quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Polícia Militar reforça segurança em Baturité

PROTESTOS
Image-0-Artigo-1554999-1
Na madrugada de sábado para domingo um veículo da Secretaria de Saúde do Município foi incendiado durante um protesto. O comando da 2ª Companhia do 4º Batalhão da Polícia Militar (BPM) solicitou reforços para evitar tumultos
FOTO: DIVULGAÇÃO
Um dos envolvidos no incêndio ao veículo da Prefeitura foi preso e autuado por dano ao patrimônio público

O clima continua tenso em Baturité, em razão do afastamento, e em seguida, do retorno do prefeito de Baturité (a 100Km de Fortaleza), João Bosco Pinto Saraiva, mais conhecido como Bosco Cigano. O comando da 2ª Companhia do 4º Batalhão da Polícia Militar (BPM) solicitou reforços para evitar tumultos como o ocorrido na madrugada de sábado para domingo, quando um veículo da Secretaria de Saúde do Município foi incendiado durante um protesto.
Todavia, conforme o comandante da 2ª Cia do 4º BPM, major PM Herbério Tavares, o clima na cidade já está voltando a ser de normalidade. O reforço havia sido solicitado ao Comando de Polícia do Interior (CPI) diante da possibilidade de novos tumultos, durante a sessão na Câmara de Vereadores, realizada na manhã da segunda-feira, 24. "Os próprios vereadores procuraram acalmar a população. Pediram inclusive para os manifestantes não causarem desordens e nem destruírem o patrimônio público", acrescentou.
A tensão em Baturité começou a se agravar no último dia 14, quando foi realizada uma manifestação liderada pelos garis do Município. O principal acesso de Fortaleza ao Maciço de Baturité, uma ponte que corta o rio Putiú, na CE 356, foi interditada.
Pneus foram queimados e os manifestantes entoaram palavras de ordem. Equipes da Polícia Militar seguiram para o local. O bloqueio da rodovia havia sido o incidente mais grave registrado durante os protestos dos servidores públicos.
Populares
A reportagem do Diário do Nordeste conversou com populares. O atraso no pagamento dos servidores do Município foi apontado como principal motivo da revolta. Estão há cinco meses sem receber os salários.
Durante o protesto o automóvel Gol pertencente ao patrimônio municipal foi incendiado. Dentro dele havia inclusive prontuários e exames de pacientes que deveriam seguir para Fortaleza. Alguns comerciantes também fecharam as portas de seu estabelecimento, em protesto contra o retorno do prefeito, informou um morador pedindo para não ter seu nome revelado.
Um dos envolvidos no incêndio ao veículo da Prefeitura, identificado como Francisco Erivaldo Batista, foi preso em flagrante e autuado por dano ao patrimônio público. Segundo um escrivão da Delegacia Regional da Polícia Civil em Baturité, o acusado alegou ter quebrado apenas o para-brisa do automóvel. Também apontou o autor do incêndio, mas o nome dele não foi revelado.
Quem poderia prestar mais informações seria a delegada municipal de Baturité, Janaína Braga, mas ela estava realizando diligências na cadeia pública da cidade, onde um dos detentos foi encontrado morto na segunda-feira.
De acordo com a Polícia, a vítima foi identificada como sendo João Mendonça Pinto Neto, 18 anos. O corpo dele estava carbonizado, dentro de uma cela. Ele estava preso havia quatro dias, acusado de um crime de homicídio. A equipe de investigadores da Polícia Civil está colhendo mais indícios acerca da morte dele, inclusive se há alguma relação com o incêndio do automóvel da Secretaria de Saúde de Baturité. O delegado regional, Carlos Alexandre Marques assumirá o caso no início da próxima semana.
Alex Pimentel
Colaborador

Nenhum comentário:

Postar um comentário