terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Sindicato diz que vigilante foi morto por engano

O vigilante foi morto no último sábado (9)
A Polícia Civil investiga as circunstâncias da morte do vigilante identificado como Ismael Gomes da Silva, de 43 anos de idade. Ele era funcionário de uma empresa terceirizada que presta serviço para uma obra na Rua Coronel Raimundo Guanabara, no bairro São Gerardo, em Fortaleza.
Segundo o presidente do Sindicato dos Vigilantes Daniel Borges, Ismael foi trabalhar no lugar de outro vigilante na noite do último sábado (9). Por volta das 22 horas um homem que estava em uma moto e com a bolsa de entregador de pizza rondou a obra e em seguida retornou sacando um revólver. Pelo menos três tiros foram efetuados em direção ao vigilante. Ele foi atingido na cabeça. Apesar dos moradores terem ouvido os tiros o corpo só foi encontrado no outro dia pela manhã durante a troca de turno. Como nada foi levado e a arma teria sido encontrada na mão dele acreditava-se em suicídio. A verdade só veio à tona quando as imagens foram divulgadas. O presidente do Sindicato acredita que ele tenha sido morto por engano.
De acordo com Daniel Borges, a motivação teria sido por represálias de algum criminoso que o vigilante Ismael ou o vigilante que ocupa mesmo o cargo teria repreendido em algum momento. Segundo o sindicato até o momento ninguém foi preso.

Clientes são agredidos por seguranças de barraca de praia; mulher leva tapa no rosto

O estudante de engenharia civil Vinicius Silverio e sua irmã, Milena Silverio, foram agredidos, na noite do último sábado (9), por seguranças da barraca de praia Guarderia Brasil, localizada na Praia do Futuro, em Fortaleza. Em vídeos divulgados nas redes sociais, as vítimas, que tinham acabado de sair de uma festa no local, aparecem recebendo socospontapés e tapas dos funcionários do estabelecimento.
Em um dos vídeos feito por testemunhas, Vinicius aparece deitado próximo à entrada da barraca, após supostamente ter sido agredido, quando sua irmã, Milena, tenta tirar satisfação com um dos seguranças, que reage dando um tapa no rosto da mulher, que cai no chão. No mesmo instante, Vinicius levanta e tenta partir para cima do segurança, mas logo é contido por três homens, recebendo socos e pontapés.  
Em postagem nas suas redes sociais, Vinicius, que diz ter comprado o ingresso para a festa e consumido produtos na barraca, afirma que a confusão começou quando ele e suas duas irmãs estavam saindo da Guarderia. "Decidi ir embora e, ao sair, percebi que a Milena não estava na minha companhia. Pedi, então, para que minha outra irmã, Rafaele, fossse encontrá-la, mas disseram que ela não poderia entrar novamente", relata.
Como não conseguiu entrar na barraca para buscar a irmã, Rafaele procurou a gerente do estabelecimento e pediu para que a organização da festa chamasse Milena através de algum microfone, o que não foi feito, segundo relata Vinicius. "Eu consegui entrar e, como estava apertado, fui ao banheiro. Foi aí que quatro seguranças chegaram me batendo", destaca o estudante, que diz também ter sofrido ofensas racistas por parte dos funcionários do estabelecimento, que também teve seu celular quebrado. "Me derrubaram no chão. Ainda bem que algumas pessoas me ajudaram, senão eles teriam me matado", complementa.Nota de esclarecimento
Em nota de esclarecimento divulgada neste domingo (10), a Guarderia Brasil diz lamentar "profundamente os tristes acontecimentos ocorridos na casa e registrados em vídeo, no último sábado (9). A empresa está realizando as apurações cabíveis sobre o ocorrido e os relatos envolvendo o caso para tomar todas as providências necessárias. A Guarderia Brasil mantém o compromisso com seu público de realizar eventos de qualidade, em um ambiente pacífico, e repudia qualquer tipo de conduta que resulte em agressão, sob qualquer circunstância".
Fonte: DN

Balanço positivo das ações do BPRaio em Maranguape

Com três semanas de atuação na cidade de Maranguape, na Área Integrada de Segurança 12 (AIS 12), o Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio) vem apresentando, em números de prisões e apreensões, os bons resultados alcançados no combate às ações criminosas na Região Metropolitana de Fortaleza. Em uma das ofensivas, ocorrida nesse domingo (10), o patrulhamento especializado dos “raianos” apreendeu duas armas de fogo, após uma abordagem realizada no bairro Área Seca. 

Desde o dia 18 de novembro, sábado que ficou marcado, para os maranguapenses, como o dia da chegada do BPRaio na cidade, foram apreendidas cinco armas de fogo. No balanço das ocorrências regitradas, destacam-se, ainda, as capturas de cinco pessoas, entre elas, prisões e apreensões ocorridas durante atendimentos policiais. Contudo, além das ações proativas, o Batalhão também se destaca pelo trabalho preventivo, ocorridos em pontos estratégicos e em abordagens a pessoas em atitude suspeita.

Assalto com prisão de indivíduo em Limoeiro do norte.


Ontem por volta das 17:00hs, no centro de Limoeiro do norte, ocorreu um assalto a casa lotérica jaguar, onde dois elementos fazendo uso de arma de fogo entraram na referida lotérica e subtraíram os pertences de todas as pessoas que estavam na fila, de imediato a viatura da FTA foi acionada e ao chegar ao local receberam a informação de que durante o assalto um dos indivíduos havia efetuado um disparo e acertado o pé esquerdo do outro, que diante da informação a supracitada equipe saiu em diligência e encontrou vestígios de sangue no asfalto, onde seguiram as marcas que saiam do asfalto e seguiam por uma estrada carroçável até a comunidade de sítio bom fim, onde em uma casa se encontrava o indivíduo Francisco Neudson Gomes da Silva, 16 anos, natural do Eusébio-CE, com passagens por roubo, tráfico e porte ilegal de armas. Com o mesmo foi encontrado 2 revólveres, sendo um cal. 38 e outro cal. 22 e 6 munições de 38 intactas, bem como aparelhos celulares e dinheiro das vítimas. Vale ressaltar o apoio da composição PM de tabuleiro do norte, que assim que copiou o assalto na frequência se deslocou pra Limoeiro e participou do cerco a casa onde se encontrava o indivíduo. As diligências continuam no intuito de pegar o segundo indivíduo que fugiu antes da chegada das viaturas.

DUPLA É PRESA DE POSSE DE UMA ARMA E UMAd MOTOCICLETA ROUBADA EM ARACATI-CE

Dois elementos foram Presos pela equipe do Romu da Guarda municipal e apoio da PM de Aracati-CE, na noite de segunda-feira 11/12/17 e os mesmos estava com um biz roubada.
 
 
Fonte: Whatsapp

Facção criminosa proíbe roubo de celular, moto e carro em Mombaça


ma facção criminosa que se identificou como “Crime local de Mombaça” está divulgando, através de redes sociais, um “comunicado” proibindo o roubo de celulares, motos e carros no município, sob pena de ser “cobrado radicalmente”.
“Pedimos encarecidamente na humildade, e se tiver alguém que vier desacreditar e passar por cima desse comunicado, será cobrado radicalmente por afrontar os criminosos, pois as vítimas não é só os cidadãos, a família de bandido também. Então viemos repudiar e acabar essa modalidade de roubos a aparelhos de celulares pois muita gente pobre passa meses pagando um celular à prestação para vim e ser roubado? É inadmissível essa prática!”.
Não é a primeira vez que comunicados como esse são divulgados. Facções usam as redes sociais e cartazes pregados na vizinhança para proibir pessoa de andarem de capacete, entre outras coisas, nos lugares em que dominam. 

Confira na íntegra: 

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

OPERAÇÃO PIRÂMIDE

POLÍCIA CIVIL DESARTICULA PIRÂMIDE FINANCEIRA QUE ATUAVA EM IGUATU/CE E REGIÃO E QUE MOVIMENTOU MAIS DE 05 (CINCO) MILHÕES DE REAIS

Resultado de imagem para piramide financeira
Na manhã desta quinta-feira (07/12/2017), a EQUIPE DA POLÍCIA CIVIL da Delegacia Regional de Iguatu/CE concluiu uma Operação Policial denominada “OPERAÇÃO PIRÂMIDE”, que desarticulou a pirâmide financeira denominada “D9 CLUBE DE EMPREENDEDORES”, que atuava em Iguatu/CE e em outras cidades da Região Centro-Sul e que movimentou mais de 05 (cinco) milhões de reais. 
No final do mês de agosto desse ano, a POLÍCIA CIVIL recebeu várias denuncias de pessoas que relataram que foram atraídas a investir em uma empresa chamada D9 CLUBE. Os responsáveis por esta empresa em Iguatu/CE, os chamados “líderes”, ludibriavam as vítimas alegando que elas teriam que investir a quantia mínina de R$ 6.750,00 e com isso teriam lucros de mais de 30% ao mês e de mais de 300% ao ano. Então, várias pessoas investiram quantias em dinheiro e criaram contas virtuais no site da empresa. As vítimas relataram que o pagamento de tal valor era feito em mãos e o dinheiro era entregue em espécie a algum dos “lideres” e que os pagamentos dos lucros eram feitos em mãos e pagos também em dinheiro vivo pelos “líderes” do negócio. Ocorre que em determinado momento os pagamentos cessaram e muitas pessoas ficaram no prejuízo e a partir de então procuraram a Delegacia de Polícia para relatar os fatos.
A POLÍCIA CIVIL realizou uma investigação detalhada e constatou que tudo não passava de um golpe financeiro que prejudicou centenas de pessoas.
A investigação durou cerca de 03 (três) meses e ouviu 57 (cinquenta e sete) vítimas e conta com mais de 400 páginas com fotos, documentos e depoimentos. Assim, diante de todas as provas colhidas e por se tratar de um crime financeiro que envolveu altas somas em dinheiro, a  POLÍCIA CIVIL solicitou junto ao Poder Judiciário as medidas cautelares cabíveis, a fim de que as vítimas pudessem ser ressarcidas e que os infratores pudessem ser responsabilizados criminalmente.
Então, na manhã dessa quinta-feira, a POLÍCIA CIVIL concluiu a aprenssão de 07 (sete) veículos (04 carros, 02 motos e 01 reboque) de propriedade dos “líderes” do negócio e, além disso, a Justiça decretou o BLOQUEIO DOS BENS MÓVEIS E IMÓVEIS, e a HIPOTECA LEGAL de duas casas, além de outras medidas cautelares, tudo isso com a finalidade de assegurar que os investigados possam ressarcir todo o prejuízo causado às vítimas.
Estima-se que mais de 500 (quinhentas) pessoas tenham participado desse negócio e que mais de 05 (cinco) milhões de reais tenham sido movimentados pelos “líderes” do esquema. Além do mais, esse golpe causou um enorme dano para toda a economia e para o comércio iguatuense, tendo em vista que vários empresários, pequenos comerciantes, servidores públicos e profissionais liberais investiram altas quantias em dinheiro, contudo não tiveram o retorno prometido, ficando todos no prejuízo.
Os veiculos apreendidos serão  encaminhados para o depósito do DETRAN e ficarão à disposição da Justiça para serem avaliados e leiloados no momento oportuno e os imóveis hipotecados também servirão para garantir o ressarcimento das vítimas.
Quanto aos 06 (seis) indivíduos considerados “líderes” do negócio, por motivos de sigilo e pelo fato de estarem, até o momento, auxiliando nas investigações, não serão divulgados os seus nomes, contudo pode-se afirmar que estão sendo investigados pelos crimes de Pirâmide Financeira, Associação Criminosa, Estelionato e Lavagem de Dinheiro, cujas penas somadas chegam aos 20 (vinte) anos de prisão.
Esse é o verdadeiro trabalho da POLÍCIA CIVIL, que investiga não só crimes comuns, mas também crimes que movimentam milhões de reais e que prejudican centenas de pessoas.
PARABÉNS A TODOS OS POLICIAIS CIVIS ENVOLVIDOS NA AÇÃO!

PF descobre que policiais civis usavam "almas" para extorquir traficantes.

Na casa de um dos policiais da DCTD investigados, a PF aprendeu R$ 340 mil em espécie.

Resultado de imagem para pfApós seis meses de investigação sigilosa, com escuta telefônica dos suspeitos autorizada pela Justiça, a Polícia Federal concluiu que policiais civis lotados na Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas  (DCTD) montaram uma rede criminosa de extorsão a traficantes que incluía até falsos agentes, conhecidos na linguagem policial como “almas”. A função deles era servir como “isca” para atrair os traficantes que seriam extorquidos com ameaças de prisão caso não pagassem a propina aos agentes da DCTD.

A investigação apontou que os “almas” marcavam encontros com os traficantes para comprar drogas. Quando estes apareciam no local marcado para entregar os entorpecentes, eram surpreendidos com a chegada dos policiais da DCTD ou “Narcóticos”. A partir de então, começava a negociação e as ameaças para que os bandidos entregassem as drogas e a propina exigida pelos policiais.

Segundo a PF, em várias ocasiões, os policiais recebiam a propina e levavam também as drogas, liberando os traficantes. Outras vezes, prendiam os acusados, mas formalizavam nos autos do flagrante apenas a apreensão de apenas uma parte da droga encontrada com os presos. O restante dos entorpecentes,  usavam depois para vender ou mesmo forjar flagrantes contra outras pessoas.  Na casa de um dos policiais, os agentes da PF apreenderam, nada menos, que R$ 340 mil em espécie, que seriam, supostamente, dinheiro fruto das extorsões.

Escuta telefônica

Além dos delegados Patrícia Bezerra de Souza Dias Branco, Anna Cláudia Nery da Silva e Lucas Saldanha Aragão, a PF obteve na Justiça a autorização para a escuta telefônica (quebra de sigilo) de  todos os agentes e “almas” suspeitos de formar um suposto esquema criminoso de corrupção nas atividades de rua e no âmbito da Narcóticos.

Foram identificadas nas diligências da PF, pelo menos, cinco “almas” que tinham a função de “conseguir contatos com traficantes e simular compra de drogas, sendo que no momento da entrega da referida droga, era abordado  na companhia dos traficantes a serem extorquidos. Contra estas pessoas há, inclusive, a suspeita de que seriam responsáveis pela futura venda da droga ilícita desviada.

As “almas” identificadas pela PF são: Francisco Antônio Duarte, Felipe Rodrigues da Silva, José Ricardo do Nascimento, Paulo Sérgio Mariano de Sousa (pai de Felipe) e uma pessoa que atende pelo apelido de “Ju” e que seria de confiança de Felipe. Alguns deles foram presos durante a operação da PF realizada nesta quarta-feira (6).

Ainda de acordo com as investigações da PF, os policiais envolvidos diretamente nas extorsões aos traficantes são: Petrônio Jerônimo dos Santos, Antônio Chaves Pinto Júnior, Raimundo Nonato Nogueira Júnior, José Audizio Soares Júnior, Fábio Oliveira Benevides, Rafael de Oliveira Domingues, Antônio Henrique Gomes de Araújo, Antônio Márcio do Nascimento Maciel, Francisco Alex de Souza Sales, Gleidson da Costa Ferreira, Fabrício Dantas Alexandre, Alexandra Maia Ximenes e João Felipe de Araújo Sampaio Leite.  “estes, estão envolvidos nas práticas criminosas investigadas e contam com o apoio da chefia, no caso a delegada Patrícia Bezerra de Sousa Dias Branco, Lucas Saldanha Aragão e Anna Cláudia Nery da Silva”, assinala a PF.

Chefe do bando?

Em outro ponto da investigação federal, o inspetor Petrônio Gerônimo Santos é apontado como a pessoa que, “exerce papel de liderança no esquema criminoso”.

A Polícia Federal chegou a encaminhar ao Ministério Público Federal o pedido formal para o afastamento das funções de todos os citados, contudo, o MPF analisou o conjunto de provas e requisitou à Justiça que seis dos investigados fossem apenas removidos para outras unidades da Polícia Civil  e passassem a exercer apenas atividades burocráticas, relacionadas apenas à administração, entre elas, a delegada Anna Cláudia. 

O juiz Danilo Dias Vasconcelos de Almeida determinou, então que, além da delegada Anna Cláudia, fossem  somente remanejados para outras delegacias, através de “remoção compulsória”, os seguintes policiais: Alexandre Maia Ximenes, Raimundo Nonato Nogueira Júnior, João Felipe de Araújo Sampaio Leite, Gleidison da Costa Ferreira e Fabrício Dantas Alexandre.

Foram afastados do cargo, pelo prazo de 90 dias, a delegada Patrícia Bezerra, o delegado Lucas Saldanha Aragão  e os inspetores Antônio Chaves Pinto Júnior, José Audízio Soares Júnior, Fábio Oliveira Benevides, Antônio Henrique Gomes de Araújo, Francisco Alex de Souza Sales, Antônio Márcio do Nascimento Maciel, Petrônio Gerônimo dos Santos e Rafael de Oliveira Domingues. Todos tiveram que entregar à PF seus distintivos, identidade funcional, armas, coletes e outros equipamentos pertencentes à Polícia Civil.

Filmados

Imagens obtidas pela PF mostram a ação dos policiais em situações que, supostamente, seriam de momentos em que os agentes praticavam as extorsões aos traficantes.

Em uma dessas ocasiões, um grupo de inspetores da  Narcóticos é filmado no dia  18 de maio de 2015, entrado e saindo do apartamento do português Carlos Miguel de Oliveira Pinheiro com mochilas, sacolas e uma mala.  Na delação premiada ao Ministério Público, o português revelou que aquela foi a primeira extorsão que sofreu dos agentes. De lá, os inspetores teriam levado cerca de R$ 90 mil em espécie, além de anabolizantes e perfumes importados, celulares e até lençóis.   Tal informação  e pela constatação das filmagens em poder da PF revela o suposto crime praticado pelos agentes já que a primeira prisão de Carlos Miguel só aconteceu, formalmente, cinco meses depois.

Foi no dia 16 de outubro, quando o português, segundo seu relato ao MPF na delação premiada, teria sofrido uma segunda tentativa extorsão dos policiais. Estes teriam ecigido dele a quantia de R$ 25 mil e como Carlos Miguel não pagou, acabou preso.

No dia 2 de junho de 2016, Carlos Miguel voltou a ser preso também por policiais da DCTD pelo mesmo motivo: a venda de anabolizantes.

Em um dos diálogos via celular captados  pela PF (com a devida autorização judicial) envolvendo dois policiais investigados, eles falam sobre uma extorsão. Um deles cita o quanto lucrou e o outro responde: “por que tu não pediu mais dinheiro.

BALA E SANGUE NO BAIRRO PADRE PALHANO, EM SOBRAL!

Por volta das 21:30h desta quinta-feira (7), muita bala e sangue na Rua Monsenhor Domingos, no bairro Padre Palhano. Um jovem foi alvejado a bala na cabeça e socorrido para o hospital Santa Casa. A vítima foi identificada por Valdenildo Araújo Vicene, 18 anos, conhecido por "Valdinho". O estado de saúde da vítima é gravíssimo.

As primeiras informações dão conta que os autores do crime estavam em uma motocicleta e fugiram em rumo incerto.

PRISÃO EM FLAGRANTE POR TRAFICO DE DROGAS EM JAGUARUANA-CE

Por volta das 14:00hs (07/12/17) através de denuncias anônimas via 190 de que no bairro Capoeira, na Vila do Manesinho, estaria havendo venda de drogas, diante das informações  a CP 1541 solicitaram apoio a equipe Raio 012 de Russas e ao chegarem no local constataram a veracidade da denuncia após ter sido encontrado no interior da residência 3,8 gramas de cocaína, 8,7 gramas de crack, além de R$ 486,90 em dinheiro decorrente da venda de droga, encontrava-se na casa a senhora MACILENE FERNANDES COSTA, além de ser encontrado também na parte exterior da casa diversos buracos na parede de onde segundo denúncias se faziam a venda da droga. Diante disso foi dado voz de prisão a MACILENE e em seguida foi conduzida para a DPC de Jaguaruana para a realização dos procedimentos cabíveis.
 

Homem que se diz pastor é acusado de “vender” falsas vagas de vigilantes no DF

 Homem que se diz pastor é acusado de “vender” falsas vagas de vigilantes no DF
Garantindo ter conexões políticas para efetivar os candidatos, ele teria embolsado R$ 37 mil de 23 vítimas e, depois, sumido... Confira Aconteceu de novo. Um grupo de 23 pessoas afirma ter sido enganado por um homem com a promessa de emprego para cargos de vigilante em várias empresas de segurança do Distrito Federal. Com papo envolvente e garantindo ter conexões políticas para efetivar os candidatos, o acusado, que também se apresenta como pastor, deixou um rastro de prejuízo avaliado pelas vítimas em R$ 37 mil. O caso deverá ser registrado na Coordenação de Repressão aos Crimes contra o Consumidor, à Ordem Tributária e a Fraudes (Corf), na tarde desta sexta-feira (1º/12). O primeiro a cair no golpe foi um vigilante que trabalha no Hospital Regional do Gama (HRG). O acusado, identificado como José Cláudio Souza, costumava ir à unidade de saúde onde seu filho estaria internado. Ele acabou fazendo amizade com o vigia e contou sobre a facilidade que teria em conseguir vagas em diversas empresas de segurança privada. Para tanto, cobrava entre R$ 1,5 mil e R$ 2,5 mil. Animado com a oportunidade, o vigilante conseguiu juntar pessoas interessadas. Eles passaram a se comunicar por meio de um grupo criado no WhatsApp. Conversavam sobre o andamento das vagas, que nunca seriam preenchidas. Ao todo, 23 pessoas investiram o pouco que tinham em uma promessa que jamais seria honrada. Em determinados momentos, o “pastor Cláudio” tentava arrecadar mais dinheiro das vítimas dizendo que fazia um trabalho social comprando e distribuindo cestas básicas para famílias carentes ou em creches. “Esse criminoso ainda pedia mais verba para, supostamente, ajudar famílias pobres e creches que precisavam de ajuda para comprar comida e remédios”, disse uma das vítimas, que não quis de identificar. Um porteiro pagou R$ 1,8 mil ao homem. Ele diz que foi indicado ao “pastor” por terceiros. Como ganha mensalmente R$ 1 mil, decidiu arriscar e desembolsar o valor com a promessa de que ganharia R$ 2,5 mil mensais.
pastor1 Homem que se diz pastor é acusado de “vender” falsas vagas de vigilantes no DFpastor2 Homem que se diz pastor é acusado de “vender” falsas vagas de vigilantes no DFpastor3 Homem que se diz pastor é acusado de “vender” falsas vagas de vigilantes no DF pastor4 Homem que se diz pastor é acusado de “vender” falsas vagas de vigilantes no DFA reportagem ligou diversas vezes para dois telefones que pertencem a José Cláudio, mas ele não atendeu e nem retornou as ligações. Outros golpes Em 11 de outubro deste ano, o Metrópoles publicou caso semelhante, desta vez, de uma mulher que cobrava até R$ 2 mil para garantir a contratação de vigilantes e brigadistas na empresa Confederal, ligada ao presidente do Senado, Eunício de Oliveira (PMDB-CE). Um grupo de WhatsApp criado por Luciana Nunes de Lima chegou a ter 175 pessoas. Todas teriam sido enganadas por ela com a garantia de emprego fácil. Para dar um ar de confiabilidade ao esquema, a estelionatária usava o nome do deputado distrital Chico Vigilante (PT). Dizia que o político estava ciente de todo o processo e ajudaria nas indicações. Por mais de uma vez, ela enviou ao grupo vídeos do parlamentar defendendo a categoria. O esquema era alimentado na forma de pirâmide, com indicações. Quem dava dinheiro à mulher sempre tinha a impressão de que em breve começaria a trabalhar. Ela marcava reuniões com regularidade, recolhia documentação, distribuía escalas de serviço do “novo” trabalho e até pedia voluntários para ajudar a pegar carregamentos de uniformes. Porém, sempre de última hora, inventava justificativas para protelar a apresentação nas empresas que mantinham contrato com a Confederal. Até greves na cidade – como as dos rodoviários e dos bancários – eram usadas como desculpa.   Fonte: https://www.metropoles.com/

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

BREJO SANTO/CE


Em 29/11/2017 por volta das 23h00 foram apreendidos na Vila Cavaco, em Brejo Santo/CE, por roubo e posse ilegal de arma de fogo, os seguintes menores de idade:
 (W. R. D. S.) brasileiro, solteiro, alfabetizado, sem profissão definida, 16 anos, natural de Brejo Santo/CE, residente no Loteamento João e Joana, em Brejo Santo/CE. Na residência do menor infrator foi apreendido o seguinte material que ele afirmou ser de sua posse:
• 01 (um) Revólver calibre 32, marca ROSSI;
• 17 (dezessete) Munições calibre 32 intactas;
• 13 (treze) Munições calibre 38 Intactas;
 (M. E. D. S.) brasileiro, solteiro, não alfabetizado, sem profissão definida, 16 anos de idade, natural de Petrolina/PE, residente no Loteamento João e Joana, em Brejo Santo/CE.
• 01 (uma) faca de cabo preto. O menor infrator relatou ao Delegado da Polícia Civil e aos policiais militares que as munições apreendidas estavam com os projéteis envenenados com uma substância conhecida por “mil gatos”, que seriam para causar a morte instantânea de possíveis vítimas.
Os menores de idade infratores foram abordados após uma denúncia anônima para o telefone 190, informando que ambos seriam responsáveis pelo roubo de uma Motocicleta Yamaha/Factor YBR125, placa NVD-4387, cor vermelha, ano 2010, inscrição de Brejo Santo/CE, ocorrido no dia 27/11/2017, por volta das 21h00, nas proximidades do loteamento João e Joana, tendo como vítima o senhor Fabio Julio Rodrigues Felix, 19 anos, residente no Loteamento João e Joana, quadra C, Brejo Santo/CE.
Após a abordagem os menores infratores confessaram a autoria do roubo da motocicleta supracitada e informaram que venderam a mesma pela quantia de R$ 700,00 (setecentos reais) ao acusado abaixo qualificado, que foi localizado e preso em casa:
 Francisco Yury Furtado Alves, brasileiro, solteiro, alfabetizado, mecânico,21 anos, natural de Brejo Santo/CE, residente no Sítio Abreus, zona rural, em Porteiras/CE. Em sua residência foi apreendido o seguinte veículo, que ele confessou ter comprado aos menores infratores:
• 01 (uma) Motocicleta Yamaha/Factor YBR125, placa NVD-4387, cor vermelha, ano 2010, inscrição de Brejo Santo/CE, que ostenta a placa HXR-1209.
As conduções foram realizadas por Policiais Militares da FTA (Força Tática de Apoio), sob o comando do 3º SGT PM AZEVEDO , juntamente com o Cb PM MELO, SD PM SÁ e SD PM ARRAES, os quais conduziram os acusados e o material apreendido à Delegacia Regional de Polícia Civil de Brejo Santo/CE, onde foram realizados os procedimentos conforme Ato Infracional com base nos Artigos 12 da Lei nº 10.826/06 - Estatuto do Desarmamento (Posse Ilegal de Arma de Fogo) e 157 (Roubo) do CPB. e Inquerito Policial com base no Art. 180 (Receptação) do CPB.





HOMEM É PRESO ACUSADO DE AGREDIR A PRÓPRIA MÃE NA LOCALIDADE DE CRUZETA.


Policiais militares Sargento Glaubio Campos e soldados Geivanio, Gleison e Cheila, prenderam no final da manhã desta quinta feira 30/11/2017, na localidade de Cruzeta - Tamboril, a pessoa de:. Franceleno de Sousa Rocha, vulgo Leno, natural de Nova Russas, nascido aos 01/02/1988, residente na localidade de Cruzeta - Tamboril.
A vítima foi a mãe do acusado, a senhora:. Francisca Soares de Sousa, aposentada, natural de Tamboril, nascida aos 05/05/1945, residente na localidade de Cruzeta no município de Tamboril.
Ainda segundo Sargento Glaubio Campos, somente pela manhã, foi que os vizinhos da vítima tomaram conhecimento do fato, e denunciaram o caso para a polícia.
Segundo o sargento Glaubio Campos, o acusado na noite anterior teria agredido a própria mãe, tomado o seu cartão do benefício e ainda teria colocado a mesma para dormir fora de casa , a qual passou a noite no relento ( meio da Rua). Leno foi preso e conduzido para a delegacia regional de polícia civil em Crateús para ser autuado em flagrante por mais tratos e violência doméstica contra a própria genitora.
Local onde a vítima dormiu a noite.


Polícia Civil e Militar prendem membros do PCC em Santa Quitéria


Polícia civil e militar juntas, nesta quinta-feira 29 por volta das 14h, foram até uma casa abandonada no bairro Cinzas.
Lá foram presos José Luiz Moura de Freitas, natural de Fortaleza, responde por homicídio e assalto, fugitivo da cidade de Marcos, ele estava em companhia do Kregor Roberto Paes Magalhães.
Foi encontrado e apreendido um revólver calibre 38 com 6 munições, um relógio e 56 reais, também um celular de marca Nokia, a dupla assumiu realizações de assaltos na região.


Comissão do Senado aprova piso salarial nacional para vigilantes

Resultado de imagem para vigilantesA Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou, na manhã de terça-feira (24), o projeto de lei do Senado (PLS) 135/10, que fixa o piso nacional de salário dos vigilantes. O texto apresentado pelo senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), autor do projeto, atual ministro da Pesca e Aquicultura, fixava anuamente, nos termos de regulamento, o piso nacional de salário.
Para isso, o Ministério do Trabalho e Emprego ficaria responsável por convocar uma reunião setorial de empregados e empregadores para recolher subsídios e informações necessárias à fixação do piso da categoria profissional.
O parecer aprovado pela CAE, na forma de substitutivo, apresentado pelo senador José Pimentel (PT-CE), estabelece o piso nacional de salário dos empregados em empresas particulares que explorem serviços de vigilância e transporte de valores. Ou seja, é o novo texto e o que segue tramitação no Senado.
O substitutivo também estabelece que o piso será estabelecido de acordo com o grau de responsabilidade e de risco profissional na atividade desenvolvida, que serão três: grau mínimo, R$ 800; grau médio, R$ 950; e grau máximo, R$ 1.100.
As atividades e os profissionais que estarão sujeitos às responsabilidades e aos riscos compatíveis com a graduação serão definidos nas negociações coletivas de trabalho e os valores serão reajustados anualmente pela variação integral do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), calculado, no mesmo período, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ou por outro índice que venha a substituí-lo.
É importante frisar que esse projeto não foi aprovado por unanimidade na CAE, o que sugere que haverá intensos debates no próximo colegiado que irá discutir o texto em decisão terminativa, a Comissão de Assuntos Sociais (CAS).
Em 2016 era discutido o valor de R$ 3.000,00.