quarta-feira, 1 de julho de 2015

Homens são presos por aplicar golpes bancários

As vítimas eram idosas a e os crimes foram cometidos em instituições financeiras
Investigações realizadas pela Polícia Civil (PCCE), por meio do 2º Distrito Policial (DP), resultaram nas prisões de dois golpistas em Fortaleza. Os criminosos foram capturados em flagrante quando se preparavam para mais uma ação. 
Evangelista Ferreira de Oliveira (51), o “Violão”, e Januário Alexandre Sales (53) são acusados de aplicar golpes em instituições financeiras. Ambos são naturais da cidade de Novo Oriente e respondem a procedimentos policiais por estelionato em Brasília e em São Paulo. 
Ação policial
Evangelista Ferreira e Januário Alexandre foram abordados durante campanas policiais quando se preparavam para aplicar mais um golpe. As vítimas eram, em sua maioria, pessoas com idade avançada e os crimes, cometidos em instituições financeiras situadas na Aldeota e proximidades. No  último trimestre, cerca de 30 Boletins de Ocorrências (BO) foram registrados no 2º DP relatando casos do tipo. Os acusados foram presos durante investigações sobre as ocorrências.
Com os infratores, os civis apreenderam um aparelho conhecido como “chupa cabra” pertencente a Januário, segundo ele, comprado há quatro anos em Brasília por R$ 1.200,00; 15 cartões bancários roubados em nome de terceiros, adquiridos por Evangelista em uma feira na cidade de Crateús; e a quantia de R$ 2.800,00. 
A dupla foi conduzida ao 2º DP e presa em flagrante por furto mediante fraude e receptação. Eles confessaram a autoria dos delitos. 
O golpe 
Aparentemente bem vestidos, Evangelista e Januário escolhiam suas vítimas no interior das instituições financeiras, como agências bancárias e caixas eletrônicos de postos de combustíveis e supermercados. Eles se aproximavam das pessoas oferecendo ajuda, descobriam a senha do cartão bancário delas, trocavam o objeto por outro semelhante sem que o cliente percebesse e, logo em seguida, devolviam o objeto alegando estar com problema. Depois, realizavam as transações bancárias. 
As apurações, efetuadas por policiais civis, indicam que os criminosos efetuaram transações bancárias que chegavam a R$ 20 mil. De acordo com o delegado Ricardo Romagnoli, titular do 2º DP, as investigações sobre as atividades criminosas da dupla deverão continuar. Ele revela ainda que a Polícia tem informações para identificar e prender outros infratores que atuam da mesma da forma na área.

Nenhum comentário:

Postar um comentário