quinta-feira, 27 de março de 2014

ADOLESCENTES INFRATORES

Internos fazem motim no Patativa

A PM informou que quatro internos foram vistos escalando a muralha. Um deles, foi recapturado

Image-0-Artigo-1575982-1
Cerca de 40 homens do Batalhão de Polícia de Choque e patrulhas do Ronda do Quarteirão também foram deslocados para a unidade
FOTO: KLÉBER A. GONÇALVES
Adolescente infratores recolhidos no Centro Educacional Patativa do Assaré realizaram um motim na noite de ontem na unidade após uma tentativa de fuga em massa. De acordo com informações prestadas por policiais que estiveram na unidade para conter a rebelião, os menores infratores depredaram a estrutura do local e provocaram um incêndio no prédio.

A confusão teria iniciado depois que uma tentativa de fuga frustrada. Segundo um dos instrutores do Centro, que não quis se identificar, pelo menos quatro internos foram vistos escalando as muralhas e pulando para o lado de fora. Um deles, machucou o tornozelo e foi rapidamente recapturado pela PM, porque não conseguiu correr.

“Tudo estava planejado. Havia um colchão pelo lado de fora do muro, para amortecer a queda deles e duas motocicletas no apoio aguardando para agilizar a fuga. Foi tudo muito rápido. Muitos outros tentaram fugir, mas não conseguiram”, afirmou o servidor terceirizado.

Fuga em massa

Por conta do plano de fuga não ter dado certo, as coisas se complicaram no interior da unidade. Os adolescentes atearam fogo nos colchões e a fumaça se propagou. Grades, cadeados, equipamentos de lazer e partes do telhado foram quebradas e arremessadas contra os PMs que estavam no perímetro da muralha.

Guarnições do Corpo de Bombeiros Militar foram acionados para controlar as chamas. Cerca de 40 homens do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) estiveram no local para conter os rebelados. A situação só foi controlada por volta das 20 horas.

O número de adolescentes que conseguiram escapar não foi confirmado oficialmente até o fechamento desta edição. A administração do Centro estava aguardando a Perícia Forense (Pefoce) para avaliar o que foi danificado e depois fazer a recontagem dos internos.

A responsável pela Coordenadoria de Proteção Social Especial da Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS), Ana Cruz, disse que nenhum interno fugiu e que ainda não podia precisar o que aconteceu. “Os motivos são os mesmos. Eles querem sair, encontram rivais aqui dentro. Ontem, eles passaram o dia com as famílias em uma programação diferente”. Estou surpresa com isso”.

Márcia Feitosa
Repórter

Nenhum comentário:

Postar um comentário