segunda-feira, 16 de março de 2015

Manifestantes em Fortaleza fazem protesto contra corrupção

Eles pediram o fim da corrupção, reforma política e saída de Dilma.
Ato ocorreu na Praça Portugal e seguiu pela orla.


Do G1 CE
Protesto chega à Beira-Mar de Fortaleza (Foto: Gabriela Alves/G1 CE)Protesto chega à Beira-Mar de Fortaleza (Foto: Gabriela Alves/G1 CE)
Manifestantes se reuniram na Praça Portugal, no Bairro Aldeota, na Zona Norte de Fortaleza, em ato contra o governo Dilma Rousseff. Os participantes começaram a chegar por volta das 8h e, às 10h30, os organizadores subiram no carro de som para discursar. Por volta de 12h, saíram caminhada pela Avenida Beira Mar. A Polícia Militar contabilizou 20 mil pessoas na passeata. Os organizadores estimaram o mesmo número de participantes: 20 mil. O ato terminou por volta das 13h.
Concentração do protesto na praça portugal em fortaleza (Foto: GAbriela ALves)Concentração do protesto na Praça Portugal
(Foto: Gabriela Alves/G1)
Os manifestantes se vestiram com as cores da bandeira brasileira e levaram cartazes com diferentes temas, como o pedido de reforma políca, defesa de direitos trabalhistas, fim da corrupção e "Fora Dilma''.
O clima foi de tranquilidade. A polícia registrou uma ocorrência apenas, a detenção de um homem ainda sem identificação portanto tesoura e estilete.
Os manifestantes à frente do movimento pediram a rigorosa investigação do escândalo de corrupção na Petrobras.
"'Vim reivindicar nosso direito como cidadão para que tudo seja investigado com rigor, todas as irregularidades sejam investigadas. Nacionalmente, existe o chamamento do "Impeachmet já'', mas primeiramente temos que investigar, ver a veracidade das informações. Estamos aqui cobrando a partipação do povo e cada um veio manifestar no seu direito de cidadão'', disse Marcelo Marinho, do Instituto Democracia e Ética, um dos organizadores do evento.
Manifestantes fazem cartazes, em Fortaleza (Foto: Gabriela Alves/G1 CE)Manifestantes exibem cartazes
(Foto: Gabriela Alves/G1 CE)
"Sou a favor das investigações, que tudo aconteça debaixo da democracia, no mais perfeito estado democrático. Que se abra um inquérito, que a Constituição seja preservada, atendida, respeitada, portanto. Que se investigue, se abra um inquériro e que se chegue e à conclusão, a nosso ver, deve ser o impeachment, diante de tudo que nós vimos aí, de tudo que está explicitado na mídia'', diz o empresário Paulo Angelim, organizador do protesto.
"Para o Brasil melhorar, precisa cada um de nós melhorar nossa titude'', disse o comerciante, Vicente de Paula Souza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário