quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Preso morre na Decap sem receber socorro

NEGLIGÊNCIA
O detento passou mal durante a noite e os policiais pediram a presença do Samu, mas não foram atendidosO clima ficou tenso, na manhã de ontem, na Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), Centro, em decorrência da morte do preso Francisco Simão de Oliveira, 32. Ele chegou àquela Especializada na noite de segunda-feira, transferido do 14º Distrito Policial (Conjunto Industrial), em Maracanaú, onde foi autuado em flagrante delito pelo crime de furto qualificado.

A Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), no Centro, é a mais lotada do Estado. Atualmente, uma centena de presos estão ali esperando transferência para as unidades do Sistema Penal. Várias tentativas de fugas já foram registradas FOTO: JOSÉ LEOMAR

O titular da Decap, delegado Elzo Moreira, informou que Simão chegou ali por volta de 18h30, após ter sido submetido a exame de corpo de delito realizado na Coordenadoria de Medicina Legal (Comel).

Simão, ainda no 14ºDP, começou a se agitar. Segundo a Polícia, por várias vezes, ele bateu a cabeça na parede do xadrez, revoltado com a prisão, precisando ser medicado e, por isto, foi transferido de imediato.

Transferência
Como havia o perigo de fuga em massa, o delegado Aurélio de Araújo, titular do 14º DP, pediu ajuda aos colegas para transferir alguns presos. Quatro foram transferidos para a Delegacia Metropolitana de Maracanaú. Simão foi o único a ser encaminhado à Decap, ficando sozinho na cela destinada aos presos devedores de pensão alimentícia.

Durante a madrugada de ontem, Simão ficou ainda mais agitado e começou a passar mal. Os policiais civis que estavam na permanência (vigilância) da Decap telefonaram para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), pedindo a presença de uma ambulância. Entretanto não obtiveram resposta positiva. O não atendimento ao preso enfermo, segundo ele, pode ter sido a causa da morte do detento.

Francisco Simão de Oliveira, 32, havia sido transferido do 24º DP para a Decap e ali morreu FOTO: REPRODUÇÃO

A denúncia do não atendimento por parte do Samu foi confirmada pelo delegado Elzo Moreira e por Gustavo Simplício, presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Estado do Ceará (Sinpol-CE).

Elzo Moreira informou que a Decap, que abriga atualmente mais de 100 presos, está superlotada. O delegado disse tem encaminhado seguidos ofícios à Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus), solicitando vagas para a transferência de detentos, entretanto, o número de vagas disponibilizadas à Polícia pelo Sistema Penal é muito abaixo da necessidade. Acrescentou que falta estrutura naquela Especializada para abrigar um número tão elevado de presos, o que contribui para a permanente tensão.

Para o presidente do Sinpol-CE, a Decap não oferece condições de funcionamento. Até o caminhão utilizado para levar os presos para as unidades carcerárias não é mais utilizado porque, segundo Gustavo Simplício, é inapropriado para tal fim.

Na tarde de ontem, a Reportagem tentou contato com a Assessoria de Comunicação do Samu mas não obteve êxito.

Já o problema da superlotação na Delegacia de Capturas e Polinter se repete em, praticamente, todas as unidades da Polícia Civil em Fortaleza e sua Região Metropolitana.

FERNANDO BARBOSAREPÓRTER 

Nenhum comentário:

Postar um comentário