terça-feira, 11 de março de 2014

Cinco anos depois, homicida é preso

EMPRESÁRIO EXECUTADO
Image-0-Artigo-1563593-1
Francisco Arlindo de Freitas foi capturado por policiais civis da Decap, em sua residência, no bairro Jurema, em Caucaia
FOTO: MIGUEL PORTELA (20/11/2008)
Policiais civis da Delegacia de Capturas e Pointer (Decap), prenderam, na tarde de ontem, o acusado de matar o empresário Vicente Derivan Cruz de Araújo, no dia oito de setembro de 2008. Francisco Arlindo de Freitas, foi julgado e condenado a 19 anos de detenção em regime fechado, no dia 16 de fevereiro de 2012.
De acordo com os autos processuais, Arlindo de Freitas já havia sido funcionário da Gráfica Status, no Centro da Capital, que pertencia a Derivan Araújo. Ele teria sido demitido, suspeito de furtar materiais do estabelecimento e, teria dito aos colegas que se vingaria.
Segundo a Polícia, o ex-funcionário arquitetou a morte e contratou um pistoleiro, por R$ 3 mil, para executar o empresário, que acabou sendo morto a tiros, na calçada de sua gráfica. No dia 21 de novembro de 2008, Freitas foi capturado, em Caucaia, por força de um mandado de prisão preventiva, expedido pela 1ª Vara do Júri.
As investigações policiais, comandadas pelo delegado Antunes Teixeira, que na época era titular do 34ºDP (Centro), deram conta que o acusado esteve presente na hora do assassinato e chegou a segurar a vítima. O homem já tinha sido preso outra vez, sob suspeita de ter lesionado sua companheira.
Após a sentença
Depois que foi sentenciado, Arlindo Freitas nunca tinha sido preso. Conforme informações da Decap, um novo mandado de prisão pela condenação no homicídio foi expedido no dia 28 de janeiro deste ano.
Na manhã de ontem, os policias da Decap foram até o endereço dele, no bairro Jurema, em Caucaia para prendê-lo. "Fizemos levantamentos e chegamos ao endereço dele. No momento não houve nenhuma reação. Mesmo tento sido submetido a um júri popular e sendo condenado, ele nega qualquer participação e repete ser inocente", disse o inspetor, que pediu para não ser identificado. Arlindo ficará na Decap, até que seja transferido para uma unidade prisional da Grande Fortaleza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário