domingo, 2 de fevereiro de 2014

REGIÃO METROPOLITANA

Criminalidade assusta em Horizonte
Image-0-Artigo-1536384-1
A cidade de Horizonte tem sido alvo do tráfico de drogas, o que gera os casos de assassinato. A Polícia promete redobrar as operações ostensivas
KIKO SILVA
Image-1-Artigo-1536384-1
Delegado Kim Barreto revela que a maioria dos casos de homicídio vem sendo esclarecida, através de trabalho de investigação. A delegacia recebeu reforço
Somente em janeiro, 11 pessoas foram assassinadas, no Município de Horizonte, na Região Metropolitana de Fortaleza. Três dos mortos, que foram recolhidos para serem necropsiados na Coordenadoria de Medicina Legal (Comel) ainda não foram, sequer identificados.
De acordo com o titular da Delegacia Metropolitana de Horizonte (DMH), Kim Barreto, todos os crimes estão ligados ao tráfico de drogas, mas não têm ligações entre si. Para ele, as dívidas geradas na compra e venda dos entorpecentes é o que tem causado os assassinatos.
"O problema que tem causado estes homicídios em Horizonte, é o mesmo que tem afetado todo o Brasil: a epidemia de crack. A dívidas de um traficante menor com o maior, ou, do usuário com o traficante terminam nos crimes de mortes", afirmou.
O delegado disse que existe um esforço grande da Polícia para combater o tráfico de drogas e assim, frear o número de execuções. "Na última quinta-feira nós da Polícia Civil nos reunimos com representantes da PM, da Guarda Municipal e do Demutran para organizar operações ininterruptas, nas áreas mais complicadas da Cidade", disse Barreto.
O titular da DMH afirmou ainda, que os bairro Diadema e José Lino - conhecido como 'Carandiru', pela quantidade de criminosos que abriga - são os mais problemáticos, no tocante à violência. As incursões para cessar os delitos devem ser mais ofensivas nestas áreas mais prejudicadas.
"Já começamos e vamos continuar com as 'Operações Integradas'. Serão abordagens à pessoas suspeitas, buscas em bares e estabelecimentos conhecidos como pontos de venda de drogas, blitze, entre outras medidas que serão tomadas", declarou Kim Barreto.
Elucidados
O delegado lembrou que o índice de casos elucidados pela DMH é alto. "Muita coisa aqui é esclarecida. Casos de roubo de veículos e de estabelecimentos estão praticamente controlados. Assumi a delegacia em outubro de 2013. De quando entrei até dezembro passado, foram 22 homicídios e 15 deles foram elucidados". Segundo ele, os reforços na quantidade de policiais na cidade também irá ajudar a solucionar os casos de morte. "Recebemos mais dois inspetores para integrar a nossa equipe. Além disto, em reunião, o comandante do 15ºBPM (Eusébio) disse que irá concentrar as ações aqui em Horizonte".
O titular da DMH disse que os trabalhos de sua equipe estavam prejudicados, porque os quatro inspetores que trabalham lá, estavam ocupados em cuidar dos 24 presos que estavam nas dependências da delegacia. "A Cadeia Pública daqui estava interditada há um ano", advertiu. A cadeia voltou a funcionar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário