pernambuco. 

Músico desde a infância, Dominguinhos foi incentivado por Gonzaga, que o consagrou como herdeiro artístico. 

Padrinho musical

José Domingos de Moraes, Dominguinhos, nasceu em Garanhuns (PE), em 12 de fevereiro de 1941. Começou a tocar e compor aos oito anos, com uma sanfona de oito baixos em feiras livres, para em seguida se profissionalizar com a de 48, 80 e 120 baixos. 

Em 1950, ele conheceu Luiz Gonzaga, que o convidou para conhecer o Rio --o que acabou acontecendo quatro anos depois, quando Dominguinhos tinha 13 anos. Dominguinhos recebeu de seu padrinho musical uma sanfona e passou a tocar, fazer shows, participar das viagens e gravações de seus discos. 

Dominguinhos teve músicas gravadas pelos maiores nome da MPB, como "Eu Só Quero um Xodó (em parceria com Anastácia), grande sucesso de Gilberto Gil, e "De Volta pro Aconchego" (em parceria com Nando Cordel), popularizada na voz de Elba Ramalho. 

Multifacetado 

O pai de Dominguinhos, mestre Chicão, era um famoso tocador e afinador de foles de oito baixos. Começou a tocar sanfona aos seis anos de idade, juntamente com mais dois irmãos, em feiras livres e portas de hotéis do interior de Pernambuco. 

O nome Dominguinhos foi uma sugestão de Luiz Gonzaga, que considerou que o apelido de infância, Neném, não o ajudaria na trajetória artística. 
Em 1957, aos 16 anos, fez sua primeira gravação, tocando sanfona em um disco de Gonzaga, na música "Moça de Feira", de Armando Nunes e J.Portela. 

No mesmo ano, em viagem ao Espírito Santo, com Borborema e Miudinho, formou um trio, batizado de Trio Nordestino. 

Participou do primeiro disco gravado por Elba Ramalho, "Ave de Prata", dem 1979. Em 1980, participou do Segundo Festival Internacional de Jazz de São Paulo. Em 1981, participou, com destaque, do programa "Som Brasil", na TV Globo. 

Na década de 1980, suas composições "De Volta pro Meu Aconchego" e "Isso Aqui Tá Bom Demais", em parceria com Chico Buarque, foram incluídas na novela "Roque Santeiro", da TV Globo, o que fez aumentar sua popularidade. 

Em 1984, Chico Buarque gravou a composição "Tantas Palavras", parceria de Chico e Dominguinhos, que se tornaria outro sucesso.

DENARC IMPEDE SAIDINHA BANCÁRIA

CARLITO PAMPLONA

A equipe da Delegacia de Narcóticos (Denarc) prendeu, na tarde de ontem, uma quadrilha que planejava um assalto do tipo ´saidinha´ bancária, na Avenida Francisco Sá, no bairro Carlito Pamplona. Os levantamentos acerca dos criminosos foram feitos pela equipe da Especializada, que evitou o roubo.

´Chinês´ , Valderson Pinto, Cléssio Pinto e ´ Luquinha´ já estavam em uma praça, nas proximidades da agência do Bradesco, quando foram presos FOTO: BRUNO GOMES
De acordo com o delegado titular da Denarc, Pedro Viana Júnior, as investigações começaram depois de uma denúncia revelando que Phelipe Alisson Gomes Pereira, o ´Chinês´, estava traficando drogas.

No desenrolar da apuração do fato, a Polícia descobriu que o suspeito, que já respondia por roubo, homicídio e receptação, participava de uma quadrilha que iria tentar a ´saidinha´.

Além de ´Chinês´, foram presos Valderson Gonçalves Pinto; seu primo Cléssio Soares Pinto; e Lucas Aguiar Sousa, o ´Luquinha´. Todos já estavam em uma praça, nas proximidades da agência do Bradesco.

Conforme a Polícia, Cléssio era o responsável por entrar no banco e observar quem iria fazer saques. ´Luquinha´ estava armado com um revólver calibre 38, na garupa de uma motocicleta que ´Chinês´ pilotava; e Valderson dava cobertura à ação em um automóvel. O delegado da Denarc disse que eles combinavam trocar de veículo depois do assalto para despistar a Polícia.

A moto Titan, o veículo Celta, e o revólver municiado foram apreendidos e os quatro suspeitos levados para a Denarc. 

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Outra mulher é detida por golpe

CONSIGNADO
Policiais da Delegacia de defraudações e Falsificações (DDF) prenderam mais uma mulher acusada de envolvimento em golpes de empréstimo consignado. Foi a segunda prisão em apenas uma semana. Maria Gisleide Barbosa da Silva, 47, foi detida pelos inspetores quando tentava realizar um empréstimo no valor de R$ 22,4 mil. Ela utilizava documentos falsificados em nome de uma aposentada.

Maria Gisleide Barbosa da Silva, 47, foi capturada a poucos metros da sede da Polícia Civil, Centro FOTO: REPRODUÇÃO

Segundo o titular da DDF, delegado Jaime Paula Pessoa Linhares, a mulher foi detida a poucos metros da sede da Delegacia Geral da Polícia Civil, no Centro de Fortaleza.

Conta
Os policiais foram avisados da presença da suspeita em uma agência de empréstimos consignados. A acusada se passava por Maria de Lurdes Pimenta Cavalcante e havia, segundo o delegado, aberto uma conta corrente na agência da Caixa Econômica Federal, na Praia de Iracema, com a quantia de R$ 500,00.

No momento em que foi detida, a mulher chegou a apresentar os documentos ´frios´, mas logo, toda a trama acabou sendo descoberta pelos inspetores Paulo Florêncio e Carlos Dário. Na DDF, ela acabou revelando a tentativa de golpe, mas não declinou os nomes das demais pessoas envolvidas no crime.

Diante das evidências e provas colhidas no ato da prisão, o delegado autuou a acusada em flagrante delito.

Maria Gisleide foi indiciada em inquérito pelos crimes de tentativa de estelionato, uso de documento falso, falsificação de documento público e falsidade ideológica.

Na última terça-feira, outra mulher também foi presa pelo mesmo motivo. Tratava-se de Maria Gregório Teixeira Alves, 51, que usava documentos com o nome falso de uma correntista da Caixa Econômica Federal. Ela tentava obter um empréstimo consignado junto à agência da Caixa Econômica da Avenida Pontes Vieira, no bairro Dionísio Torres, quando recebeu voz de prisão em flagrante.

O delegado Jaime Linhares tem constantemente alertado a população para ficar em alerta e não fornecer dados pessoais sem a devida prevenção. Quadrilhas agem com dados alheios. 

Número de mortes em assaltos envolvendo bancos no país cresce 11,1% no país; no Ceará cai

Agência Brasil/Redação Web

Este ano, o Estado ainda não registrou casos

O número de mortes em assaltos envolvendo bancos no País cresceu 11,1% no primeiro semestre deste ano na comparação com igual período do ano passado, segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) e a Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV).
Clientes continuam sendo as principais vítimas dos assaltos envolvendo bancos FOTO: Kiko Silva
O levantamento, divulgado nesta sexta-feira (19), aponta a redução de 50% no Ceará, que este ano, ainda não registrou casos. O estudo que mostra os dados dos últimos 3 anos, contabiliza o ano de 2012 como o mais violento no Ceará, em relação a mortes envolvendo assaltos a bancos, com duas mortes. Em 2010, nenhum ato foi registrado.
Em 2013, em todo o País, a pesquisa, elaborada com o apoio técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), mostra que o total de vítimas passou de 27 para 30. O estado que concentra maior número de casos (46%) é São Paulo, com 14 mortes.
"O que mais nos preocupa é essa curva de crescimento constante, porque foram 23 casos em 2011, passamos para 27 e chegamos a 30. Não se tem medidas por parte do setor financeiro que reduzam essas mortes", avaliou José Boaventura Santos, presidente da CNTV. O Rio de Janeiro é segundo estado em número de mortes, com cinco vítimas, seguido pela Bahia e pelo Rio Grande do Sul, ambos com três. Cerca de 60% dos casos, 18 mortes, correspondem aos assaltos ocorridos quando os clientes saem da agência, crime conhecido como saidinha bancária.
Clientes são as principais vítimas
Os clientes continuam sendo as principais vítimas dos assaltos envolvendo bancos. Foram 21 casos no primeiro semestre deste ano, um aumento de 40% em relação ao mesmo período do ano passado. Os vigilantes aparecem em seguida, com quatro mortes. Segundo a CNTV, existem cerca de 700 mil vigilantes no país, sendo que 25% trabalham em instituições bancárias.
"Isso significa que ir a um banco hoje pode ser uma operação de risco", acrescenta Boaventura. Quase a totalidade das mortes (93,3%) correspondem a pessoas do sexo masculino. "Geralmente os homens sacam quantias maiores de dinheiro e são também maioria nas atividades de segurança. Eles estão mais expostos ao risco e reagem mais à ação dos assaltantes", avalia.
Ele acredita que faltam investimentos por parte das instituições bancárias que garantam aos clientes uma movimentação segura. "Foram investidos R$ 3,1 bilhões em segurança e vigilância em 2012, enquanto o lucro dos seis maiores bancos superou R$ 51 bilhões. E esse cálculo ainda envolve proteção de crimes eletrônicos, ou seja, o investimento real para segurança da vida das pessoas ainda é menor", apontou. O levantamento aponta que os bancos foram multados pela Polícia Federal em R$ 8,8 milhões pelo descumprimento de normas de segurança.
Medidas de prevenção devem ser adotadas
Como medidas de prevenção que poderiam ser adotadas, Boaventura aponta a instalação de biombos e divisórias, além de câmeras e portas de segurança. "A porta, por exemplo, deveria se tornar obrigatória. Defendemos também a blindagem das fachadas", sugeriu o presidente da confederação. Ele destacou que em João Pessoa, capital da Paraíba, onde uma lei municipal obriga a instalação de divisórias, não foram registrados crimes de saidinha bancária.
A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) foi procurada pela Agência Brasil para comentar os dados, mas não retornou até o momento da publicação da reportagem.

Traficante na lista dos mais procurados no Ceará é preso no Recife

Wilton Rodrigues 

Investigação foi realizado em conjunto com a Polícia Cívil, Denarc, Coin e Polícia Federal

Uma investigação integrada da Polícia prendeu, no início da noite desta sexta-feira (19), um dos traficantes mais procurados do Ceará.
Raphael é suspeito de integrar uma rede interestadual de tráfico de drogas (Foto: divulgação)
O trabalho foi realizado em conjunto com a Polícia Cívil, através da Delegacia de Narcóticos (Denarc), Coordenadoria Integrada de Inteligência (Coin), Delegacia de Roubos e Furtos e Divisão de Repressão a Entorpecentes da Polícia Federal

Raphael Henrique Silva de Oliveira é suspeito de integrar uma rede interestadual de tráfico de drogas e foi preso no Aeroporto Internacional do Recife, quando viajava de Natal com destino ao Rio de Janeiro. Segundo informações colhidas na investigação, ele abastecia o tráfico de drogas no Ceará.
De acordo com a Delegacia de Narcóticos (Denarc), Raphael morava e cursava faculdade em Natal. A investigação, que já durava 4 meses, pediu ao juiz da 2ª Vara de Tóxicos de Fortaleza, Francisco Duarte Pinheiro, o mandado de prisão preventiva.
No início da tarde desta sexta-feira, a Polícia recebeu informação de que o traficante iria sair de Natal com destino ao Rio de Janeiro. Foi feita uma articulação com a Polícia Federal do Rio Grande do Norte na tentativa de prender o suspeito na Capital potiguar. A abordagem não foi feita porque o avião já estava na pista de decolagem.
Traficante foi preso em Recife
Uma escala foi feita em Recife e a Polícia Federal da cidade foi acionada. Quando o avião fez o pouso, o traficante foi autuado, portando inclusive documentação falsa.
Segundo o titular da Delegacia de Narcóticos (Denarc), delegado Pedro Viana, o traficante encontra-se recolhido em um presídio de Recife e o próximo passo será a articulação da transferência de Rapahel Oliveira para Fortaleza, e assim responder aos inquéritos policiais, já que ele tem mandado de prisão preventiva expedido pela 2ª Vara de Tóxicos.
A investigação já tinha conseguido prender vários integrantes da quadrilha interestadual e estourado 2 laboratórios de drogas, no bairro da Serrinha e outro no José Walter.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

ENTENDA O RETROATIVO

Veja como fica seu salário com a nova CCT:

JANEIRO E FEVEREIRO 2013
- Salário: R$ 1.109,00 x 6,20% = R$ 68,75 + R$ 1.109,00 = R$1.177,75.
- Diferença de salário retroativa a janeiro e fevereiro: R$ 68,75 x 2 = R$ 137,50.
O pagamento será feito em duas vezes:
1ª Parcela: Pagamento no 5° dia útil de abril.
- Março: salário reajustado + 1° parcela: R$ 1.177.75 + R$ 68.75 = R$ 1.246,50.
2ª Parcela: Pagamento no 5° dia útil de maio.
- Abril: salário reajustado + 2° parcela: R$ 1.177,75 + R$ 68,75 = R$ 1.246.50.
BENEFÍCIOS: Reajuste salarial de 6,20%.
- Cesta básica no valor de R$ 83,05.
- Tíquete refeição no valor de R$ 8,84 por dia, ou seja, 15 dias x R$ 8,84 =
R$ 132,60 ou 22 dias x R$ 8,84 = R$ 194,48.
ADICIONAL DE PERICULOSIDADE DE 30%
- A partir de 1° de março de 2013.
- Salário: R$ 1.177,75 x 30% = R$ 353,32. Total: R$ 1.531.07.
- O meses de março e abril serão pagos em 3 parcelas, nos meses de junho, julho e agosto de 2013.
DIFERENÇA: - Março: R$ 353,32. ,  Abril: R$ 353,32. - Total: R$ 706,64.
QUANDO RECEBER
- No pagamento do 5° dia útil de junho: R$1.531,07 + R$ 235,54 = R$ 1.766,61.
- No pagamento do 5° dia útil de julho: R$ 1.531,07 + R$ 235,54 = R$ 1.766,61.
- No pagamento de 5° dia útil de agosto: R$ 1.531,07 + R$ 235,54 = R$ 1.766,61.
* Não incluso o cálculo das horas-extras, adicional noturno, férias e descontos de INSS e vale-transporte.
Porque a maioria das empresas não estão pagando o retroativo? será as leis não tem poder de alcançar essas empresas que fazem dos profissionais de segurança desse Estado Gato e sapato e fica por isso mesmo! Onde está os nossos representantes do sindicato? categoria pra sofrer essa nossa em.

Vagas de Emprego: Vigilante / Curitiba

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Fotos em show de MC Daleste podem revelar assassino

Um dos melhores amigos do MC cedeu com exclusividade ao Fantástico 18 fotos que tirou durante o show. O perito Nelson Massini analisou as imagens.

O Fantástico apresenta uma investigação jornalística sobre a violência no funk de São Paulo.
Há oito dias, o cantor MC Daleste foi assassinado com dois tiros, durante um show na periferia de Campinas.
No instante do crime, muita gente estava filmando. Agora, a polícia busca uma imagem que desvende o mistério: quem matou Daleste?
Uma foto obtida com exclusividade pelo Fantástico, foi tirada segundos antes do MC Daleste tomar um tiro  no peito, no meio de um show. O autor da imagem: um dos melhores amigos do cantor.

“Ele foi para o meu lado, eu fui mais para trás, tirei a foto, foi a hora que o cara atirou”, lembra o fotógrafo. Renato Avaia.
O impacto do tiro foi testemunhado por milhares de fãs. Muitos filmavam o show e registraram o crime. As cenas mostram, de vários ângulos, Daleste sendo atingido.
Foram dois disparos em direção ao cantor. O primeiro passa de raspão, entre o braço e o corpo. Ele se assusta e reclama.

“A gente achou estranho, ele foi até nós, mostrou, se fez alguma coisa. Eu falei: volta mano, vai trocar o certo pelo duvidoso? Ele não, preferiu fitar, ficar em cima do palco”, conta Rodrigo Pellegrini.
O MC volta a cantar. Menos de 2 minutos depois, veio o tiro fatal.
“Quando ele caiu, ele já caiu olhando para o meu olho. Ele falou: ’Pet, eu morri?’ Eu falei: não mano, você não morreu, você vai comigo. Ele estava acho que meio em estado de choque nessa situação, eu peguei ele, ele mostrou onde estancou a mão, lembra MC Pet.
A bala tinha atravessado o peito dele. Ele cai. Se levanta. Ergue a camisa e mostra o ferimento para o irmão. Tumulto no palco. Confusão na plateia.
“Eu olhei para o lado, o público tudo correndo, ninguém mais no palco, só eu e o irmão dele. Foi a hora que ele levantou, viu que tava saindo sangue, conta Renato.
A morte foi notícia no mundo todo. Mas quem era o MC Daleste, um jovem de 20 anos, um dos cantores mais populares da periferia paulistana?
Daleste usava esse nome em homenagem à Zona Leste de São Paulo, onde nasceu e vivia.
“Eu falei: você vai ser MC Daleste, porque fica só na Zona Leste, não sai, depois ele fez show no Brasil todo”, diz o irmão Rodrigo Pedreira. 
“A gente mora na periferia, ele mesmo com todo o sucesso, ganhando todo o dinheiro, a gente nunca saiu daqui, onde a gente gostava de estar, onde tem amigos, destaca Marcelo de Souza Almeida, cunhado de Daleste e motorista dos shows.
Foi em uma casa simples que o marceneiro Rolland criou Daniel, verdadeiro nome de Daleste, e mais três filhos. Viúvo, ele mora na periferia até hoje. E decorou o quarto com os presentes que ganhou do filho famoso.
“Televisão, telescópio, isso aí tudo ele me deu, helicóptero. Tudo ele me dá”, afirma Rolland. 
O filho herdou do pai o gosto pelas jóias.
“Ele gostava jóias. Muito. É um prazer que eu também gosto. Às vezes eu ponho em todos os dedos, todo mundo que me vê na rua é assim. Eu não sou cigano, mas eu adoro jóia”, admite o pai.

Daleste era muito ligado à família, mas saiu cedo de casa para morar com a namorada. Os dois se conheceram na escola. Viviam juntos havia cinco anos.
Fantástico: A melhor lembrança que você tem dele, qual é?
Érica: Era ouvir ele cantando no chuveiro. A vida dele era isso. Era cantar e criar música, ele era um compositor. Não só de funk, qualquer tipo de música ele fazia. E ele pegava lições de vida também, histórias de vida, e transformava em música, cantava. A vida dele era cantar, cantar. Só isso.

Daleste começou cedo no funk, o primeiro show foi com 16 anos. Escrevia as próprias músicas. As letras do começo de carreira faziam apologia ao crime e acusações à polícia. Mas nos últimos anos, Daleste mudou o estilo.
Esse tipo de funk é cada vez mais popular na periferia de São Paulo.
“O funk de ostentação é o funk que conta o sonho da galera da comunidade. A princípio isso realmente era um sonho, e hoje graças a Deus a maioria dos artistas de funk ostentação já estão conseguindo viver essa ostentação que eles tão pregando”, analisa o produtor de videoclipe Konrad Dantas.

“Começou em meados de 2008, mais ou menos, na cidade Tiradentes, Zona Leste de São Paulo, e a dupla que mais difundiu essa ramificação do funk foi uma dupla chamada de Backdi e Bio G3. É classe a, nóis temos carro, moto e dinheiro”, completa o produtor.
Konrad foi um dos pioneiros a produzir vídeoclipes em que funkeiros ostentam roupas de marca, mulheres bonitas e carros poderosos. Eles são divulgados principalmente pela internet. Alguns são vistos milhões de vezes.
   
O videoclipe que teve mais acesso, quase 29 milhões de acessos. Em cinco dias deu um milhão de exibições.
Daleste não foi o primeiro caso de morte violenta do funk paulista. Desde 2010, 05 MCs, o nome que se dá aos cantores de funk e rap, foram assassinados no estado.
Nenhum acusado foi preso até agora. A secretaria de Segurança Pública informou por telefone que as investigações estão avançadas e existe uma lista de suspeitos identificados.

“A gente tinha muito medo de acontecer alguma coisa por ter acontecido com outros MCs, outros cantores. Mas ameaça ele nunca, se teve nunca ele não avisou ninguém”, diz a viúva Érica Teixeira Franco. 
A última apresentação do MC Daleste aconteceu  neste palco montado em cima de um trailer, há uma semana, na periferia de Campinas, interior de São Paulo.
O cantor estava no meio do palco quando tomou um tiro no peito, disparado a uma distância de cerca de 30 metros, segundo a investigação.

Como não tinha carro de polícia nem ambulância por perto, os amigos decidiram socorrer o cantor no próprio carro. Mas eles não sabiam para onde levá-lo. E demoraram quase meia hora para chegar até um hospital em Paulínia, cidade vizinha a Campinas.
”No decorrer desse trajeto a gente foi ficando mais desesperado porque fui vendo que ele não estava tão bem”
“Ele falou, chegou até me falar uma vez: ‘pô eu pensava que doía tomar tiro’, porque ele nunca tinha passado por isso, ‘mas não dói nada, Pet’. Mas ele estava perdendo muito sangue, ele estava ficando fraco, aí ele falou que avoz dele foi ficando distante”, diz Pet.

“Os lábios foram ficando brancos, o olho foi ficando fundo, tipo, a gente olhava mas eu já não sentia ele aí, entendeu?”, conta Marcelo.
“E ele ficou aguentando. E eu: ‘Você está respirando legal?’ E ele: ‘pô, estou respirando legal, tá normal, só estou sentindo que está saindo muito sangue, tô ficando um pouco meio tonto’. Aí eu, foi na hora que a gente chegou no hospital, coloquei, peguei ele e coloquei em cima da maca e então fui segurando na mão dele até a sala de cirurga, né?”, conta Pet.
Em menos de uma hora, Daleste estava morto. Uma semana depois, o assassinato do cantor desafia a polícia.
“Foi premeditado, planejado, imagino que não foi do dia para noite, pela complexidade do disparo. O atirador, acreditamos que ele estudou o local antes de praticar o crime”, diz o delegado Flávio de Carvalho.

O delegado do caso ainda não tem uma pista segura. E investiga todas as hipóteses.
“Tanto do crime passional, desentendimento em relação aos organizadores da festa, tanto quanto ao mundo do crime propriamente dito, os funkeiros”, analisa o delegado.

Quem matou o MC Daleste e por quê?  As imagens do momento do crime são fundamentais para investigação.
Renato tem 19 anos, era amigo e fã do cantor MC Daleste. A amizade dos dois era tão grande que o cantor comprou uma máquina e deu  para que ele registrasse os melhores momentos dos shows. Naquela noite, Renato estava no palco e fez algumas fotos. Logo depois, o amigo foi baleado e acabou morrendo no hospital.

“Essas imagens ninguém tem. Eu tô do lado da caixa”, conta um amigo.
O amigo revela que Daleste fez um pedido antes de entrar no hospital.
“Falou: ‘pega a câmera aí, tira uma foto de mim’. Eu falei: não vou tirar uma foto sua porque eu ainda vou tirar muita foto sua. Aí foi na hora que nós colocou ele na maca e ele entrou dentro do hospital”, lembra Renato.

Esse registro Renato não fez. Mas ele cedeu com exclusividade ao Fantástico as 18 fotos que tirou durante o show. A nosso pedido, o perito Nelson Massini analisou as imagens.
"De todo o material que eu examinei, essas fotos são absolutamente fundamentais. Elas retratam e certamente revelam o assassino disperso aí nessa multidão", afirma o perito e professor da Uerj, Nelson Massini.
Para o perito, confrontar a trajetória dos tiros, as marcas das balas no trailer, com essas fotos, vai indicar o lugar exato onde estava o atirador.

“Pela qualidade e pela abrangência que esse grupo de fotos faz é possível. Por aí é possível dar uma verdadeira contribuição para se chegar ao verdadeiro homicida”, conclui Massini.
O pai diz que só vê um motivo para o assassinato.
“Inveja, inveja... Inveja, inveja”, lamenta o marceneiro Rolland Ribeiro Pellegrini.
E se emociona ao ouvir a música que o filho fez especialmente para ele.