sábado, 18 de julho de 2015

Bandidos roubam banco em Caridade

VIOLÊNCIA NO INTERIOR

Grupo levou dinheiro dos caixas e armas dos vigilantes; esta foi a 37ª ação criminosa contra instituições financeiras

Image-0-Artigo-1893645-1
Em quase a metade dos casos de ataques foi empregado o uso de explosivos pelos criminosos; as ações levam terror à população local
FOTO: LUCAS DE MENEZES
Um dia após o governo se reunir com entidades bancárias e representantes da segurança pública para tratar de ações contra ataques a banco, a 37ª agência foi vítima dos bandidos no Estado neste ano. Dinheiro dos caixas e as armas dos vigilantes foram levados pelo grupo.
De acordo com informações do Comando de Policiamento do Interior (CPI), quatro homens armados invadiram a agência do Banco Bradesco do município de Caridade, a 97 quilômetros de Fortaleza, por volta das 15h de ontem.
Conforme a Polícia, o grupo chegou ao local em um veículo Volkswagen Gol de cor branca. Três suspeitos entraram na agência, enquanto o quarto homem ficou do lado de fora, dando apoio aos demais na ação.
Na agência havia clientes no momento da ação. O vigilante do estabelecimento foi rendido e teve a arma tomada. Na sequência, o dinheiro dos caixas foi levado e os homens fugiram. Segundo as informações do CPI, nenhum tiro foi efetuado e ninguém ficou ferido na ação.
Fuga
Testemunhas afirmaram que o veículo seguiu no sentido da cidade de Aratuba. Composições policiais de municípios próximos foram acionadas e deslocadas para Caridade, no intuito de capturar os suspeitos.
O titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), delegado Raphael Vilarinho, também enviou policiais da unidade para trabalharem nas investigações. "Mandamos equipe ao local do crime, para identificar os suspeitos. Vamos tentar pegar informações com testemunhas para identificar e prender os responsáveis por essa ação criminosa", esclareceu o delegado.
Vilarinho criticou que a agência bancária não conta com sistema de monitoramento, o que dificulta os trabalhos. "A agência bancária não tem câmera de monitoramento. Falta equipamento de segurança, o que é responsabilidade do banco, e poderia dar subsídio para a gente investigar. Se não tem o mínimo de equipamento de segurança, acaba dificultando o trabalho da Polícia", pontuou.
O titular da DRF informou que os ataques são comuns durante os meses de férias. "O mês de julho tem índices mais altos de ataques contra instituições financeiras. Geralmente, julho e dezembro, que são meses de férias. Ano passado tivemos nove ataques no mês de julho. Esse ano, estamos com quatro", afirmou Vilarinho.
Rotina
Os ataques a instituições financeiras no Ceará têm se tornado comuns. Neste ano, já foram 37 ações criminosas, segundo a DRF. Quando não se trata de invasões com arma em punho, os estabelecimentos são destruídos com o uso de explosivos durante a madrugada. Foram 14 bancos e um agência dos Correios explodidos.
As duas últimas ações contra instituições financeiras envolveram o uso de explosivos. No último dia 14, uma quadrilha explodiu a agência dos Correios do município de Choró, durante a madrugada.
O estabelecimento, que também realizava serviços do Banco do Brasil, teve R$ 200 mil subtraídos na ação criminosa. Na fuga, o grupo seguiu em direção a Canindé, pela rodovia CE-456, e deixou um veículo Volkswagen Gol incendiado.
Na madruga do dia 6, foi a agência do Banco do Brasil de Barreira, a 72 quilômetros da Capital, que foi alvo dos bandidos.
Cerca de seis homens teriam detonado os explosivos próximo aos cofres da agência. Um caminhão foi usado por eles para fechar uma das ruas de acesso.
Força-tarefa
No dia 30 de junho, o governador Camilo Santana já havia antecipado de maneira exclusiva ao Diário do Nordeste que desejava montar um grupo para atuar unido no combate aos ataques às agências financeiras.
No dia 1º de julho, durante reunião de monitoramento do Programa Em Defesa da Vida, o governador oficializou que a SSPDS articularia contatos com entidades para os trabalhos.
Na última quinta-feira (16), a secretaria realizou a primeira reunião do grupo de trabalho intersetorial de combate a assaltos a bancos. No encontro, estiveram presentes representantes da Pasta e das vinculadas Polícia Civil, Polícia Militar, Perícia Forense do Ceará e Corpo de Bombeiros. Também participaram membros do Exército Brasileiro, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Agência Brasileira de Inteligência. Responsáveis pelos setores de inteligências das instituições financeiras Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Banco do Nordeste, Santander e Banco Central; representantes das empresas de transportes de valores Corpvs e Brinks e dos Correios, também marcaram presença.
A reunião serviu para a troca de ideias e sugestões entre os presentes sobre como o trabalho das instituições pode ser otimizado. O secretário Delci Teixeira sugeriu que sejam realizadas mensalmente reuniões de avaliação e de operacionalização.
(Colaborou Sara Sousa)
Levi de Freitas
Repórter

Nenhum comentário:

Postar um comentário