sexta-feira, 21 de março de 2014

Programa federal Mais Médicos reúne 1000 cubanos em Beberibe

ATENÇÃO BÁSICA
Image-0-Artigo-1570850-1
Durante três semanas, os profissionais de Medicina participarão do módulo de acolhimento e avaliação com aulas como Língua Portuguesa
FOTO: LUCAS DE MENEZES
Fortaleza. Um total de mil médicos iniciou ontem, em Beberibe, no Litoral Leste do Estado, o 4º Ciclo do Programa Mais Médicos, voltado para suprir carência de profissionais na Atenção Básica. Durante três semanas, profissionais de Medicina provenientes de Cuba participarão do módulo de acolhimento e avaliação, quando receberão aulas de Língua Portuguesa, Saúde Pública Brasileira e Sistema Único de Saúde (SUS).
Os mil médicos estão no Ceará, porque o Estado é polo formador. No total, são seis Estados. Além do Ceará, incluem-se Pernambuco, Rio Grande do Sul, Espírito Santo e São Paulo e o Distrito Federal que recebem profissionais para cursar este módulo.
Ao final do 4º Ciclo, o Mais Médicos somará 13.235 profissionais em atividade em todo o país, beneficiando 45,6 milhões de brasileiros.
A aula inaugural foi proferida no Hotel Parque das Fontes, localizado na Avenida Coronel Antônio Teixeira Filho, Beberibe. Ao final, foi servido um almoço aos participantes e convidados.
Aulas
O Ciclo teve prosseguimento pela tarde, quando se iniciaram as primeiras aulas. A capacitação está ocorrendo também no Parque das Fontes. Segundo o Ministério da Saúde, ao todo foram requeridos 13 mil médicos para atuar nos municípios brasileiros. No Ceará, são 749, sendo que 722 já atuam no programa, somando 97% da demanda já atendida.
O coordenador do Programa Mais Médico no Ceará, Odorico Monteiro, tem destacado que ação dos médicos cubanos somente ocorre após passarem pela etapa de acolhimento e avaliação. Na verdade, os profissionais permanecerão estudando sobre Atenção Básica ao mesmo tempo em que atuam na atividade. Ao término de três anos, eles receberão certificados de especialização em Saúde da Família.De acordo com o Ministério da Saúde, a maioria dos profissionais que optaram em trabalhar e se especializar no Brasil já possui mais de 15 anos de atividade médica no seu país ou no exterior. Muitos já reúnem experiência internacional em país onde há igualmente necessidade de médicos, como na África, na América do Sul, como na Venezuela, e na América Central, como no Haiti.
Após obter avaliação positiva ao término do curso, os profissionais estarão aptos a atuar na atenção básica em várias localidades do País. Nesse momento, acontece apenas a realização d o módulo inicial. De acordo com o Ministério da Saúde.
Lançamento
A formação, na verdade, ocorrerá ao longo dos três anos previstos para a permanência no Brasil. Nesse período, os médicos cubanos vão não apenas se familiarizando com a cultura brasileira, mas obtendo capacitação na área da Saúde da Família. Para tanto, todos os participantes receberam um tablet com informações do Ministério da Saúde sobre o tema.
O Programa Mais Médicos foi lançado em 8 de julho de 2013 pelo Governo Dilma para suprir a carência de médicos nos municípios do interior e nas periferias das grandes cidades do País, consistindo, sendo uma de facetas a "importação" de profissionais.
A iniciativa faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde, que prevê mais investimentos em infraestrutura dos hospitais e unidades de saúde, além de levar mais médicos para regiões onde há escassez e ausência de profissionais. No Ceará, a expectativa é de se contar com 749 médicos.
Marcus Peixoto
Repórter

Nenhum comentário:

Postar um comentário