quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Comerciantes de armas são detidos

FUZIL E SUBMETRALHADORA
Armas
De acordo com o delegado Osmar Berto,as investigações começaram quando bandidos foram presos com armas e silenciadores
FOTO: KIKO SILVA
A Polícia Civil apreendeu, ontem, um fuzil, duas submetralhadoras com silenciadores, uma pistola calibre 9 milímetros de uso exclusivo das Forças Armadas, uma escopeta calibre12, além de munição. O armamento foi encontrado na casa dos suspeitos que foram presos por inspetores do 6º DP (Messejana).
O primeiro foi identificado como Carlos Alberto da Silva, 57, que já possui passagem pela Polícia, em 2012, por comércio ilegal de arma de fogo. O segundo suspeito não possuía nenhum documento e se apresentou como sendo natural da Argentina. 
De acordo com o titular do 6º DP, delegado Osmar Berto, as investigações começaram no último dia 28, quando um trio foi preso com armas e silenciadores, o que levantou a suspeita de haver algum fornecedor. Ao analisar o caso, as investigações levaram para a residência dos suspeitos no bairro Maraponga, onde as armas e munições foram encontradas pela Polícia.
Ainda de acordo com o delegado, na área de Messejana ocorriam homicídios e, durante os levantamentos, a vizinhança afirmava que não eram ouvidos disparos. A Polícia acredita que as armas com silenciadores eram alugadas por homicidas e as submetralhadoras e armas de cano longo seriam alugadas para assaltos a banco. 
Carlos Alberto disse à Polícia que as armas eram de bandidos que o ameaçavam de morte para guardar as armas. No entanto, o delegado explicou que também foram encontrados canos e materiais que serviriam para a montagem dos equipamentos letais. 
O 6º DP deve investigar quem são os clientes do armeiro. O delegado ressalta que o fabricante utilizava o selo de Israel, por ser um País com armas de guerra. “Somente uma das metralhadoras dispara 40 rajadas por minuto”, explicou o titular. 
Armas caras
O valor das armas foi avaliado em torno de R$ 30 mil, mas o delegado acredita que apenas uma delas, de grande poder de fogo, poderia ser vendida por cerca de R$ 15 mil. O suspeito ainda possuía um livro identificando os tipos de submetralhadoras e o poder de destruição de cada. Elas eram especificadas no guia apreendido pela Polícia. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário