quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Presidiário acusado de matar e enterrar mulher é encontrado morto

Mayrton Alves Ferreira - 09.12.14Quixadá
O presidiário Mayrton Alves Ferreira, de 27 anos, vulgo “Motinha”, foragido da cadeia pública de Quixadá, acusado do assassinato da estudante Maria Gleiciane  Araújo da Silva, de 20 anos, foi encontrado morto na noite desta terça-feira, 9, na zona rural deste Município do Sertão Central. O corpo dele estava numa área despovoada, na localidade de Riacho do Meio, com perfurações à bala na cabeça e nas costas e sinais de pedradas na cabeça. Conforme a Polícia, os projéteis são provavelmente de espingarda ou escopeta calibre 12.
Motinha era considerado muito violento. Além de matar estrangulada e enterrar Maria Gleiciante ao lado de uma cisterna, no início deste mês, ele já respondia por um crime de latrocínio, roubo seguido de morte, praticado no início de maio de 2011 no distrito de Tapuiará, na zona rural de Quixadá. Na ocasião ele matou o mototaxista Eduardo Holanda Costa. Mais uma vez, agindo com requintes de crueldade, utilizou uma roçadeira para cortar o pescoço da vítima. Ele estava cumprindo pena por esse crime quando consegui fugir da cadeia de Quixadá no dia 8 de agosto passado.
Nesta terça-feira, 9, equipes da Polícia Militar, da Polícia Civil e do Comando Tático Rural (Cotar) passaram a realizar uma varredura no municípios de Quixadá e Banabuiú a procura de Motinha. Moradores da zona rural destes dois municípios estavam apreensivos com a possibilidade do presidiário foragido atacar alguma comunidade. Ele acabou sendo encontrado, já sem vida, por volta das 23 horas. Ao lado do corpo de Motinha foram encontradas várias garrafas pet, levando a Polícia a acreditar que ele havia se acomodado naquele local.

Nenhum comentário:

Postar um comentário