segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Após mais de 7h, sequestrador se entrega e liberta refém em hotel no DF

Ele foi levado à 5ª DP; refém foi para casa e não precisou de atendimento.
Sequestro começou antes das 9h; homem teve medo de morrer, diz polícia.

sequestrador que invadiu o hotel Saint Peter no centro de Brasília e manteve um funcionário como refém no 13º andar do prédio por mais de sete horas nesta segunda-feira (29) se entregou por volta das 16h, segundo a polícia. Ele foi levado à 5ª Delegacia de Polícia, na Asa Norte.
O refém deixou o hotel em um carro de polícia e passou despercebido por hóspedes e curiosos que acompanhavam o caso na rua em frente. Segundo a corporação, o funcionário foi direto para casa acompanhado da esposa. Ele estava calmo e não precisou de atendimento médico.

De acordo com a polícia, a arma e os cilindros amarrados à cintura do refém não continham material explosivo.
Segundo o comandante do Esquadrão de Bombas da Polícia Militar do Distrito Federal, capitão Lúcio Flávio Teixeira Júnior, o material era composto por canos de PVC recheados com massa epoxi, serragem e terra.
Policial manuseia supostos explosivosde autor de sequestro em hotel do DF (Foto: Polícia Civil/Divulgação)Policial manuseia supostos explosivosde autor de sequestro em hotel do DF (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
"Medida desenfreada"
O advogado do autor do sequestro, Carlos André Nascimento, chegou à delegacia por volta das 18h30. Segundo ele, o cliente classificou o ato como uma "medida desenfreada" para "chamar a atenção da imprensa".
Nascimento disse que o sequestrador tem problemas psicológicos e que, segundo a família, tentou suicídio há poucos dias. O advogado acompanha o caso desde as 12h desta segunda-feira (29), acionado por familiares do autor.
Ainda segundo Nascimento, o preso será transferido para o Departamento de Polícia Especializada (DPE) porque a polícia teme nova tentativa de suicídio. Até as 18h40, a polícia não tinha se pronunciado sobre a transferência.

Um helicóptero da Polícia Civil sobrevoava o hotel no momento em que as negociações terminaram. Segundo o delegado Paulo Henrique Almeida, da Divisão de Comunicação da Polícia Civil, o homem solicitou uma bandeira do Brasil para usar sobre os ombros no momento da rendição, mas se entregou com medo de ser alvejado pelos policiais. "Ele percebeu que a única saída era a rendição. Graças a Deus a vítima está bem", diz Almeida
sequestrador tira colete de refém em hotel em Brasília (Foto: Reprodução/GloboNews)sequestrador tira colete de refém em hotel em
Brasília (Foto: Reprodução/GloboNews)
O homem pode responder por cárcere privado, cuja pena é de um a três anos de reclusão. Dependendo do resultado da perícia, ele pode ser indiciado por outros crimes.
Minutos antes de se entregar, o homem apareceu na sacada do prédio com um dos punhos unido por algemas ao braço do refém. O funcionário já aparecia sem o colete com a suposta carga de dinamite, que havia sido amarrado ainda no início da manhã. A esposa do refém e uma madrinha do sequestrador acompanhavam as negociações no espaço em frente à entrada do hotel.
Atiradores de elite da Polícia Civil foram posicionados em áreas estratégicas no início da tarde e aguardavam autorização para atirar. Na ocasião, a polícia ainda não sabia se os explosivos eram verdadeiros. O volume de dinamite teria capacidade para danificar a estrutura do hotel, segundo a polícia.
O autor do sequestro tinha expressado exigências políticas – renúncia de Dilma Rousseff, extradição de Cesare Battisti e o que chamou de "aplicação efetiva da Lei da Ficha Limpa", sob ameaça de detonar os explosivos. O delegado Almeida manteve sigilo sobre o prazo dado pelo sequestrador, mas informou que seria inferior a seis horas.
FIM SEQUESTRO 2 (Foto: Evaristo Sa/AFP, José Cruz/Agência Brasil e Reprodução/Globo News)Imagens mostram o sequestrador ameaçando
refém, a fachada do hotel e policiais no quarto a
rendição do homem  (Fotos: Evaristo Sa/AFP, José
Cruz/Agência Brasil e Reprodução/Globo News)
'Do bem' e cartas
Amiga da família e chamada de tia pelo sequestrador, a dona de casa Alaídes Alves Góis, de 50 anos, disse não ter entendido o que aconteceu. Segundo ela, que soube do caso pela TV, a ação não combina com a postura do sequestrador.
"Ele é como se fosse um filho para mim, foi criado junto com meu filho. Ele me chama de tia", disse. "A atitude dele é muito desesperadora. Não acredito que vá acontecer, que ele vá fazer nenhuma desgraça. Não acho que ele faria isso a alguém. Falei com a mãe dele por telefone. Ela me pediu, pelo amor de Deus, para interceder. Ele me escuta mais que à mãe."
Alaídes conta que conheceu a família quando comprou uma fazenda no interior de Tocantins e se tornou vizinha deles. O contato, iniciado em 1987, prossegue até hoje. A dona de casa disse que todos se consideram como sendo "do mesmo sangue".

Na casa do suspeito, em Combinado, no Tocantins, a polícia encontrou três cartas de despedida escritas pelo sequestrador. De acordo com o delegado Paulo Henrique Almeida, nos textos ele pedia desculpa à mãe e aos tios, se dizia "desesperado" com o atual "cenário político" e falava que "essa tempestade vai passar".
As cartas teriam sido escritas no dia 26. O homem foi para Brasília no próprio carro, e o automóvel foi apreendido para perícia.
O lutador de MMA Minotauro, que estava hospedado no hotel e teve de deixar o quarto às pressas (Foto: Dayane Oliveira/G1)O lutador de MMA Minotauro, que estava hospedado
no hotel e teve de deixar o quarto às pressas
(Foto: Dayane Oliveira/G1)
Hóspedes desalojados
Por causa do sequestro e ameçada de explosão do hotel, os hópedes do Saint Peter tiveram de deixar o prédio logo cedo. Entre os hóspédes etava o lutador de MMA Rodrigo Nogueira, o Minotauro. Ele e o irmão participaram neste final de semana de um evento esportivo em Brasília.
Minotauro disse ao G1 que foi informado que teria de deixar o hotel por causa de um vazamento de gás. "A gente desceu pelo elevador. Lá dentro não ficamos sabendo de nada. A primeira informação foi que estava tendo um vazamento de gás, que era para a gente sair o mais rápido possível."
O lutador disse que ainda demorou a deixar o Saint Peter porque estava tomando café na hora em que os funcionários estavam indo de quarto em quarto avisar os hóspedes para deixar o hotel. "Quando chegaram ao meu quarto eu tinha saído para tomar café, então quando voltei os quartos já estavam todos abertos, ninguém tinha nenhuma informação."
A médica Larissa Dourado, que veio para Brasília para participar de um congresso de cardiologia, disse que estava no quarto quando os bombeiros bateram à porta, por volta de 9h30 da manhã, e disseram que era para ela deixar o hotel.

"Começaram a bater nas portas dos quartos, chamando a gente, eles se identificaram como bombeiros e disseram que era pra evacuar os quartos. Foi supertranquilo, desci de elevador. Não trouxe nada além do meu celular, até meus documentos estão lá dentro", disse.
Raquel Morais e Mateus RodriguesDo G1 DF

Carga avaliada em R$ 1,2 mi é recuperada

Aerolândia

Briga termina em morte
O vendedor ambulante Francisco Virgílio Ferreira da Silva, 35, foi morto na tarde de ontem, com seis tiros de revólver, após discutir com um vizinho, identificado apenas como 'Nanim'. Depois de descarregar a arma sobre a vítima, 'Nanim' fugiu Foto: Kiko silva
Justiça I
Acusado de homicídio tem liberdade negada
A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça negou pedido de liberdade para Marcondes da Silva Andrade, acusado de homicídio duplamente qualificado no bairro Itaperi, na Capital. O crime ocorreu em 2011.
Justiça II
Traficante condenado a seis anos de prisão
O juiz Flávio Vinicius Bastos Sousa, titular da 3ª Vara de Delitos de Tráfico de Drogas de Fortaleza, condenou o réu Gilson Bernardino Soares a seis anos de reclusão por tráfico de drogas. O réu foi preso em março de 2013.
Maracanaú
Carga avaliada em R$ 1,2 mi é recuperada
Policiais da Delegacia Metropolitana de Maracanaú (DMM) recuperaram, ontem, dois caminhões contendo carga de tecido avaliada em R$ 1,2 milhão, que havia sido roubada na Paraíba. O material foi levado para a Delegacia.
Bom Jardim
Suspeitos presos e armas são apreendidas
Operação de saturação deflagrada no Grande Bom Jardim terminou com dois suspeitos presos e um adolescente apreendido. Drogas e armas também foram localizadas na ação realizada pelas polícias Civil e Militar.

domingo, 28 de setembro de 2014

Vigilante armado tem direito à aposentadoria especial

Os vigilantes armados tem direito a aposentadoria especial, de 25 anos de serviço, tendo em vista que a exposição da integridade física destes trabalhadores é indissociável da atividade de alto risco e perigo que desempenham em seu dia a dia, frente aos eventos inesperados e repentinos que ocorrem e estão sujeitos em seus postos de trabalho.

Os vigilantes armados, no desempenho de suas atividades, diariamente, estão expostos de modo habitual e permanente a alto risco inerente à própria função de vigilante, arriscando sua própria vida para proteger o patrimônio de sua empregadora, bem como de clientes, funcionários, mantendo a segurança e a ordem e vigiando o ambiente da entidade, inibindo, dificultando e impedindo roubos, assaltos, sequestros, ataques, saques, ameaças e/ou qualquer outra ação delituosa advinda de suspeitos.
Ocorre que, quando estes trabalhadores, dão entrada no pedido de aposentadoria junto ao INSS, não tem reconhecida a especialidade própria de sua atividade. Assim, o INSS não considera especial o período trabalhado após Abril de 1995, sob alegação de mudança na Lei. Consequentemente, restam prejudicados no valor mensal de seu benefício, e se aposentam na espécie Aposentadoria por Tempo e Contribuição, consequentemente, recebem valores em muito inferior ao devido, resultando em prejuízos mensais acumulados.
Em recente decisão, o Tribunal Regional Federal da 3ª. Região reconheceu a atividade de vigilante armado como especial, após 28/04/1995, para fins de aposentadoria, direito este até então negado pela Autarquia previdenciária.
É uma vitória para os vigilantes armados que além de trabalhar durante uma ‘vida’ em condições de efetivo risco, ainda não recebem o que lhe é de direito” afirma Dra. Adriana Stoco, advogada previdenciária e sócia do Escritório Zípora Advogados Associados.
O Tribunal Federal ordenou que o INSS revisasse a aposentadoria do Vigilante Armado, para a modalidade de Aposentadoria Especial, mesmo após 1995, com renda mensal inicial de 100% do salário-de-benefício e sem a aplicação do Fator Previdenciário. Condenou ainda, no pagamento de toda a diferença mensal apurada, desde a concessão da Aposentadoria Administrativa na espécie Tempo de Contribuição/comum.
Stoco explica também que o beneficio previdenciário tem caráter alimentício e “portanto, a aposentadoria com o valor majorado deve ser implantada e paga imediatamente”.
Esta decisão é histórica e vai beneficiar milhares de vigilantes armados que já se aposentaram ou que pretendem se aposentar”, comemora Dra. Zípora do Nascimento, sócia do escritório Zípora Advogados Associados.

Cadeirante é morto no Vicente Pinzon

Vítima foi executada com cinco disparos


Foi registrado na tarde deste sábado (27), um homicídio na Rua Luiz Carlos Câmara, no Bairro Vicente Pinzon. O cadeirante Alexandre Borges de Oliveira, de aproximadamente 55 anos, foi executado com cinco tiros em frente a casa onde morava. Os tiros atingiram a cabeça e o pescoço de Alexandre, que teve morte imediata.
Segundo informações de moradores, Alexandre morava sozinho, após expulsar a própria mãe de casa. Apesar de cadeirante, a vítima foi descrita como bastante agressiva.
Cadeirante
Alexandre era cadeirante a cinco anos. Em 2009, Alex foi baleado, quando tentava efetuar um assalto. A vítima reagiu à tentativa do mesmo e o deixou paraplégico.
Alexandre compareceria nesta segunda-feira (29) à Delegacia de Defesa da Mulher, onde respondia por agressão. O mesmo quebrou o braço da própria mãe.
Não ha informações sobre os suspeitos do crime. Acredita-se que se trata de um acerto de contas, tendo em vista, o fato de Alex ser usuário de drogas.

sábado, 27 de setembro de 2014

Após nova proposta, bancários confirmam greve a partir de terça-feira

Além de reajuste de 12,5%, sindicatos querem combate ao assédio moral.

Assembleias serão realizadas na segunda-feira para organizar paralisação.

Do G1, com informações da Reuters 
Após assembleia realizada em Belém na última quinta-feira (25), bancários do Pará irão iniciar greve no próximo dia 30. (Foto: Divulgação/Assessoria do Sindicato dos Bancários do Pará)Assembleia em Belém na última quinta (Foto:
Divulgação/Sindicato dos Bancários do Pará)
O Comando Nacional dos Bancários confirmou neste sábado (27) o indicativo de greve por tempo indeterminado a partir da próxima terça-feira (30), mesmo após uma nova proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).
As instituições financeiras elevaram o reajuste de 7% a 7,35% para os salários, enquanto o aumento no piso da categoria foi de 7,5% para 8%. No entanto, os novos índices foram considerados insuficientes pelos bancários em reunião realizada em São Paulo.
Os trabalhadores querem reajuste salarial de 12,5% e outras reinvindicações como, vale-cultura de R$ 112, combate ao assédio moral e fim das metas abusivas. Sindicatos em ao menos 19 estados, mais o Distrito Federal, decidiram pela paralisação dos trabalhos em assembleias na última quinta-feira (25).
Novas reuniões serão feitas na segunda-feira (29) em todo o país para organizar a greve, conforme a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). Os bancários planejam protestos em frente a sede do Banco Central, em Brasília, e nas representações da autoridade monetária no dia 2 de outubro.
Os estados em que sindicatos decidiram aderir à greve na última quinta-feira foram, além do Distrito Federal: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Alagoas, Mato Grosso, Piauí, Ceará, Pará, Roraima, Acre, Sergipe, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Paraíba e Bahia.
2013
Os trabalhadores do setor promoveram uma greve de 23 dias no ano passado, que foi encerrada após os bancos oferecerem reajuste de 8%, com ganho real de 1,82%. A duração da greve na época fez a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) pedir um acordo para o fim da paralisação, temendo perdas de até 30% nas vendas do varejo do início de outubro.

Casal é preso com quase três kg de cocaína na Praça do Liceu

TRÁFICO DE DROGAS 

Os acusados foram flagrados quando transferiam o material de um carro para outro. A pessoa que receberia a droga ainda não foi identificada 

FOTO: MAURI MELO/O POVO
Material seria entregue para outra pessoa, que não foi identificada
Um homem e uma mulher foram presos, na noite da última quinta-feira, 25, quando entregavam quase três quilos de cocaína para uma outra pessoa, não identificada, na Praça do Liceu, no Centro de Fortaleza. Um dos acusados confessou ter realizado a entrega cerca de três vezes, conforme informações da Polícia Civil.

Operação da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD) foi iniciada após denúncias anônimas. Jorge Herbet Magalhães, 23, e Princia Mari Moura Monteiro, 20, foram flagrados transportando a cocaína em uma Parati de cor branca; Parte da droga ainda foi lançada para outro veiculo, um Corsa de cor preta. Ninguém estava no Corsa, mas o diretor adjunto da DCTD, Sérgio Pereira, acredita que uma pessoa que receberia a droga estaria próxima ao local.

Segundo o diretor adjunto, cada quilo de cocaína pode chegar a custar de R$ 10 mil a R$ 15 mil. Além dos quase três quilos de cocaína, a Polícia ainda encontrou R$2.520 com os acusados.Em depoimento à Polícia, Jorge contou que pegava a droga no Morro do ouro, no bairro Jacarecanga.
 Os dois acusados foram autuados em flagrante por tráfico e associação para o tráfico, mas, conforme Sérgio, a pena deve aumentar por estarem comercializando entorpecentes no entorno de uma instituição de ensino. A pena máxima por esse tipo de crime pode chegar até 40 anos de prisão.
Tráfico 
Na última quinta-feira, 25, a Polícia Civil divulgou informações sobre a apreensão de 36 quilos de drogas
. Na operação, que foi realizada em dois dias, cinco pessoas foram presas.
Redação O POVO Online com informações do repórter Thiago Paiva
 

Agência dos Correios de Nova Russas é assaltada

O crime ocorreu na tarde desta sexta-feira (26/09), por volta das 15h30min quando 04 elementos chegaram na agência, que fica localizada no centro da cidade, em duas motocicletas, uma Honda 150 preta e outra Bros vermelha, sendo que dois entram e abordaram os atendentes e dois permaneceram do lado de fora, dando cobertura a ação dos comparsas.
Os criminosos estavam armados e roubaram o dinheiro dos caixas, valor não informado ainda pela agência. Segundo informações da Polícia, a ação criminosa foi rápida.
Após o crime, os indivíduos fugiram pela rua Leonardo Araújo, posteriormente, tomando rumo ignorado. Policiais Militares que estavam na Cadeia Pública, dando apoio na visita de familiares aos presos foram acionados, diligenciaram na procura dos elementos, mas ninguém ainda foi preso.
Toda a ação criminosa foi filmada pelo Circuito de Câmeras da agência, graças a DEUS ninguém ficou ferido.

Fonte: Radialista Denes Lima

62 locais de votação em Fortaleza mudam de endereço; veja lista

Eleitores podem consultar local de votação por telefone e pela internet.
Ceará tem 6.929 locais de votação nas eleições de 2014.

Do G1 CE
Urna eletrônica (Foto: Reprodução/TV Globo)62 locais de votação têm alteraçãoes na capital
cearense (Foto: Reprodução/TV Globo)
O Tribunal Regional Eleitoral do Ceará mudou  o endereço de 62 locais de votação em Fortaleza. Além das mudanças de endereço, em oito locais houve alterações, com a substituição dos nomes dos prédios ou das ruas. Segundo o TRE,  nas eleições de 2014, o Ceará terá 6.929 locais de votação, sendo 593 em Fortaleza.
 Para conferir os locais de votação, os eleitores do Ceará podem ligar para o telefone 148, disponibilizado pela Justiça Eleitoral, diariamente, inclusive nos finais de semana, das 7h às 19h. A lista de locais de votação pode ser consultada também no site do TRE.
No dia da votação, o eleitor é obrigado a levar um documento oficial com foto, mas é preciso saber ainda os números da zona e seção eleitorais contidas no título de eleitor, além do endereço do local de votação. Veja a lista dos 70 locais de votação com alterações.

STF rejeita recurso de Luiz Estevão e determina cumprimento da pena

Ex-senador foi condenado a 3 anos e 6 meses por falsificar documento.
Defesa já admitiu alteração em documento, mas diz que pena prescreveu.

Nathalia PassarinhoDo G1, em Brasília
Luiz Estevão, ex-senador (Foto: Reprodução Globo News)Luiz Estevão, empresário e ex-senador (Foto:
Reprodução Globo News)
O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou nesta quinta-feira (25) recurso do ex-senador Luiz Estevão e determinou o cumprimento da pena imposta a ele de 3 anos e 6 meses de prisão por falsificação de documento público.

Estevão é acusado de alterar livros contábeis para justificar dinheiro de obras superfaturadas para construir prédio do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo.

A defesa do ex-parlamentar, condenado em outro processo a 36 anos de prisão, argumentava que a pena de 3 anos e 6 meses estava prescrita. A prescrição ocorre quando há demora no julgamento e o Estado perde o direito de punir o réu.
O advogado Marcelo Bessa, que representa o ex-senador, também argumentava que a aplicação da pena deveria ser suspensa até que o Supremo julgasse ação que questiona a legalidade de investigações feitas contra o ex-senador pelo Ministério Público Federal.
No entanto, Toffoli rejeitou o recurso e classificou o pedido de Luiz Estevão de “protelatório”. Para o ministro, o ex-parlamentar tenta reiteradamente atrasar o cumprimento da pena com o objetivo de evitar a punição.
“Nítida, portanto, a intenção do recorrente de procrastinar o trânsito  em julgado da sua condenação e, assim, obstar a execução da pena que lhe foi imposta, conduta essa repelida pela jurisprudência deste Supremo ao definir que a utilização de sucessivos recursos manifestamente protelatórios autoriza o imediato cumprimento da decisão proferida por esta Suprema Corte”, afirmou Toffoli.

De acordo com a assessoria  de imprensa do STF, a decisão de Toffoli será encaminhada ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), que enviará em seguida à Justiça Federal de São Paulo, para a execução. Não há prazo para a expedição do mandado de prisão.

G1 entrou em contato com o advogado de Luiz Estevão, mas não obteve retorno até a última publicação desta reportagem. Quando o ex-senador foi condenado no STJ, a sua defesa alegou que apenas um documento sofreu alterações, mas que não teria provocado efeito prático nem poderia justificar a acusação.
Cumprimento da pena
Como a pena é inferior a oito anos, Luiz Estevão pode cumpri-la em regime semiaberto, quando o condenado dorme na prisão e pode sair durante o dia para trabalhar. Pelo Código de Processo Penal, pena inferior a 4 anos também possibilita o cumprimento em regime aberto ou a transformação da pena em prestação de serviços à comunidade.
No entanto, o Tribunal Regional Federal da 3º Região (TRF-3) já havia decidido que Luiz Estevão não deve ter direito a regime de punição mais brando, mas sim ao semiaberto, já que é réu reicidente e tentou enganar a Justiça falsificando documentos para evitar o bloqueio de recursos oriundos de crime. A decisão do TRF-3 de determinar cumprimento no regime semiaberto foi mantida pelo STF ao analisar recurso do ex-parlamentar em fevereiro deste ano.

Caso
O escândalo de superfaturamento na construção do TRT de São Paulo, no qual Luiz Estevão teria tido participação, ficou conhecido como "caso Lalau" e veio à tona em 1998. Naquela época, uma auditoria do Ministério Público apontou que somente 64% da obra da nova sede do TRT-SP estava concluída depois de seis anos da licitação. Nessa período, quase todo o recurso previsto para a construção já havia sido liberado.
A licitação foi vencida em 1992 pela empresa Incal, associada ao empresário Fábio Monteiro de Barros. A obra foi abandonada em 1998, após o juiz Nicolau dos Santos Neto deixar a comissão responsável pelo empreendimento.
Em 1999, foi criada uma Comissão Parlamentar de Inquérito na Câmara dos Deputados para investigar o caso. A apuração revelou um contrato em que 90% da Incal era transferida ao Grupo OK, do então senador Luiz Estevão.

Em 2012, após a condenação do ex-senador no STJ, a Advocacia-Geral da União anunciou ter feito acordo com o grupo OK, de Estevão, para que fossem devolvidos R$ 468 milhões pelas irregularidades na construção do TRT-SP. Segundo a AGU, R$ 80 milhões seriam pagos à vista.

Em 2006, o ex-senador foi condenado pela Justiça Federal a 31 anos de prisão, além de pagamento de multa estimada em R$ 3 milhões, mas ganhou o direito de recorrer em liberdade. Desde então, ele tem apresentado uma série de recursos à Justiça para tentar atrasar o final do processo, o chamado "trânsito em julgado". Somente depois que não houver mais possibilidade de recursos é que deverá ser expedida a ordem de prisão contra Luiz Estevão.

Vereador 'Aonde É' é preso em flagrante

CRIME DE CONCUSSÃO

Assessor denunciou que o parlamentar teria exigido quantia referente ao salário da vítima sob ameaças

Image-0-Artigo-1709235-1
Advogado Leandro Vasques acompanhou o vereador 'Aonde É', que foi conduzido ao 2º DP, na Aldeota, para prestar depoimento
FOTO: ÉRIKA FONSECA
Image-1-Artigo-1709235-1
Em agosto, Ministério Público e Polícia Civil cumpriram mandados de busca e apreensão na residência e no gabinete do vereador, em Fortaleza
O vereador de Fortaleza Antônio Farias de Souza, o 'Aonde É', 39, foi preso por volta do meio-dia de ontem nas proximidades de uma agência do Banco do Brasil na Avenida Monsenhor Tabosa, na Praia de Iracema. De acordo com a Polícia, ele estaria ameaçando e obrigando um assessor a lhe repassar o dinheiro do salário. A defesa nega a acusação, alegando 'equívoco de interpretação' por parte dos policiais.
De acordo com a delegada titular do 2º DP (Aldeota), Socorro Portela, 'Aonde É' foi preso após denúncia da própria vítima. "O assessor ligou para a Polícia, informando que estava se sentindo ameaçado pelo vereador, que exigia dele o dinheiro do salário. Quando os policiais foram até o local indicado, encontraram 'Aonde É' recebendo o dinheiro e o prenderam em flagrante", explicou.
O crime cometido, de acordo com Socorro, é o de concussão. "É o artigo 316 do Código Penal. Exigir, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão dela, vantagem indevida. Tem pena de reclusão de dois a oito anos e não cabe fiança. Somente uma ordem judicial pode liberá-lo".
De acordo com a vítima, que não teve o nome divulgado, o vereador estaria exigindo a quantia de R$ 1.900, que seriam referentes ao pagamento do salário do mês.
"A suposta vítima nos disse que vem sendo ameaçada desde o mês passado. Quando foi feita a primeira exigência, o assessor pediu demissão, mas não foi concedida pelo vereador. Este mês, com a repetição do ato, o assessor resolveu entrar em contato com a Polícia", afirmou a delegada. A vítima assessora o vereador desde fevereiro de 2013. Policiais da Divisão de Inteligência da Polícia Civil (DIP) realizaram o flagrante.
Defesa alega equívoco
O advogado Leandro Vasques, que defende o vereador, afirma que os policiais erraram ao prender o vereador. "Houve um erro de interpretação por parte da Polícia. O vereador e o assessor possuem um amigo em comum, que emprestou dinheiro à suposta vítima. Meu cliente estava lá apenas por conhecer os dois. Ele não tocou em dinheiro algum, pois era um empréstimo para o assessor", afirmou.
Há, segundo as palavras do advogado, 'perseguição' contra 'Aonde É'. O advogado sugere que exista um 'monitoramento permanente' montado para incriminar o vereador.
"Ele estava sendo monitorado, perseguido. Isso é um grande picadeiro montado", disse.Vasques afirmou que pode, também, recorrer aos plantonistas no Tribunal de Justiça (TJCE) para a liberação do cliente durante o fim de semana.
"Vou analisar com cautela e avaliar a oportunidade e necessidade de ingressar com alguma medida no fim de semana. Mas o vereador, garanto, está tranquilo. Ele é um cidadão simples, que não possui vícios políticos que o induzissem a algum crime".
Desvios
'Aonde É' vem sendo investigado pelo Ministério Público por suposto desvio de verba parlamentar. No dia 8 de agosto, três mandados de busca e apreensão foram cumpridos. Segundo o MP, foram encontrados contracheques de servidores juntos a uma relação com o nome de cada servidor na casa do vereador.
Levi de Freitas
Repórter

Governo suspende captação de água para irrigação em dois açudes nordestinos

ABASTECIMENTO
Agência Brasil 

A determinação deve-se à “drástica redução” do nível do Rio Piranhas

A Agência Nacional de Águas (ANA) suspendeu, até o dia 29 de setembro, a captação de água para irrigação e aquicultura (cultivo de peixes e crustáceos) nos açudes Curema e Mãe d'Água, que ficam na Paraíba. A medida vale  inclusive para captação com destino ao Canal da Redenção.
O mesmo vale para os rios Piancó e Piranhas-Açu, no trecho entre o Açude Curema e o remanso do Açude Engenheiro Armando Ribeiro Gonçalves. Os dois rios nascem na Paraíba, até virarem apenas Piranhas-Açu  e desembocar no Rio Grande do Norte.
A determinação deve-se à “drástica redução” do nível do Rio Piranhas nas proximidades do município de Jardim de Piranhas, no Rio Grande do Norte, que prejudicou o abastecimento de 80 mil habitantes das cidades de Potiguares de Caicó, Jardim de Piranhas, São Fernando e Tibaúba dos Batistas.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Vigilantes poderão ter direito a porte de arma fora do expediente


Há 5 anos os vigilantes espera uma resposta no que diz respeito ao porte de arma por parte desses profissionais, então alguém tem uma resposta que convença! (Vigilante Estevam administrador do blog).

4
A Câmara analisa o Projeto de Lei 4340 /08, do deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que isenta os vigilantes que comprarem arma para uso particular do pagamento da taxa de porte. A proposta acrescenta a medida ao Estatuto do Desarmamento (Lei10.826 /03), que determina que as armas utilizadas por esses profissionais são de propriedade, responsabilidade e guarda das empresas onde trabalham. Atualmente, de acordo com o estatuto, essas armas só podem ser utilizadas em serviço.
A isenção, segundo o projeto, valerá para os vigilantes das empresas de segurança privada e de transporte de valores que comprovarem que já utilizam arma de fogo em serviço.
O estatuto, em sua redação atual, não isenta os vigilantes do pagamento de nenhuma taxa. De acordo com as regras vigentes, são isentos os integrantes das Forças Armadas, das polícias e dos copos de bombeiros militares, entre outras categorias.
Onyx Lorenzoni argumenta que os vigilantes possuem treinamento e, portanto, capacidade para portar arma. "Apesar disso, retornam a seus lares sem o instrumento que lhes garante a segurança necessária", afirma.
Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; de Finanças e Tributação; e deConstituição e Justiça e de Cidadania.