quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Agente penitenciário é morto com vários disparos em bar

Um agente penitenciário foi assassinado na tarde de quarta-feira (12), em um bar no município de São Gonçalo do Amarante, Região Metropolitana de Fortaleza. De acordo com testemunhas, três homens participaram da execução da vítima e vários disparos foram executados. O crime acontece menos de um mês após o assassinato de três policiais militares em um bar de Fortaleza. 
O agente, conhecido apenas como "Pessoa", estava no estabelecimento, quando os três homens chegaram em um carro modelo L200, dois desceram, dispararam cerca de 13 vezes, e fugiram. 
A Polícia Militar foi chamada, fez buscas e ainda encontrou o trio, em fuga na estrada. Houve troca de tiros, mas os homens conseguiram fugir por um matagal. As buscas continuam. 
A morte foi confirmada pelo Sindicato dos Agentes e Servidores Públicos do Sistema Penitenciário do Estado do Ceará (Sindasp). Leia a nota na íntegra:
O Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciários do Estado do Ceará (Sindasp/CE) lamenta a morte do agente penitenciário Antônio Rodrigues Pessoa, que foi assassinado na tarde desta quarta-feira (12) em São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana de Fortaleza.  A vítima era lotada na Casa de Privação Provisória de Liberdade Desembargador Francisco Adalberto de Oliveira Barros Leal, Carrapicho, Caucaia.
Através desta nota de pesar, também repudiamos a inoperância do executivo e suas respectivas secretarias que deveriam estar preparadas para o enfrentamento, porém, o que observamos é o avanço do crime organizado que fez a 15ª vítima somente no ano corrente – todos integrantes da Segurança Pública. São exatamente 15 famílias destruídas por falta de um trabalho de inteligência da Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus) em conjunto coma  Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).
Não há qualquer monitoramento satisfatório que tenha evitado a morte de membros da Segurança Pública. Os presos projetam as piores ações dentro das unidades prisionais, matam cidadãos e o governo diz que tem o controle de tudo: será mesmo? Estamos à beira de um caos, um cenário de vulnerabilidade para agentes penitenciários, guardas municipais, policiais civis e militares.
Caminharemos em busca de solução, todavia, vale ressaltar que integrantes da Segurança Pública e seus parentes estarão sempre apreensivos com os constantes ataques.
Por Cnews

Nenhum comentário:

Postar um comentário