sexta-feira, 29 de maio de 2015

Terceiro vigilante é assassinado em Fortaleza em duas semanas

Vigilante foi assassinado com tiro na cabeça em Fortaleza nesta quinta.
Nos três casos, suspeitos mataram trabalhadores para roubar armas.

Do G1 CE
Vigilante foi baleado na cabeça e teve arma roubada (Foto: Marcélio Bezerra/TV Verdes Mares)Vigilante foi baleado na cabeça e teve arma roubada (Foto: Marcélio Bezerra/TV Verdes Mares)
Um vigilante foi vítima de latrocínio (roubo seguido de assassinato) na Rua Tibúrcio Cavalcante, em Fortaleza, na noite desta quinta-feira (28). Germano Santos, de 33 anos, trabalhava como vigilante há cinco anos em uma empresa de venda de ar-condicionado. Ele teve a arma de fogo roubada e foi baleado na cabeça.
De acordo com a Polícia Militar, um homem armado atirou contra o vigilante e fugiu a pé até a Avenida Pontes Vieira, onde um segundo suspeito o aguardava em uma motocicleta para continuar a fuga. Ninguém foi preso.
A polícia vai utilizar imagens do circuito interno de câmeras de segurança para tentar identificar os suspeitos.
3º vigilante assassinado em 12 dias
No últimos 12 dias, pelo menos três vigilantes foram assassinados no Ceará. Na manhã de quarta-feira (27), o servidores de uma escola em Iguatu, no centro-sul do estado, foi assassinado enquanto trabalhava. De acordo com Polícia Militar dois suspeitos tentaram invadir a escola e roubar a arma da vítima.
Em 11 de maio, um vigilante foi assassinado a tiros e teve a arma roubada no Bairro Meireles, em Fortaleza. Geraldo Luiz foi atingido por pelo menos cinco tiros, de acordo com a Polícia Militar. Segundo a Polícia Militar, os suspeitos tinham intenção de roubar a arma do vigilante para cometer assaltos. Um deles abordou Geraldo Luiz, enquanto o segundo o aguardava em um veículo para facilitar a fuga.
Segundo o Sindicato dos Vigilantes do Ceará, a maior parte dos vigilantes vítimas de homicídios é assassinada por homens que querem roubar as armas, por isso recomendam que utilizem armas de fogo somente em "último caso". “[Um cassetete] é melhor que uma arma porque eles tomam as armas”, afirma o vigilante Bruce Veras, que faz a proteção de lojas das ruas do Centro de Fortaleza.

Vigilantes são atacados na Capital e no Interior

DOIS MORTOS E UM FERIDO

Casos se repetem em localidades distintas no Estado; criminosos buscam roubar as armas de fogo dos seguranças

Image-0-Artigo-1862663-1
Um homem a pé, com apoio de outro, em uma motocicleta, teria roubado a arma do vigilante após matá-lo, com um tiro na cabeça, na calçada da loja
FOTO: JL ROSA
Em menos de 24 horas, três ataques a vigilantes no Estado deixaram dois homens mortos e um ferido. Em todas as ações, registradas na Capital e no Interior, a intenção dos bandidos era roubar a arma de fogo do profissional de segurança. Apenas em um dos casos, os criminosos conseguiram levar um revólver, de calibre 38. Para tanto, assassinaram um vigilante na porta da loja onde o homem trabalhava.
O latrocínio (roubo seguido de morte) ocorreu por volta das 16h de ontem, defronte a uma loja de condicionadores de ar localizada na esquina das ruas Tibúrcio Cavalcante e Lívio Barreto, no bairro Dionísio Torres, em Fortaleza.
Segundo testemunhas, Germano Santos da Fonseca, de 36 anos, estava na calçada do lado de fora da loja quando foi abordado por um homem, a pé. "O bandido apontou a arma pra cabeça do Germano. Daí ele (vigilante) fez que ia pegar a arma e o criminoso atirou. Depois foi lá, pegou o revólver, e saiu correndo", disse um homem (identidade preservada).
Na fuga, um comparsa dava apoio, em uma motocicleta. Conforme testemunhas, o suspeito subiu na garupa da moto e a dupla fugiu pela Rua Lívio Barreto. "O Germano costumava ficar sentado dentro da loja, e saia para a calçada mais ou menos nesse horário, quando o sol baixava", disse a testemunha.
De acordo com o perito Leão Júnior, da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), o vigilante foi morto com apenas um tiro. "A vítima foi atingida por um disparo no rosto, que transfixou", relatou.
A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) esteve no local. A diretora da unidade, delegada Socorro Portela, acompanhou pessoalmente o início dos trabalhos. As câmeras de segurança da loja não capturaram imagens da ação.
Entretanto, há a expectativa de que sistemas de videomonitoramento de prédios vizinhos tenham flagrado a fuga dos dois suspeitos do latrocínio. Até o fechamento desta edição, ninguém havia sido preso.
Interior
Outros dois casos de ataques a vigilantes foram registrados no Interior do Estado, na última quarta-feira (27). A primeira ocorrência foi registrada por volta das 20h em Choró, a 180 km da Capital.
O vigilante de uma escola pública foi abordado por duas pessoas encapuzadas que portavam uma escopeta de calibre 12. Segundo a vítima, de 37 anos, eles teriam tentado roubar a arma de fogo dela. Houve reação por parte do segurança particular e teve início uma troca de tiros. O vigilante acabou atingido por estilhaços acima do olho esquerdo. Os bandidos fugiram sem conseguir levar a arma.
Já em Iguatu, a 380 km de Fortaleza, o porteiro de uma escola de Ensino Médio foi morto por bandidos que também atacaram o vigilante da instituição com o objetivo de roubar a arma de fogo. O crime aconteceu por volta das 19h também de quarta-feira (27), segundo a Polícia.
Flávio Alexandre de Souza, de 34 anos, foi atingido por três tiros. Ele estava na portaria da escola quando duas pessoas, que teriam se passado por alunos, abordaram o vigilante e tentaram tomar a arma. O porteiro reagiu para ajudar o colega e houve luta corporal. Flávio caiu, e foi atingido por um disparo na cabeça. A dupla fugiu.
Meireles
Há menos de um mês, outro vigilante particular também foi morto no bairro Meireles. Naquela ocasião, Geraldo Luís da Silva Filho foi abordado por dois homens a pé, com apoio de um terceiro, em um veículo Chevrolet Celta, na calçada de um pátio comercial. Ele foi atingido por três tiros e morreu no local.
Levi de Freitas
Repórter
(Colaboraram, Honório Barbosa e Alex Pimentel)

quinta-feira, 28 de maio de 2015

NOVO ARMAMENTO NÃO LETAL SERÁ UTILIZADO NO CEARÁ

SEGURANÇA PRIVADA

Image-0-Artigo-1861784-1
A arma de choque, chamada Spark, é a primeira deste tipo feita no Brasil. O equipamento emite cinco segundos de descarga elétrica
FOTO: KID JÚNIOR
Um novo tipo de armamento não letal foi autorizado pela Polícia Federal a ser utilizado no Ceará. Pistolas que emitem descargas que conseguem retardar os movimentos neuromusculares de suspeitos de crimes foram adquiridas por uma empresa de segurança privada e deverão ser utilizados por vigilantes, que atuam na segurança de hospitais, escolas e grandes eventos.
A arma de choque, chamada Spark, é a primeira deste tipo feita no Brasil. Ela possui dispositivos de segurança que permitem auditorias em casos de mau uso; e que inviabilizam sua utilização, em caso de roubo.
"A Spark emite cinco segundos de descarga, diferente da Taser que enquanto o gatilho for disparado, continua emitindo a corrente. Este artifício de descontinuar a carga é importante, porque o uso inadequado destas pistolas podem fazer com que elas deixem de ser não-letais. Uma descarga exagerada pode ser letal", declarou João Paulo Lima, gerente de operações de alto risco da Servis Segurança".
De acordo com Lima, um minuto após o disparo da Spark, o alvo começará a recobrar seus movimentos e em cerca de cinco minutos deverá ter se recuperado totalmente. Segundo ele, a voltagem de uma descarga da arma chega a 50 mil volts, mas a potência não é determinante para que uma arma não letal se torne letal.
"O que influi na letalidade é a amperagem, que é muito baixa. Mesmo pessoas que tenham problemas cardíacos e usam marca-passos, por exemplo, não são afetadas por um único disparo, porque o equipamento instalado no paciente tem um conversor de descargas", afirmou o diretor.
Secundária
João Lima lembra que a arma não-letal será um auxílio, um armamento secundário. Os dez vigilantes da Servis que foram treinados para portar as pistolas continuarão usando seus revólveres. "A arma incapacitante neuromuscular é indicada para lugares ou situações em que não é indicado o uso de armas de fogo. Uma invasão a um hospital, por exemplo, pode ser controlada pela Spark, sem que seja feito um disparo que acabe ferindo um inocente em sua trajetória".
O diretor executivo da Servis Segurança, Giuliano Loreiro, disse que esta é uma tentativa da empresa de contribuir com a cultura de paz. "Entendemos que é possível fazer segurança preservando o bem maior, que é a vida. Este é um conceito, que pretendemos ampliar e fazer com que toda a sociedade perceba", afirmou Loreiro.

Dupla armada assalta Banco do Brasil de Caucaia

OUSADIA

Dois homens chegaram quando a agência estava sendo aberta e renderam os funcionários do local

Image-0-Artigo-1861782-1
Policiais militares foram duas vezes à agência após denúncias de um assalto no local. Eles teriam conversado com um vigilante. O homem, que havia sido ameaçado pelos bandidos, disse aos PMs que nada estava acontecendo
FOTO: VC REPÓRTER
Dois homens armados assaltaram a agência do Banco do Brasil, localizada no Centro de Caucaia, na manhã ontem. De acordo com a Polícia Civil, a dupla rendeu o gerente quando ele chegava para abrir a agência e levou o dinheiro que estava nos caixas. Pessoas que estavam dentro do banco disseram à PM, que os criminosos permaneceram cerca de 30 minutos no local.
O titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), Raphael Vilarinho, declarou que a quantia subtraída pelos dois homens ainda não foi contabilizada. Os suspeitos foram embora, sem levantar suspeitas das pessoas que estavam do lado de fora da agência. No momento do roubo, a Coordenadoria de Operações Integradas de Segurança (Ciops) recebeu denúncia de que estava acontecendo o roubo e deslocou uma patrulha ao banco.
Conforme informações da 1ªCia do 12ºBPM (Caucaia), os policiais foram duas vezes à agência e conversaram com o vigilante, que disse que o expediente estava acontecendo normalmente. "Quando os assaltantes entraram, renderam o vigilante. Tomaram a arma dele e retiraram todas as munições. Ele voltou para a frente do banco rendido. Os assaltantes disseram que se ele desse alguma pista do que estava acontecendo, os funcionários morreriam", disse um policial militar, que preferiu não se identificar.
Depois que a situação foi descoberta, as vítimas contaram à Polícia que durante o tempo que os bandidos estiveram dentro da agência mandaram os funcionários trabalharem normalmente. "Passaram muito tempo lá dentro tentando recolher todo o dinheiro. Amedrontaram muito os funcionários. Chegaram até a tomar café lá dentro, como se nada estivesse acontecendo", disse o militar do 12ºBPM.
Por enquanto, a Polícia ainda não tem pistas do paradeiro dos criminosos. O delegado da DRF revelou que eles escaparam em um automóvel Fox, de cor branca, que estava com placas clonadas. "Uma pessoa conseguiu anotar as placa e nos repassou. Porém, quando checamos percebemos que o número não batia com o veículo. Era uma placa fria", afirmou o titular da DRF.
As câmeras do circuito interno de segurança do banco não estavam funcionando na hora do assalto, segundo Vilarinho. "Nos ajudaria muito se as câmeras estivessem funcionando, até porque eles praticaram todo o crime de cara limpa. Os bancos não têm colaborado com a manutenção dos seus circuitos internos, nem com a segurança de suas próprias agências. Vamos procurar outros estabelecimentos nas proximidades que tenham o equipamento para tentarmos identificar os suspeitos", disse o delegado.
Outro caso
Este é o 26º ataque a banco (arrombamento, assaltos e explosões) registrado em 2015, no Ceará. O último tinha ocorrido em Barreira, no dia 19 de abril. Um caso semelhante ao de ontem, aconteceu no dia 10 de abril, na Caixa Econômica Federal (CEF) localizada no bairro Pajuçara, em Maracanaú.
Segundo a Polícia, os criminosos conseguiram levar dois malotes da instituição federal, depois de render o vigilante, armados com fuzis. Por enquanto, ninguém foi preso.
Márcia Feitosa
Repórter

Vigilante é assassinado a tiros dentro de escola em Iguatu

O corpo do porteiro foi coberto com uma lona preta. Foto: Alex Santana/Iguatu.net


 
O corpo do porteiro foi coberto com uma lona preta. Foto: Alex Santana/Iguatu.net
Uma dupla armada invadiu a Escola Antônio Albuquerque na Vila Centenário em Iguatu e matou com vários tiros o porteiro da unidade escolar. Segundo informações repassadas para a equipe de reportagem do portal Iguatu.net que esteve no local,  dois jovens se passando por alunos, entraram na escola e foram abordados pelo vigilante.
Os dois anunciaram que pretendiam pegar a arma que estava em poder do segurança, o porteiro identificado por Flávio Alexandre de Sousa,34,  observou a movimentação e saiu em defesa do colega de trabalho, o mesmo deu um golpe em um dos meliantes, mas ao cair no solo foi alvejado pelo segundo componente da dupla.
“Eles deram uns três tiros no Alexandre, que pretendeu defender a escola. Eles chegaram com a cara limpa, são dois jovens, se passaram por alunos e quando os abordei eles disseram que pretendiam pegar a arma e infelizmente tudo acabou assim”, disse o vigilante para os militares.
Os bandidos fugiram do local tomando rumo ignorado, em instantes novas informações.
Assista a reportagem completa:

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Canindé registra quatro homicídios a bala em apenas seis dias

Violência e muito sangue derramado em Canindé. 

No intervalo de três horas, dois homicídios à bala foram registrados na sede do município. 

O primeiro caso aconteceu no cruzamento das ruas Joaquim Cordeiro com Petronilo Barbosa, no bairro Alto Guaramiranga.

Paulo Roberto Felix, de 16 anos, conhecido como 'Paulo Serrote' foi a vitima.

O adolescente foi socorrido às pressas para o hospital São Francisco, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito. 

A equipe médica plantonista ainda chegou a solicitar o SAMU para fazer a transferência do adolescente para Fortaleza.

Ele sofreu várias perfurações à bala pelo corpo (principalmente, na região da cabeça e tórax).

O segundo caso aconteceu por volta das 22:20 hs no bairro do Canindezinho.

A vitima foi identificada como Francisco Adelino Bandeira de Freitas, de 33 anos, vulgo ceguinho, que era ex-presidiário. 

Segundo informações da Polícia, o mesmo estava em uma residência quando chegaram dois elementos em uma motocicleta e efetuaram três disparos de arma de fogo na cabeça do mesmo, tendo morte instantânea. 

RELEMBRANDO.

É o quarto crime de homicídio com características de execução, em apenas 6 dias em Canindé.
Na última quinta-feira (dia 14 de maio), o também adolescente Gabriel Gomes Ferreira'o Gabrielzinho Melquides' foi assassinado no bairro do Monte.

Já na última segunda-feira (18 de maio), outro crime parecido foi cometido no bairro Santa Luzia. 
A vítima foi José Welder Cosme Marçal de 29 anos, conhecido como "Pretinho". 

Em nenhum dos casos ninguém foi preso. 

A policia investiga se os crimes tem ligação com o outro.


Paulo Roberto Felix, de 16 anos, conhecido como 'Paulo Serrote morto na noite desta quarta-feira 20-05-15 no Bairro Alto Guaramiranga. 

Francisco Adelino Bandeira de Freitas, de 33 anos, vulgo ceguinho, que era ex-presidiário. Morto na noite desta quarta-feira no Bairro Canindezinho.
José Welder Cosme Marçal de 29 anos, conhecido como "Pretinho". Morto na ultima segunda-feira no Bairro da Santa Luzia.

          
 Gabriel Gomes Ferreira'o Gabrielzinho Melquides' foi assassinado no bairro do Monte no ultimo dia 14 de maio. 

Fonte: Canindé Urgente

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Intrajornada

Intervalo  para repouso e alimentação - art. 71 da CLT - Artigos

Intervalo intrajornada para repouso e alimentação - art. 71 da CLT

Tito Lívio de Assis Góes

O artigo 71 da CLT estabelece a obrigatoriedade da concessão de intervalo intrajornada aos trabalhadores,  in verbis

Art. 71 - Em qualquer trabalho contínuo, cuja duração exceda de 6 (seis) horas, é obrigatória a concessão de um intervalo para repouso ou alimentação, o qual será, no mínimo, de 1 (uma) hora e, salvo acordo escrito ou contrato coletivo em contrário, não poderá exceder de 2 (duas) horas.
 § 1º - Não excedendo de 6 (seis) horas o trabalho, será, entretanto, obrigatório um intervalo de 15 (quinze) minutos quando a duração ultrapassar 4 (quatro) horas.
§ 2º - Os intervalos de descanso não serão computados na duração do trabalho.
§ 3º O limite mínimo de uma hora para repouso ou refeição poderá ser reduzido por ato do Ministro do Trabalho, Indústria e Comércio, quando ouvido o Serviço de Alimentação de Previdência Social, se verificar que o estabelecimento atende integralmente às exigências concernentes à organização dos refeitórios, e quando os respectivos empregados não estiverem sob regime de trabalho prorrogado a horas suplementares.
§ 4º - Quando o intervalo para repouso e alimentação, previsto neste artigo, não for concedido pelo empregador, este ficará obrigado a remunerar o período correspondente com um acréscimo de no mínimo 50% (cinqüenta por cento) sobre o valor da remuneração da hora normal de trabalho.
§ 5º - Os intervalos expressos no caput e no § 1o poderão ser fracionados quando compreendidos entre o término da primeira hora trabalhada e o início da última hora trabalhada, desde que previsto em convenção ou acordo coletivo de trabalho, ante a natureza do serviço e em virtude das condições especiais do trabalho a que são submetidos estritamente os motoristas, cobradores, fiscalização de campo e afins nos serviços de operação de veículos rodoviários, empregados no setor de transporte coletivo de passageiros, mantida a mesma remuneração e concedidos intervalos para descanso menores e fracionados ao final de cada viagem, não descontados da jornada. 

ou seja, para quem trabalha:
- mais de 06 (seis) horas, tem o direito a um intervalo mínimo de 1h (uma hora);
- menos de 06 (seis) horas, tem o direito a um intervalo mínimo de 15min (quinze minutos).
A matéria suscitou muitos questionamentos nas Cortes trabalhistas, quando os trabalhadores que não estavam usufruindo da concessão parcial ou não concessão do intervalo intrajornada passaram a pleitear o pagamento integral do horário suprimido e com o adicional de horas extras.
Em setembro/2012 o TST - Tribunal Superior do Trabalho acabou com a polêmica ao editar a Súmula nº. 437

INTERVALO INTRAJORNADA PARA REPOUSO E ALIMENTAÇÃO. APLICAÇÃO DO ART. 71 DA CLT (conversão das Orientações Jurisprudenciais nºs 307, 342, 354, 380 e 381 da SBDI-1) - Res. 185/2012, DEJT divulgado em 25, 26 e 27.09.2012
 I - Após a edição da Lei nº 8.923/94, a não-concessão ou a concessão parcial do intervalo intrajornada mínimo, para repouso e alimentação, a empregados urbanos e rurais, implica o pagamento total do período correspondente, e não apenas daquele suprimido, com acréscimo de, no mínimo, 50% sobre o valor da remuneração da hora normal de trabalho (art. 71 da CLT), sem prejuízo do cômputo da efetiva jornada de labor para efeito de remuneração.
II - É inválida cláusula de acordo ou convenção coletiva de trabalho contemplando a supressão ou redução do intervalo intrajornada porque este constitui medida de higiene, saúde e segurança do trabalho, garantido por norma de ordem pública (art. 71 da CLT e art. 7º, XXII, da CF/1988), infenso à negociação coletiva.  
III - Possui natureza salarial a parcela prevista no art. 71, § 4º, da CLT, com redação introduzida pela Lei nº 8.923, de 27 de julho de 1994, quando não concedido ou reduzido pelo empregador o intervalo mínimo intrajornada para repouso e alimentação, repercutindo, assim, no cálculo de outras parcelas salariais.
IV - Ultrapassada habitualmente a jornada de seis horas de trabalho, é devido o gozo do intervalo intrajornada mínimo de uma hora, obrigando o empregador a remunerar o período para descanso e alimentação não usufruído como extra, acrescido do respectivo adicional, na forma prevista no art. 71, caput e § 4º da CLT.

O TST apenas consolidou o entendimento dos tribunais que adotavam o que consta na Súmula.
O empregador deverá proceder o pagamento integral do intervalo sonegado, com o acréscimo de horas extras, e não apenas do tempo sonegado.
Consolida que o valor pago tem natureza salarial e, consequentemente, reflete em cálculo de outras verbas salariais.
E quando ultrapassada habitualmente a jornada de 06 (seis) horas, será obrigado a conceder o intervalo de 1h (uma hora). 
Diante do exposto, é necessário que o empregador deva conceder o intervalo intrajornada e ficar vigilante para que os seus empregados o usufruam corretamente, sob pena da aplicação do disposto na Súmula nº, 437 do c. TST e criar um passivo trabalhista.

Avião apreendido no interior do Ceará carregava 361,7 kg de cocaína, diz PF

Operação foi realizada pela PF em parceria com a Polícia Militar.
Cessna foi interceptado por um 'caça' da FAB e obrigado a pousar, diz PM.

Do G1 CE

Agente da Polícia Federal participa de perícioa na aeronave (Foto: PF/Divulgação)Papiloscopista da Polícia Federal participa de perícia na aeronave (Foto: PF/Divulgação)
Pesagem de droga foi concluída na sede da Polícia Federal (Foto: PF/Divulgação)Pesagem de droga foi concluída na sede da
Polícia Federal (Foto: PF/Divulgação)
A Polícia Federal concluiu, neste domingo (17), a pesagem da droga que estava em uma aeronave modelo Cessna apreendida na tarde deste sábado (16), na zona rural do município de Pedra Branca, no Centro Sul do Ceará. A pesagem foi feita na sede da PF, em Fortaleza. A aeronave transportava 361,7 kg de cocaína.
De acordo com a Polícia Militar, a aeronave já estava sendo monitorada pelo Serviço de Inteligência da Polícia Federal, foi interceptada por um 'caça' da Força Aérea Brasileira (FAB) e obrigada a pousar. Segundo a Polícia Federal, os suspeitos de tráfico fugiram quando perceberam a operação e estão sendo procurados.
Segundo caso no ano
Este foi o segundo caso de avião carregado de drogas apreendido no Ceará em 2015. Em abril deste ano, a Polícia Federal prendeu quatro pessoas que recebiam drogas de um avião carregado nas cidades de Canindé e em Boa Viagemx. Além de a droga e do GPS, foram encontradas uma pistola, celulares, um mapa de navegação da Bolívia e do Paraguai e um plano de voo. Os entorpecentes estavam divididos em sete malas.
Antes de pousar em Canindé, o avião parou em outra cidade cearense, Boa Viagem, onde fez uma entrega de parte da droga a uma pessoa, que foi presa com uma mala de 30 kg de entorpecente. A partir dessa prisão, o avião e os possíveis locais de pouso foram monitorados. Uma hora e meia depois que aeronave pousou em Canindé para abastecer, o piloto foi preso por meio de denúncias de moradores de que havia uma pessoa à procura de combustível nos postos da cidade com roupa de piloto. O piloto da aeronave caminhava com uma mochila com  R$ 6.300.
Rota internacional do tráfico
O avião apreendido com 350 quilos de drogas na zona rural de Canindé, a 120 km de Fortaleza, fazia parte de uma rota internacional de tráfico de entorpecentes, de acordo com as investigações da polícia. Segundo o tenente-coronel Assis Azevedo, comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar, o aparelho GPS encontrado na aeronave rastreou localizações entre outros países, como Bolívia, Argentina e Colômbia. “Pelos voos, tipo e quantidade de droga apreendida deve se tratar de uma rota internacional”, afirmou.
Polícia Federal estima que o avião continha cerca de 300 quilos de droga (Foto: Polícia Federal/Divulgação)Avião foi apreendido pela Polícia Federal na zona rural do município de Pedra Branca (Foto: Polícia Federal/Divulgação)