terça-feira, 26 de março de 2019

Tabela Salarial 2019 - Vigilantes do Ceará

OBS : A tabela salarial 2019 e a Convenção Coletiva 2019, dos Vigilantes do Ceará, ainda não foram homologadas. Como todos sabem, não depende apenas do Sindicato dos Vigilantes do Estado do Ceará, mas também do Sindicato patronal e do Ministério do Trabalho. As cláusulas precisam ser conferidas antes da homologação. O pagamento atualizado ocorre após a publicação no Ministério do Trabalho.
Essa tabela foi produzida para que o vigilante veja o valor do reajuste, de acordo com o INPC de 2018, que foi divulgado pelo governo no percentual de 3,43%.
Logo que for homologado, divulgaremos a todos (as)!

Equipe : SB Vigilantes
Nenhuma descrição de foto disponível.

Sindicato dos Vigilantes do Ceará


Representantes do Sindicato dos Vigilantes estiveram em Ubajara com os trabalhadores da região debatendo sobre a Reforma da Previdência e a também sobre a lei estadual que obriga a implantação de vigilantes 24h em bancos.
Precisamos cobrar posição dos parlamentares quanto a Reforma da Previdência, bem como do Governador Camilo Santana a implementação da lei estadual.
Estiveram presentes vigilantes de Ubajara, São Benedito, Tianguá e Ibiapina.A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas sentadas e área interna
A imagem pode conter: 1 pessoa, área interna

sábado, 16 de março de 2019

Desembargador teria extorquido servidoras ao menos 96 vezes

Carlos Rodrigues Feitosa foi condenado a três anos, dez meses e 20 dias de reclusão, em regime inicialmente semiaberto, em sentença do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que teve como relator o ministro Herman Benjamin
As investigações da Polícia Federal que chegaram ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) mostraram que o magistrado exigia partes dos salários de servidoras lotadas em seu gabinete
FOTO: NATINHO RODRIGUESO desembargador aposentado Carlos Rodrigues Feitosa, do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), teria extorquido duas funcionárias pelo menos 96 vezes, conforme a condenação do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Investigações apontam que o magistrado exigia partes dos salários das servidoras.Carlos Feitosa foi condenado a três anos, dez meses e 20 dias de reclusão, em regime inicialmente semiaberto, em sentença proferida na última quinta-feira (14). O magistrado aposentado ainda pode perder o cargo público no Tribunal de Justiça - o STJ analisa o caso: dois ministros votaram a favor da punição, mas outro membro do Tribunal Superior pediu vista regimental, e o julgamento foi adiado para a próxima semana.
Os crimes de extorsão foram descobertos no bojo da Operação 'Expresso 150', da Polícia Federal. A reportagem apurou que os investigadores descobriram sucessivas transferências bancárias das funcionárias para o desembargador, através da quebra de sigilo bancário, e negociações suspeitas, a partir de interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça.
Conforme a condenação, uma assessora jurídica do magistrado recebia R$ 7 mil, mas repassava R$ 3 mil para Carlos Feitosa. Em troca, ela trabalhava apenas meio expediente, de 12h às 18h, de segunda a quinta-feira, e de 8h às 12h, na sexta-feira. Segundo o processo, a servidora comissionada deixava um envelope com o dinheiro na mesa do desembargador ou realizava transferência bancária. Somente dela, a investigação chegou ao número de 47 casos de extorsão. Os outros 49 registros do crime envolvem outra funcionária, no mesmo 'modus operandi'.
Outros processos
Carlos Feitosa responde a mais duas ações penais no STJ, em decorrência da 'Expresso 150'. Ele é acusado de integrar um esquema de corrupção, responsável por vender liminares nos plantões do Tribunal de Justiça. O desembargador teria expedido decisões favoráveis à soltura de criminosos pelo pagamento de R$ 100 mil a R$ 300 mil.
Um dos filhos do magistrado aposentado seria o elo entre ele e os advogados dos criminosos. As negociações eram feitas por meio de grupos de WhatsApp e pelo Facebook. A primeira fase da Operação foi deflagrada em junho de 2015, e Feitosa foi afastado de suas funções. Em agosto de 2017, o Tribunal de Justiça determinou o pagamento de R$ 102,8 mil de auxílio moradia ao desembargador, retroativo aos meses em que ficou afastado. Em setembro de 2018, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) condenou, por unanimidade, o magistrado à aposentadoria compulsória. Hoje, Carlos Feitosa custa R$ 43 mil mensais ao Estado. A reportagem procurou a defesa do réu, mas as ligações não foram atendidas até o fechamento desta matéria.
Expresso 150
A Polícia Federal chegou ao esquema de corrupção no TJCE a partir de investigações sobre o tráfico de drogas envolvendo membros da facção criminosa Primeiro Comando da Capital, que estavam pagando pela concessão de 'habeas corpus'. O nome da Operação era relativo à média de R$ 150 mil, valor cobrado para expedição dos alvarás de soltura. Cinco desembargadores, dois juízes, 17 advogados, familiares dos magistrados e um traficante estão inclusos nas ações penais que tramitam no STJ, em decorrência da Expresso 150.

Ônibus da banda Forró Sacode tomba na BR-116 e deixa feridos em Fortaleza

Um ônibus da banda Tony Guerra & Forró Sacode tombou no Km 13 da BR-116 no Bairro Messejana, em Fortaleza, por volta das 20h20 desta sexta-feira (15). O músico também estava no veículo, mas segundo o filho e também cantor, Igor Guerra, Tony não sofreu ferimentos e passa bem. 
Conforme a Polícia Rodoviária Federal, oito pessoas - sendo sete homens e uma mulher - foram socorridas com escoriações, mas sem gravidade. 
Segundo o Tenente Falcão da Polícia Militar, o motorista informou que um veículo Celta avançou na frente do ônibus que levava a banda e ele teve que fazer uma manobra brusca. Durante a frenagem, o ônibus tombou. 
Devido ao acidente, ocorreu uma interdição total do sentido Capital-Interior, o que causou um congestionamento de cerca de 2 km. 
Ônibus de banda de forró tomba na BR-116 e deixa feridos em Fortaleza; leia em http://bitly.com/2TOAim6 

Policial militar do BPRaio se envolve em acidente e sofre fraturas, na zona rural de Quixeramobim

Um trágico acidente foi registrado na tarde de quinta-feira (14), no município de Quixeramobim.

O acidente de trânsito envolveu um policial militar do Batalhão de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRAIO), na CE 161, que liga Quixeramobim ao distrito de Encantado em Senador Pompeu, próximo a Fazenda Cruzeiro.
A vítima trata-se do policial militar do BPRaio, que fazia deslocamento para Quixeramobim, onde entraria de serviço. O mesmo informou ainda que um cachorro saiu do mato atravessando a pista e na colisão perdeu o controle na motocicleta. O policial militar foi atendido e socorrido até o Hospital Regional Dr. Pontes Neto, pelo Corpo de Bombeiros.
Segundo a médica, a vítima teve fratura de fíbula e luxação no tornozelo esquerdo, além de escoriações na mão e no braço.