sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Internos eram algemados e agredidos em clínica no Cariri

Ministério Público confirmou denúncias de maus-tratos e venda de drogas na casa de recuperação

Foto: Divulgação/SSPDS


Em uma chácara, em Juazeiro do Norte, mais de trinta internos viviam em condições desumanas. Os promotores do Ministério Público fizeram uma inspeção no Centro Terapêutico Casa de Jacó e comprovaram as denúncias de maus-tratos. Alguns pacientes ficavam presos, algemados em galpões sem luz, ventilação e água. As condições de higiene eram insalubres. 
De acordo com a Polícia Civil, que participou do trabalho, os residentes não tinham acesso livre ao local, eram trancafiados e estavam com a alimentação diária precária. Na unidade, também haviam pessoas com deficiência mental. Durante diligências, João Jacó Vigário (57), proprietário do imóvel, foi conduzido para a unidade policial que cobre a região para prestar esclarecimentos sobre o fato.
Alguns internos foram socorridos para hospitais. A denúncia ainda aponta que a clínica de reabilitação para dependentes químicos era ponto de comercialização de entorpecentes. A venda era feita por funcionários do centro, segundo Fernando Noremberg Freire, um dos pacientes. 
Na delegacia, João Jacó foi autuado em flagrante pelo crime de cárcere privado. Agora, ele se encontra a disposição da Justiça. O centro de reabilitação foi interditado, e os pacientes entregues às famílias. A casa será administrada inteiramente pela Secretaria Municipal de Assistência Social. 
             Veja o Vídeo

Nenhum comentário:

Postar um comentário