sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Guarda municipal usava arma sem autorização durante assalto no Ceará

Guarda municipal foi baleado na perna em assalto em hospital em Fortaleza.
Guarda entrou em luta corporal contra suspeito; arma dele foi apreendida.

Do G1 CE
O guarda municipal baleado em uma tentativa de assalto na tarde desta quinta-feira (27) em Fortaleza usava uma arma de fogo em serviço, sem autorização, conforme mostram as imagens do circuito interno de segurança no Hospital Gonzaguinha da Messejana.
Uma portaria permite que guardas municipais de cidades com mais de 500 mil habitantes usem armas de fogo, caso seja aprovada pela Câmara Municipal a lei validando a portaria. Em Fortaleza, no entanto, a lei nunca foi votada. A arma de fogo foi apreendida, e o caso será investigado.De acordo com a polícia três homens invadiram o hospital para tentar roubar a arma do agente, houve troca de tiros e o inspetor da Guarda Municipal foi baleado na perna.
Segundo a polícia, por volta das 13h uma agente da Guarda Municipal entra no hospital com um dos suspeitos. Ela havia sido rendida poucos minutos antes, na porta do hospital. Os dois entram em uma sala e minutos depois, o homem sai brigando com outro agente. Ele atira contra o inspetor José Ribamar Gomes de Oliveira, que também estava armado.
Tudo aconteceu na frente de pacientes e funcionários do hospital, que tentam se proteger dos disparos. Baleado na perna, o inspetor Ribamar foi socorrido no próprio hospital. De acordo com testemunhas o homem fugiu com outros dois suspeitos.
De acordo com a polícia, os homens já chegaram no Hospital Gonzaguinha  perguntando pelo inspetor. O objetivo seria roubar a arma do agente que, mesmo não tendo autorização para portar arma de fogo, estava com um revólver quando foi abordado pelos suspeitos.  “Conclui-se [com a investigação] é de que o objetivo da ação criminosa era tomar a arma do inspetor. Foi [uma ação] premeditada, pois ele renderam uma guarda municipal”, afirma o  major Teófilo.
O diretor da Guada Municipal, Antônio Azevedo, tem outra versão sobre a motivação. “Houve uma desavença entre um flanelinha que trabalha aqui em frente com um usuário de drogas e o inspetor foi chamado para intervir. Fez a intervenção e no início da tarde três homens entraram no hospital para atirar no inspetor. O motivo da desavença não foi uma arma, como estão supondo. Uma arma foi arrecada no local, mas não sabemos a quem pertence”, diz.
Insegurança
Este  foi o terceiro  caso de violência registrado dentro de hospitais públicos de Fortaleza, no último mês. Nas semana passada, homens entraram no Hospital Frotinha de Parangaba e atiraram em quatro pessoas. O alvo era uma paciente que havia sido internado com um tiro no pescoço. O coordenador dos Hospitais e Unidades Especializadas da Secretaria de Saúde do Município, Francisco Alencar, diz que é preciso aumentar a segurança nas unidades. “A gente está vendo a possibilidade de ampliar a segurança dos hospitais com a contratação de empresa especializada para garantir o bom funcionamento do hospital e a segurança das pessoas”, diz.
Guarda Municipal foi baleado na perna (Foto: Daniel Queiroz/Arquivo pessoal)Guarda Municipal foi baleado na perna (Foto: Daniel Queiroz/Arquivo pessoal)

Nenhum comentário:

Postar um comentário