terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Sindicato diz que vigilante foi morto por engano

O vigilante foi morto no último sábado (9)
A Polícia Civil investiga as circunstâncias da morte do vigilante identificado como Ismael Gomes da Silva, de 43 anos de idade. Ele era funcionário de uma empresa terceirizada que presta serviço para uma obra na Rua Coronel Raimundo Guanabara, no bairro São Gerardo, em Fortaleza.
Segundo o presidente do Sindicato dos Vigilantes Daniel Borges, Ismael foi trabalhar no lugar de outro vigilante na noite do último sábado (9). Por volta das 22 horas um homem que estava em uma moto e com a bolsa de entregador de pizza rondou a obra e em seguida retornou sacando um revólver. Pelo menos três tiros foram efetuados em direção ao vigilante. Ele foi atingido na cabeça. Apesar dos moradores terem ouvido os tiros o corpo só foi encontrado no outro dia pela manhã durante a troca de turno. Como nada foi levado e a arma teria sido encontrada na mão dele acreditava-se em suicídio. A verdade só veio à tona quando as imagens foram divulgadas. O presidente do Sindicato acredita que ele tenha sido morto por engano.
De acordo com Daniel Borges, a motivação teria sido por represálias de algum criminoso que o vigilante Ismael ou o vigilante que ocupa mesmo o cargo teria repreendido em algum momento. Segundo o sindicato até o momento ninguém foi preso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário