quinta-feira, 30 de abril de 2015

Servidores acampam no Palácio da Abolição

Manifestantes afirmam que deixarão o local apenas quando conversarem com representante do Governo do Estado

Foto: Fuaspec/Divulgação
Um grupo de servidores públicos acampa desde o início da manhã desta quarta-feira (29), a sede do Governo do Ceará, o Palácio da Abolição, no bairro Meireles, em Fortaleza. Representantes de sindicatos reclamam que participariam de uma reunião com o governador Camilo Santana na manhã de hoje, mas o compromisso foi cancelado.
Ao Cnews, Eliene Uchoa, coordenadora do Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos do Ceará (Fuaspec), disse os sindicalistas aguardam um representante oficial do Governo aparecer para marcar uma nova reunião. “Fomos surpreendidos com a notícia que houve um equívoco e a reunião de hoje seria remarcada”, disse e completou “Apenas queremos conversar com alguém que realmente tenha poder de decisão no Governo, de preferência o governador”. 
Secretários e assessores do governo foram ao local para marcar uma nova reunião, segundo os manifestantes. Entretanto, o grupo afirma que só deixará o Palácio da Abolição quando o encontro for agendado. O Cnews entrou em contato com o Governo do Ceará, mas nenhuma ligação foi atendida. 
Entre as entidades reunidas no Palácio, estão: Sindicato dos Fazendários do Ceará (Sintaf), Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Ceará (Sinpol), Associação dos Professores de Estabelecimentos Oficiais do Ceará (Apeoc), entre outros. Os sindicatos integram o Fuaspec. “Ficaremos aqui até Camilo se posicionar sobre nossas pautas”, disse Eliene. 
Várias pautas devem ser discutidas neste encontro com Camilo Santana. Entre os assuntos estão a realização de concursos públicos para suprir vagas em diversas categorias e apresentação de um estudo elaborado pelo Sintaf.
De acordo com Ana Maria, diretora do Sintaf, o governador alega que falta recursos para o reajuste salarial para os funcionários da Secretária da Fazenda, mas estudos realizados pela entidade no Diário Oficial do Estado mostram que o Governo fechou 2014 com um saldo positivo de R$ 2 bilhões. No primeiro bimestre deste ano, compreendido entre janeiro até março, o Governo apresentou um saldo de R$ 1 bilhão. “Contestamos esta falta de recurso que o governador alega sofrer. Queremos dados que comprovem esta informação”, disse Ana Maria. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário