sábado, 18 de abril de 2015

'Chefe' do tráfico é detido no Pio XII

OPERAÇÃO
Image-0-Artigo-1837110-1
Rogério de Oliveira Cury, o 'Rogério Bocão', foi preso na casa dele e levado ao 4º DP (Pio XII)
FOTO: BRUNO GOMES
Um homem apontado pela Polícia como autor de vários homicídios e de chefiar o tráfico na comunidade 'Cidade de Deus', no bairro Pio XII, foi preso, na manhã de ontem, durante uma operação realizada pela equipe do 4ºDP (Pio XII) e da 1ªCia do 8ºBPM (Meireles). Rogério de Oliveira Cury, o 'Rogério Bocão' foi capturado em casa, na Rua Ana Gonçalves; um comparsa dele, identificado como Thiago Francisco da Silva também foi preso, na Rua Frei Vidal.
De acordo com Milena Moraes, delegada-adjunta do 4ºDP, havia um mandado de prisão para a dupla, por conta de um homicídio ocorrido, no dia 18 de fevereiro. A vítima foi um motorista de uma empresa de logística, que se desentendeu com 'Bocão' durante o Carnaval. "'Bocão' alugou um paredão de som e colocou na rua onde ele mora. A vítima era evangélica, se incomodou com o barulho e fez uma reclamação que terminou em uma discussão", contou Moraes.
No dia seguinte à discussão, 'Bocão' mandou que duas pessoas executassem o então rival. De acordo com o capitão, Hideraldo Bellini, comandante da 1ªCia do 8ºBPM, a família de Francisco Ricardo Almeida de Carvalho não voltou para casa, depois do sepultamento. "Ficaram aterrorizados com a violência que sofreram. Foram embora lá mesmo do cemitério. A casa está abandonada deste este dia".
Conforme o oficial, somente neste ano, 'Bocão' se envolveu em seis homicídios. "Ele é um psicopata. Mata por qualquer motivo, não suporta ser desafiado ou desobedecido. Expulsou um rapaz da própria casa porque queria o imóvel para ser depósito de drogas. A vítima se negou a sair e acabou morta. Expulsava as pessoas da comunidade porque achava que elas atrapalhavam o tráfico", disse o oficial.
Rogério Cury já respondeu a quatro processos por tráfico, três vezes por roubo e duas vezes por receptação. Os homicídios que ele teria cometido estão todos sob investigação. "Temos aqui o caso do Jonathan Wanderson Cunha, que esteve na Delegacia e denunciou que o 'Bocão' tinha matado dois homens conhecidos como 'Estranho' e 'Coroa'. Um mês depois, Jonathan foi morto. Estamos investigando estas três execuções e o principal suspeito é o Rogério".
A população escreveu uma carta e entregou ao capitão Bellini pedindo a intervenção do oficial, na prisão de 'Bocão' e dizendo que ele estava apavorando a comunidade. Bellini disse que já havia sofrido ameaças de morte por parte do criminoso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário